Android

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Tirei a imagem do Androlib que apresenta stats sobre o Android Market:

Foi de onde tirei essa ... agora mesmo. Tá lá marcada como Nova.
Saudações Leoninas
A Apple ainda tem bem mais apps que o Android, cerca de 100 000 a mais. http://mac-iphone-apps.com/mac-news/android-nearing-200000-apps-but-growth-leveling-out.html

Vou ser mauzinho .. è normal que tenha, pois muitas são necessárias para dar funcionalidades que são nativas aos Android. Eu não preciso de App nenhuma para fazer teethering, para aceder a conteudos SMB ou uPNP, etc...

Quanto ao open-source, não é líquido nem linear que algo open-source implica maior qualidade. Open-source em comparação com o da Apple, segundo a definição do ponto de vista de um programador, permite apenas a desenvolver a partir de algo e redistribuir com outro nome sem estar ligada ou controlada à aplicação original, nada mais. Também isso não é o garante de que mais pessoas irão desenvolver aplicações, mas é de facto um incentivo ao crédito individual do trabalho efectuado, mesmo que a pessoa apenas se limite a aproveitar o trabalho de outros (10 pessoas podem pegar na minha app, acrescentarem o seu nome e distribuirem 10 aplicações "novas"... é isso que é open-source). O software para desnvolver apps para a Apple é pago tal como o do Android (embora mais barato) e pode submeter-se uma app gratuitamente, no entanto como a Apple tem sempre a palavra final não podemos considerar open-source. Se é bom ou mau depende do ponto de vista... para assegurar a qualidade e evitar oportunismos em teoria é melhor o sistema da Apple, para incentivar o pessoal a dar largas à sua criatividade o Android é capaz de ganhar uns pontinhos.

Bom, esse programador que deu esse ponto de vista é fantástico. Ele por acaso acha que as Apps que não são Open source são todas desenvolvidas de base, do zero? Não. Todas as Apps aproveitam código existente. Só uma empresa ou programador manhoso é que programa do zero ... O mais interessante é que muitas empresas e programadores usam códigos Open-Source como base para depois pedir dinheiro pelas Apps.

A Grande diferença é que em Open-Source a evolução de uma aplicação é muito maior, pois se ela tiver valor, muitas pessoas irão pegar nela e melhorá-la ou adaptá-la, fazendo com que num curto espaço de tempo tenhas uma super aplicação gratuita ou várias versões de uma mesma aplicação que atingem um maior numero de end-users.

O Software para desenvolver apps em Android é gratuito, tal omo em Linux. O que se paga é o suporte que possas querer ter. Todos os SDK android estão disponíveis para download gratuito, existindo emuladores gratuitos que t permitem não só melhorr o código base do sistema operativo, como criar aplicações.

O SDK da Apple é o que dá dinheiro ao Steve Jobs ... é por isso que não existe suporte Java nem Flash. Milhentas aplicações podem ser desenvolvidas nestas plataformas de desenvolvimento que iriam retrar muito dinheiro ao mister Jobs da maça.

Depois a Apple tem apps pagas tal como o Android e neste último caso não são assim tão poucas quanto isso (as da Apple são cerca de 57% pagas):
Obviamente que Apps pagas todos vão ter, pois se eu desenvolver como programador que ganha a sua vida a pogramar, vou querer ser pago pelo meu trabalho.
O que é certo é que as Apps mais conhecidas (exemplo: Angry Brids) são tradicionalmente gratuitas em Android e pagas em Apple (pouco em iPhone, mas muito em iPad) ...

Caro, o tethering vem de origem no iPhone, não é preciso qualquer app. ;)

Quanto ao open-source, sabes bem que isso não é bem assim. Uma app desenvolvida gratuitamente sem ser open-source pode conseguir o mesmo nível de sofisticação e aprimoramento que uma open-source, a única coisa que não podes fazer numa não open-source é distribui-la como sendo tua, ao passo que na outra podes. E sim, uma aplicação não open-source está sujeita a um código de copyright bem mais rigoroso e que pode ser accionado quando se aproveita código existente (algo que nas open-source's não podes fazer).
« Última modificação: Dezembro 30, 2010, 12:17 pm por Paracelsus »
Não sei se conhecem e costumam usar o código de barras para fazer o download das aplicações, mas é uma funcionalidade que dá muito jeito.

É necessário ter uma app de leitor de código de barras (http://www.appbrain.com/app/barcode-scanner/com.google.zxing.client.android).

Depois, para instalar uma aplicação quando a encontramos num site:

1) Ter a página do site aberta com o código de barras
2) Com a aplicação aberta, apontar para o ecrã
3) *Bip* - instalação automática



Nunca percebi a utilidade, podes explicar?


A utilidade para mim é a seguinte: estou no computador e vejo uma aplicação interessante para o Android - ou num site, num blogue, ou em www.appbrain.com, que é um excelente repositório de aplicações (a App store para o browser que o Android nunca teve).

Normalmente, o processo seria "ir ao market, procurar a aplicação - mais ou menos fácil dependendo do nome - e instalar". Com esta app, basta-me apontar o telemóvel para o código de barras no ecrã do computador e ele pergunta-me logo se quero instalar aquela aplicação.

Não é rocket science, mas é útil.
Caro, o tethering vem de origem no iPhone, não é preciso qualquer app. ;)

Interessante, não sabia. Então podes-te ligar por USB ou Bluettoh a um outro dispositivo e utilizar a net ou o GPS desse outro dispositivo, sem aplicação externa?
estranho não terem implementado algo assim no iPad ... Porque ao que sei, não consegues na versão sem 3G, utilizar um disposiivo móvel para obter a informação de GPS e Internet por Bluetooth.

Quanto ao open-source, sabes bem que isso não é bem assim. Uma app desenvolvida gratuitamente sem ser open-source pode conseguir o mesmo nível de sofisticação e aprimoramento que uma open-source, a única coisa que não podes fazer numa não open-source é distribui-la como sendo tua, ao passo que na outra podes. E sim, uma aplicação não open-source está sujeita a um código de copyright bem mais rigoroso e que pode ser accionado quando se aproveita código existente (algo que nas open-source's não podes fazer).

Não percebi onde está a contradição. É óbvio que uma app que não seja open-source pode ser tão boa como uma open source. É obvio que uma app open-source pode ter o mesmo custo que uma pp não open source.

A ùnica coisa que não consegues com apps não open source é mesmo que a mesma seja utilizada par ser melhorada por uma ou mais cabeçasque andam aí espalhadas, e por consequência ter um efeito multiplicativo na sua evolução.

Um exemplo flagrante, é que com OS Apple tens de gramar com o que a A+pple define para o OS ... em mais nem menos. Obviamente que á partida quem compra Apple sabe para o que vai e vive com isso, mas não deixa de ser limitativo.
O meu Tablet Android, apósa libertação do código, é trabalhado por milhentas pessoas que criam ROM's especificas que melhoram o interface para quem procura aquela base, mas com alguns tweaks.

Exemplo prático, neste momento já tenho suporte para Pens TV DVB-T, pois conseguiram compilar os drivers no OS base. Próximo passo será as pens 3G. Overclock tb já foi conseguido ... e nada disto me faz perder acessos a markets, ou outra coisa qualquer. Liberdade pura e simples. 

Obviamente que o que aqui digo só é aplicável para meia dúzia de geeks que querem mais e melhor com dispositivos de 300€, e conseguem nesses dispositivos obter performances e funcionaliddes que geralmente só se conseguem daqui a 1/2 anos em próximas versões dos produtos base. O limte nestes dispositivos é o Hardware como é óbvio.
mas para a maioria das pessoas, que apenas quer um dispositivo que faça aquilo que utiliza no dia de hoje, e que funcione sem falhas e sem grandes complexidades, os dispositivos Apple são perfeitos.

Saudações Leoninas
Caro, o tethering vem de origem no iPhone, não é preciso qualquer app. ;)

Interessante, não sabia. Então podes-te ligar por USB ou Bluettoh a um outro dispositivo e utilizar a net ou o GPS desse outro dispositivo, sem aplicação externa?
estranho não terem implementado algo assim no iPad ... Porque ao que sei, não consegues na versão sem 3G, utilizar um disposiivo móvel para obter a informação de GPS e Internet por Bluetooth.

Quanto ao open-source, sabes bem que isso não é bem assim. Uma app desenvolvida gratuitamente sem ser open-source pode conseguir o mesmo nível de sofisticação e aprimoramento que uma open-source, a única coisa que não podes fazer numa não open-source é distribui-la como sendo tua, ao passo que na outra podes. E sim, uma aplicação não open-source está sujeita a um código de copyright bem mais rigoroso e que pode ser accionado quando se aproveita código existente (algo que nas open-source's não podes fazer).

Não percebi onde está a contradição. É óbvio que uma app que não seja open-source pode ser tão boa como uma open source. É obvio que uma app open-source pode ter o mesmo custo que uma pp não open source.

A ùnica coisa que não consegues com apps não open source é mesmo que a mesma seja utilizada par ser melhorada por uma ou mais cabeçasque andam aí espalhadas, e por consequência ter um efeito multiplicativo na sua evolução.

Um exemplo flagrante, é que com OS Apple tens de gramar com o que a A+pple define para o OS ... em mais nem menos. Obviamente que á partida quem compra Apple sabe para o que vai e vive com isso, mas não deixa de ser limitativo.
O meu Tablet Android, apósa libertação do código, é trabalhado por milhentas pessoas que criam ROM's especificas que melhoram o interface para quem procura aquela base, mas com alguns tweaks.

Exemplo prático, neste momento já tenho suporte para Pens TV DVB-T, pois conseguiram compilar os drivers no OS base. Próximo passo será as pens 3G. Overclock tb já foi conseguido ... e nada disto me faz perder acessos a markets, ou outra coisa qualquer. Liberdade pura e simples.  

Obviamente que o que aqui digo só é aplicável para meia dúzia de geeks que querem mais e melhor com dispositivos de 300€, e conseguem nesses dispositivos obter performances e funcionaliddes que geralmente só se conseguem daqui a 1/2 anos em próximas versões dos produtos base. O limte nestes dispositivos é o Hardware como é óbvio.
mas para a maioria das pessoas, que apenas quer um dispositivo que faça aquilo que utiliza no dia de hoje, e que funcione sem falhas e sem grandes complexidades, os dispositivos Apple são perfeitos.



Eu acedo quando quero à Internet a partir do meu MacBook Pro estando a Net ligada em tethering via Bluetooth a partir do meu iPhone (que por sua vez está ligado à rede 3G)... funciona sempre na perfeicão.

Quanto ao open-source, também posso dar o exemplo do SMF que estamos a usar aqui no fórum... software gratuito, não open-source e em que qualquer pessoa pode pegar para melhorar, modificando o código como quiser e bem lhe apetecer através de MODs. A única restrição é não retirar o copyright do SMF. ;)
Já estou passado com isto do Android e do LG P500.

Ao instalar a actualização oficial pelo site da lg, ele morreu!

Está a arranjar, tem a placa de circuitos impressos queimada e não existe prazo de chegada da peça. A Vodafone rejeitou-me um novo, porque passavam 3 dias depois dos 14 de troca. Impressionante o azar que tenho...

Eu acedo quando quero à Internet a partir do meu MacBook Pro estando a Net ligada em tethering via Bluetooth a partir do meu iPhone (que por sua vez está ligado à rede 3G)... funciona sempre na perfeicão.

Quanto ao open-source, também posso dar o exemplo do SMF que estamos a usar aqui no fórum... software gratuito, não open-source e em que qualquer pessoa pode pegar para melhorar, modificando o código como quiser e bem lhe apetecer através de MODs. A única restrição é não retirar o copyright do SMF. ;)

relativamente ao teethering, estou a falar de fazer o contrário. Isso é que o que faz com tudo o que são telemóveis hoje em dia, ou seja, usar a net do telefone para os outros dispositivos. O contrário já é mais raro.

Relativamente ao Open Source, estamos aqui a baralhar conceitos. Open Source, é código aberto e disponível para ser utilizado por quem quiser. Depois existe as licenças de utilização e distribuição, que no caso do SMF, eles pedem apenas que se mantenha o copyright, mas o SMF é Open Source, pois tu tens acesso ao código do mesmo.

O Linux é Open Source, mas todas as distribuições são patenteadas e protegidas por copyright.
Saudações Leoninas

Eu acedo quando quero à Internet a partir do meu MacBook Pro estando a Net ligada em tethering via Bluetooth a partir do meu iPhone (que por sua vez está ligado à rede 3G)... funciona sempre na perfeicão.

Quanto ao open-source, também posso dar o exemplo do SMF que estamos a usar aqui no fórum... software gratuito, não open-source e em que qualquer pessoa pode pegar para melhorar, modificando o código como quiser e bem lhe apetecer através de MODs. A única restrição é não retirar o copyright do SMF. ;)

relativamente ao teethering, estou a falar de fazer o contrário. Isso é que o que faz com tudo o que são telemóveis hoje em dia, ou seja, usar a net do telefone para os outros dispositivos. O contrário já é mais raro.

Relativamente ao Open Source, estamos aqui a baralhar conceitos. Open Source, é código aberto e disponível para ser utilizado por quem quiser. Depois existe as licenças de utilização e distribuição, que no caso do SMF, eles pedem apenas que se mantenha o copyright, mas o SMF é Open Source, pois tu tens acesso ao código do mesmo.

O Linux é Open Source, mas todas as distribuições são patenteadas e protegidas por copyright.

Por que razão havia de querer ter tethering num iPhone que tem sempre Net 3G ou em alternativa wireless? :eh:

O SMF não é open-source, é sim software gratuito. Isto é uma discussão estéril, mas existe uma diferenca marcada... SMF não é open-source no sentido em que costuma ser aplicado na internet: http://www.simplemachines.org/about/opensource.php
Por que razão havia de querer ter tethering num iPhone que tem sempre Net 3G ou em alternativa wireless? :eh:

Não me referia exclusivamente ao iPhone, mas tb ao iPad que tem versão apenas Wireless, tal como os Tablets Android.

O SMF não é open-source, é sim software gratuito. Isto é uma discussão estéril, mas existe uma diferenca marcada... SMF não é open-source no sentido em que costuma ser aplicado na internet: http://www.simplemachines.org/about/opensource.php

Bom de facto é uma discussão que não vai levar a lado nenhum, pois cada um pode escolher a interpretação que bem desejar ao termo Open Source. No caso especifico do SMF, eles não são Open Source porque não deixam alterar um pedaço de código que é onde está o copyright ... Oki Doki ...

Open Source para mim, é uma aplicação que para lém de ser distribuida n forma compilada e pronta a executar, fornece todo o seu código fonte para que outros programadores o possam uilizar, aprender re-aproveitar, etc...
Algo que não é Open Source, é also que se nos apresenta apenas na forma de programa executável e fechado.
Saudações Leoninas

Eu acedo quando quero à Internet a partir do meu MacBook Pro estando a Net ligada em tethering via Bluetooth a partir do meu iPhone (que por sua vez está ligado à rede 3G)... funciona sempre na perfeicão.

Quanto ao open-source, também posso dar o exemplo do SMF que estamos a usar aqui no fórum... software gratuito, não open-source e em que qualquer pessoa pode pegar para melhorar, modificando o código como quiser e bem lhe apetecer através de MODs. A única restrição é não retirar o copyright do SMF. ;)

relativamente ao teethering, estou a falar de fazer o contrário. Isso é que o que faz com tudo o que são telemóveis hoje em dia, ou seja, usar a net do telefone para os outros dispositivos. O contrário já é mais raro.

Relativamente ao Open Source, estamos aqui a baralhar conceitos. Open Source, é código aberto e disponível para ser utilizado por quem quiser. Depois existe as licenças de utilização e distribuição, que no caso do SMF, eles pedem apenas que se mantenha o copyright, mas o SMF é Open Source, pois tu tens acesso ao código do mesmo.

O Linux é Open Source, mas todas as distribuições são patenteadas e protegidas por copyright.

Por que razão havia de querer ter tethering num iPhone que tem sempre Net 3G ou em alternativa wireless? :eh:

O SMF não é open-source, é sim software gratuito. Isto é uma discussão estéril, mas existe uma diferenca marcada... SMF não é open-source no sentido em que costuma ser aplicado na internet: http://www.simplemachines.org/about/opensource.php

Vê-se mesmo que não estás em Portugal para testemunhares in loco a verdadeira loucura que são as velocidades da internet dos planos das operadoras portuguesas!  :lol:
Ah pois, de facto não me lembrei desse pormenor. :lol:
Citar

Isso é porque não fizeste o registo numa loja Apple, porque lá eles ensinam-te a fazer sem teres de meter o cartão de crédito. (e essa ajuda é gratuita ;P)

Mas como já disse, o Android também tem apps pagas e são muitas, e no Android Market não existe o controlo relativamente apertado que existe com a Apple.

Deixo um link que compara as duas lojas:
http://www.brighthub.com/mobile/google-android/articles/74976.aspx

Eu não disse que no Android Market as aplicaçoes eram todas gratuitas  ;D. Disse que pelo menos as que eu uso no Android (gratuitas) e depois procuro no Apple Store são pagas. Tenho tido algum azar ou então é uma tendência. A minha teoria é que o pessoal que desenvolve sabe que o pessoal do iPhone tem mais dinheiro em média e menos preocupação em o poupar, logo estica-se mais a cobrar valores na Apple.

Quanto aos "truques" para não registar no iTunes com o cartão de crédito: uma das coisas que me irrita mais no iPhone é a falsa fama de que nele as coisas são mais fáceis, que é tudo só clicar e já está a funcionar. Depois vamos ver os factos e é só truques ou geekices ainda piores do que as do Android e Windows  ???

Não sei se conhecem e costumam usar o código de barras para fazer o download das aplicações, mas é uma funcionalidade que dá muito jeito.

É necessário ter uma app de leitor de código de barras (http://www.appbrain.com/app/barcode-scanner/com.google.zxing.client.android).

Depois, para instalar uma aplicação quando a encontramos num site:

1) Ter a página do site aberta com o código de barras
2) Com a aplicação aberta, apontar para o ecrã
3) *Bip* - instalação automática



Nunca percebi a utilidade, podes explicar?


A utilidade para mim é a seguinte: estou no computador e vejo uma aplicação interessante para o Android - ou num site, num blogue, ou em www.appbrain.com, que é um excelente repositório de aplicações (a App store para o browser que o Android nunca teve).

Normalmente, o processo seria "ir ao market, procurar a aplicação - mais ou menos fácil dependendo do nome - e instalar". Com esta app, basta-me apontar o telemóvel para o código de barras no ecrã do computador e ele pergunta-me logo se quero instalar aquela aplicação.

Não é rocket science, mas é útil.

Mas para encontrares a aplicação no appbrain precisas de digitar o nome? Dá quase o mesmo trabalho que no Market. Mas vou ficar com o link, pode servir para pesquisar aplicações de uma forma melhor. Tanto a App Store como o Android Market são bastante limitados nos critérios de pesquisa das aplicações.
Não sei se conhecem e costumam usar o código de barras para fazer o download das aplicações, mas é uma funcionalidade que dá muito jeito.

É necessário ter uma app de leitor de código de barras (http://www.appbrain.com/app/barcode-scanner/com.google.zxing.client.android).

Depois, para instalar uma aplicação quando a encontramos num site:

1) Ter a página do site aberta com o código de barras
2) Com a aplicação aberta, apontar para o ecrã
3) *Bip* - instalação automática



Nunca percebi a utilidade, podes explicar?


A utilidade para mim é a seguinte: estou no computador e vejo uma aplicação interessante para o Android - ou num site, num blogue, ou em www.appbrain.com, que é um excelente repositório de aplicações (a App store para o browser que o Android nunca teve).

Normalmente, o processo seria "ir ao market, procurar a aplicação - mais ou menos fácil dependendo do nome - e instalar". Com esta app, basta-me apontar o telemóvel para o código de barras no ecrã do computador e ele pergunta-me logo se quero instalar aquela aplicação.

Não é rocket science, mas é útil.

Mas para encontrares a aplicação no appbrain precisas de digitar o nome? Dá quase o mesmo trabalho que no Market. Mas vou ficar com o link, pode servir para pesquisar aplicações de uma forma melhor. Tanto a App Store como o Android Market são bastante limitados nos critérios de pesquisa das aplicações.


Quando já se sabe o que se procura, dá o mesmo trabalho, sim. Eu no appbrain de vez em quando vejo as categorias mais populares, os programas mais bem pontuados, etc, duma forma mais fácil que no Market. E outras vezes estou simplesmente na internet e encontro uma review de uma aplicação interessante. Não substitui o market, mas complementa-o.
Sou então finalmente detentor de um Galaxy Tab S... mas bloqueado à TMN, pois.

Ainda mal tenho telemóvel e já o quero desbloquear :lol:

Mas pior que isso é todo este entulho de "branding" que vem com imagenzinhas da TMN, do Sapo, do Meo.

Por onde começar? Quem tiver uma boa dica, PM, pf. Obrigado.
Nunca estou informado quanto a estas novas tecnologias e avanços nestes segmentos mas tenho tido informação sobre o Android pelo "howard stern show".

O Howard Stern diz várias vezes que o grande problema disto é que a bateria é fraca e aguenta pouco e quem usa protecções e widgets tem invariavelmente que comprar a bateria + potente... confirma-se?
Ele é pesadote, tem uma bateria de 4 amperes (4 a 5 vezes mais que um telemóvel comum). Vou ver quanto tempo dura a primeira carga.
Eu também me queixava da minha bateria ao inicio (tenho 1 galaxy S), mas depois de instalar o Froyo, fazer o root e o lag fix, a minha bateria dura a vontade 2 dias e uso bastante o telemovel, se usar um pouco menos dura 3 dias.

Tenho um colega que têm um igual exactamente com a mesma versão que eu (android 2.2.1) e a bateria também dura 2/3 dias.

Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting!!
Sou então finalmente detentor de um Galaxy Tab S... mas bloqueado à TMN, pois.

Ainda mal tenho telemóvel e já o quero desbloquear :lol:

Mas pior que isso é todo este entulho de "branding" que vem com imagenzinhas da TMN, do Sapo, do Meo.

Por onde começar? Quem tiver uma boa dica, PM, pf. Obrigado.

Isso desaparece tudo se mudares a rom, vai ao forum do androidpt e tens lá a informação toda que precisas.

Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting!!
Sou então finalmente detentor de um Galaxy Tab S... mas bloqueado à TMN, pois.

Ainda mal tenho telemóvel e já o quero desbloquear :lol:

Mas pior que isso é todo este entulho de "branding" que vem com imagenzinhas da TMN, do Sapo, do Meo.

Por onde começar? Quem tiver uma boa dica, PM, pf. Obrigado.

Isso desaparece tudo se mudares a rom, vai ao forum do androidpt e tens lá a informação toda que precisas.


Obrigadíssimo! :beer: