Anedota do dia

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

O Enginheiro e o burro



Um alentejano do monte vai observar um engenheiro que está a trabalhar
na construção de uma estrada ali nos arredores de Mértola, para os
lados da Mina.

O técnico está a fazer medições do terreno com um teodolito.

- Botardeee! - botou faladura, apoiando-se no cajado - Vomecê é que
veio fazer essa estrada?

- Sim. Nós temos a mais alta tecnologia para construção de estradas e
estamos aqui para dar uma mãozinha p’rós alentejanos, p’ra ver se isto
vai p’rá frente!

- E p’ra que tá usando essa coisa aí, mais parece uma panela com buracos?

- Estou a medir terreno. - responde o engenheiro.

- Ó ca porra... e vomecê precisa dessa coisa p’ra fazer uma estradita?

- Sim, é necessário. Por quê? O senhor não entenderia... Mas este
aparelho é dos mais simples, vocês aqui nunca usaram?

- Homem! Agente nã precisa dessa moenga. Quando a gente quer fazer uma
estrada, soltamos um burro e vamos atrás dele. Por onde ele passar, é
o caminho mais fácil pra fazer a estrada...

- Muito inteligente esse método - diz o engenheiro em tom de gozo.
Então e como é que fazem se não tiverem um burro?

- Bom, quando é assim, atão a gente chama um enginhero.
Abaixo a corrupção,tanto no desporto como na politica!!!
“no small number of these whaling seamen belong to the Azores, where the outward bound Nantucket whalers frequently touch to augment their crews from the hardy peasants of those rocky shores.”
Herman Melville - Moby Dick