A Doyen e o Sporting (comunicados no 1° post)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

http://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/doyen-nao-quer-interferencias-da-fifa-e-da-uefa.html

DOYEN NÃO QUER INTERFERÊNCIAS DA FIFA E DA UEFA
Em causa o processo com os leões
Doyen não quer interferências da FIFA e da UEFA
A Doyen, sabe Record, apresentou um recurso no Tribunal da Relação de Lisboa para que a FIFA e a UEFA não sejam admitidas como assistentes no litígio que mantém com o Sporting.

A Doyen entende que a intromissão da FIFA e da UEFA no processo que decorre em Portugal contraria a política das duas entidades, por estas terem optado por não interferir quando a ação estava a ser apreciada pelo Tribunal Arbitral do Desporto, que deu razão ao fundo. A Doyen quer que a decisão seja reconhecida em Portugal.
A Carolina Salgado foi ao Bella Guttmann dos fruteiros.
Mas não pode qualquer pessoa \ empresa constituir-se assistente?
...no dia em que tive a (in)feliz ideia de escrever neste fórum que o que mais me incomodava no discurso do Presidente era obrigar-me a desligar o cérebro para acreditar nele demasiadas vezes, caiu o carmo e a trindade como seria de esperar por aqui e depois entro neste tópico e só nesta página em 4 posts sobre ainda não termos pago à Doyen num caso sobre o qual já existe decisão definitiva e esgotadas as hipóteses de recurso passível de efeitos práticos sendo que a cada dia que passa se acumulam juros de mora lê-se:

1- tranquilo, o Presidente diz que só paga quando tiver que pagar mesmo; tipo, já não existe prazo, são só juros a acumular e a Doyen que meta mas é outro processo para obrigar a cumprir a decisão do tribunal e depois outra para obrigar a cumprir essa e assim por diante até ao fim dos tempos; é assim que funciona como toda a gente sabe...

2-quem tem de pagar os juros não somos nós, é tipo... alguém...? O Dinheiro na UEFA está cativo e não penhorado e pode ou não ser accionado pela Doyen mas  pronto, era giro que quem tivesse que pagar juros fosse.. alguém...?

3-os juros só contam até à data da decisão do tribunal porque... porque sim! Porque era bom que assim fosse. A Doyen que vá buscar o dinheiro onde está cativo que nós vamos fazer birra embora tenhamos que pagar mais juros até a Doyen ser obrigada a fazê-lo... Só há aquele pequeno problema de os gajos terem todo o interesse em ficar à espera que o Sporting pague por iniciativa própria devido precisamente... ao juros! Juros sobre a divida, não juros sobre os juros...

4- comentário do costume com uma mão cheia de nada a defender o Presidente de um perigo qualquer futuro sem se importar sequer com o caso em questão...

5- nos comentários seguintes, ofensas e acusações de ser lampião, croquete, sabujo e as coisas lindas do costume dos "verdadeiros" Sportinguistas de olhos abertos e mais teorias e conjecturas qual delas mais disparatada a justificar aquilo que se percebe a milhas (que apesar da "provisão" nas contas, não temos dinheiro em caixa para pagar neste momento e que a Doyen se está a aproveitar disso para deixar passar tempo e acumular juros a cada dia)...

Mas tens bom remédio se te sentes tão incomodado. Tens ali um clube ao lado, que é um espectáculo. Não tem problemas com ninguém, e muito menos com a Doyen. É ali que tens de estar. Força nisso e boa viagem! :arrow:
Assinatura renovada! Demorou, mas foi!
" O tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmou a interdição da propriedade por parte de terceiros (TPO) dos passes dos futebolistas decretada pela FIFA, no âmbito do litígio entre esta e o clube belga RFC Seraing, anunciou hoje o TAS.

A Comissão de Disciplina da FIFA tinha sancionado o clube belga em setembro de 2015 com a proibição de contratar jogadores durante quatro épocas consecutivas e uma multa de 150 mil francos suíços (136.249 euros) por ter “infringido as regras relativas à propriedade dois direitos económicos dos jogadores por parte de terceiros e por influência de terceiros” em dois contratos fechados em janeiro e julho de 2015.

Se o TAS confirmou a validade dos regulamentos da FIFA “à luz do direito europeu (livre circulação, direito de concorrência e direitos do homem) e do direito suíço”, também decidiu reduzir para três épocas consecutivas a proibição de contratar jogadores ao clube belga, por considerar a pena aplicada ao clube belga “demasiado severa”.

O RFC Seraing, propriedade desde julho de 2013 do clube francês Metz, do qual é clube satélite, tinha recorrido para o TAS, da decisão da comissão disciplinar da FIFA, a 09 de março de 2016.

O Comité de Recurso de Bruxelas tinha dado razão à FIFA uma semana depois da decisão da FIFA sobre o caso do clube belga ao rejeitar o fundo de investimento Doyen Sports e a pretensão da Liga espanhola de futebol que contestou a proibição de terceiros na propriedade dos passes dos futebolistas.

Em dezembro de 2014, o comité executivo da FIFA tinha decidido proibir que investidores externos pudessem comprar a totalidade ou uma parte dos direitos económicos de um jogador para mais tarde receberam as mais valias de uma futura transferência do atleta.

De acordo com a FIFA, a sua decisão tomada a 01 de maio de 2015 visou “preservar a independência dons clubes e dos jogadores e garantir a integridade dos jogos e das competições”.

SAPO DESPORTO
" O tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmou a interdição da propriedade por parte de terceiros (TPO) dos passes dos futebolistas decretada pela FIFA, no âmbito do litígio entre esta e o clube belga RFC Seraing, anunciou hoje o TAS.

A Comissão de Disciplina da FIFA tinha sancionado o clube belga em setembro de 2015 com a proibição de contratar jogadores durante quatro épocas consecutivas e uma multa de 150 mil francos suíços (136.249 euros) por ter “infringido as regras relativas à propriedade dois direitos económicos dos jogadores por parte de terceiros e por influência de terceiros” em dois contratos fechados em janeiro e julho de 2015.

Se o TAS confirmou a validade dos regulamentos da FIFA “à luz do direito europeu (livre circulação, direito de concorrência e direitos do homem) e do direito suíço”, também decidiu reduzir para três épocas consecutivas a proibição de contratar jogadores ao clube belga, por considerar a pena aplicada ao clube belga “demasiado severa”.

O RFC Seraing, propriedade desde julho de 2013 do clube francês Metz, do qual é clube satélite, tinha recorrido para o TAS, da decisão da comissão disciplinar da FIFA, a 09 de março de 2016.

O Comité de Recurso de Bruxelas tinha dado razão à FIFA uma semana depois da decisão da FIFA sobre o caso do clube belga ao rejeitar o fundo de investimento Doyen Sports e a pretensão da Liga espanhola de futebol que contestou a proibição de terceiros na propriedade dos passes dos futebolistas.

Em dezembro de 2014, o comité executivo da FIFA tinha decidido proibir que investidores externos pudessem comprar a totalidade ou uma parte dos direitos económicos de um jogador para mais tarde receberam as mais valias de uma futura transferência do atleta.

De acordo com a FIFA, a sua decisão tomada a 01 de maio de 2015 visou “preservar a independência dons clubes e dos jogadores e garantir a integridade dos jogos e das competições”.

SAPO DESPORTO

O problema é que esta decisão deveria ter vindo antes da nossa sentença, agora não há nada a fazer senão pagar, a não ser que o Presidente tenha algum trunfo na manga que não sabemos... :think:
E o Sporting é o nosso Grande Amor!!!
" O tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmou a interdição da propriedade por parte de terceiros (TPO) dos passes dos futebolistas decretada pela FIFA, no âmbito do litígio entre esta e o clube belga RFC Seraing, anunciou hoje o TAS.

A Comissão de Disciplina da FIFA tinha sancionado o clube belga em setembro de 2015 com a proibição de contratar jogadores durante quatro épocas consecutivas e uma multa de 150 mil francos suíços (136.249 euros) por ter “infringido as regras relativas à propriedade dois direitos económicos dos jogadores por parte de terceiros e por influência de terceiros” em dois contratos fechados em janeiro e julho de 2015.

Se o TAS confirmou a validade dos regulamentos da FIFA “à luz do direito europeu (livre circulação, direito de concorrência e direitos do homem) e do direito suíço”, também decidiu reduzir para três épocas consecutivas a proibição de contratar jogadores ao clube belga, por considerar a pena aplicada ao clube belga “demasiado severa”.

O RFC Seraing, propriedade desde julho de 2013 do clube francês Metz, do qual é clube satélite, tinha recorrido para o TAS, da decisão da comissão disciplinar da FIFA, a 09 de março de 2016.

O Comité de Recurso de Bruxelas tinha dado razão à FIFA uma semana depois da decisão da FIFA sobre o caso do clube belga ao rejeitar o fundo de investimento Doyen Sports e a pretensão da Liga espanhola de futebol que contestou a proibição de terceiros na propriedade dos passes dos futebolistas.

Em dezembro de 2014, o comité executivo da FIFA tinha decidido proibir que investidores externos pudessem comprar a totalidade ou uma parte dos direitos económicos de um jogador para mais tarde receberam as mais valias de uma futura transferência do atleta.

De acordo com a FIFA, a sua decisão tomada a 01 de maio de 2015 visou “preservar a independência dons clubes e dos jogadores e garantir a integridade dos jogos e das competições”.

SAPO DESPORTO

O problema é que esta decisão deveria ter vindo antes da nossa sentença, agora não há nada a fazer senão pagar, a não ser que o Presidente tenha algum trunfo na manga que não sabemos... :think:

Calma.. :hand: ainda corre o processo no tribunal de lisboa.. Quem sabe se isto não nos será util.. ;)
Citar
Tribunal suíço executa parte da dívida do Sporting à Doyen

Na sequência da derrota leonina no TAS no caso de Marcos Rojo, o tribunal libertou a primeira verba a favor do fundo

A Doyen já recebeu 2,5 milhões de euros do total dos 17 milhões de euros que tem a receber do Sporting, resultante à transferência de Marcos Rojo dos leões para o Manchester United, apurou O JOGO.

Esse montante foi executado e libertado pelo tribunal suíço que tem penhorado os valores a receber pelo Sporting pela participação nas competições europeias, pelo que o pagamento não foi feito de forma voluntária pela SAD de Alvalade.

O Sporting, recorde-se, foi condenado pelo Tribunal Arbitral do Desporto, uma condenação depois confirmada pelo Supremo Tribunal da Suíça, ao pagamento de 14,2 milhões de euros, mas também de 1,5 milhões de euros no caso da rescisão do contrato com Labyad, acrescidos de juros, à Doyen, num total que chegava aos 17 milhões de euros.

O Jogo

Esse jogo  :lol:

Sporting ganhou o caso Labyad, não percebo o porquê de continuarem a existir na mesma tecla  :inde:
"Sporting! Minha vida é o Sporting, minha paixão é o Sporting, meu amor é o Sporting, é o Sporting é o Sporting é o Sporting! Meu vício é o Sporting, minha família é o Sporting, Sporting, Sporting, Sporting, é o meu Sporting!"
Esse jogo  :lol:

Sporting ganhou o caso Labyad, não percebo o porquê de continuarem a existir na mesma tecla  :inde:

Ganhou vs o próprio na questão dos direitos de imagem, este não. O que ainda não percebi é que se perdemos, ou seja, a rescisão é inválida, não ficamos nós agora com um crédito de 1,5M sobre a Doyen?
Esse jogo  :lol:

Sporting ganhou o caso Labyad, não percebo o porquê de continuarem a existir na mesma tecla  :inde:

Ganhou vs o próprio na questão dos direitos de imagem, este não. O que ainda não percebi é que se perdemos, ou seja, a rescisão é inválida, não ficamos nós agora com um crédito de 1,5M sobre a Doyen?

Ah ok pensei que tivesse sido mesmo na totalidade do caso Labyad.

Nesse caso não sei, porque aquilo que sempre tem se falado é dos 14,2M + Juros.  :inde:
"Sporting! Minha vida é o Sporting, minha paixão é o Sporting, meu amor é o Sporting, é o Sporting é o Sporting é o Sporting! Meu vício é o Sporting, minha família é o Sporting, Sporting, Sporting, Sporting, é o meu Sporting!"