Formação- Análise geracional

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Este estudo visa analisar os períodos de maior aposta/qualidade da nossa formação. Os pressupostos são simples: dividir por gerações os jogadores que fizeram pelo menos 30 jogos (campeonato) pela equipa principal ou que chegaram a internacional A.
O período de análise abrange as gerações de 1979 até às gerações atuais

1979 – Simão (Otávio Machado 1996/1997), Caneira (Carlos Queiroz 1995/1996)
1980 – 0
1981 – 0
1982 – Beto (guarda-redes - nunca jogou na equipa principal), Carlos Martins (Augusto Inácio 2000/2001)
1983 – Quaresma (Laszlo Boloni 2001/2002), Hugo Viana (Laszlo Boloni 2001/2002), Miguel Garcia (Fernando Santos 2003/2004) , Custódio (Laszlo Boloni 2001/2002), José Fonte (nunca jogou na equipa principal)
1984 – 0
1985 – Silvestre Varela (José Peseiro 2005/2006), Cristiano Ronaldo (Laszlo Boloni 2001/2002)
1986 – Nani (Paulo Bento 2005/2006) , João Moutinho (José Peseiro 2005/2006), Miguel Veloso (Paulo Bento 2006/2007), Djaló (Paulo Bento 2006/2007), Saleiro (Paulo Bento 2009/2010)
1987 – 0
1988 – Rui Patrício (Paulo Bento 2006/2007) , Bruno Pereirinha (Paulo Bento 2006/2007), Daniel Carriço (Paulo Bento 2008/2009)
1989 – Adrien Silva (Paulo Bento 2007/2008), André Santos (Paulo Sérgio 2010/2011)
1990 – André Martins (Domingos Paciência 2011/2012)
1991 – Cédric (José Couceiro 2010/2011)
1992 – William Carvalho (José Couceiro 2010/2011)
1993 – João Mário (Jesualdo Ferreira 2012/2013)
1994 – Carlos Mané (Leonardo jardim 2013/2014), Bruma (Jesualdo Ferreira 2012/2013), Eric Dier (Frank Vercauteren 2012/2013)
1995 -

Nota - A época de lançamento dos jogadores assim como o treinador que os lançou teve em conta apenas os jogos do campeonato.

Conclusões:

Poderemos concluir que o período de maior aposta na formação terá sido coincidente com o período Paulo Bento. Sendo que esse período também é marcado pelo investimento reduzido no futebol profissional. Dos jogadores das gerações compreendidas de 83 a 88 poderemos constatar que apesar da grande aposta na formação nem todos os jogadores chegaram a um patamar elevado.
Nas outras gerações a média de aproveitamento na formação é de 1 jogador. Sendo que por exemplo Silvestre Varela e Beto nunca foram apostas no clube.
Penso que também será mais ou menos óbvio que ciclicamente existem gerações onde há mais qualidade e gerações com menos qualidade.
Excetuando a geração de 86, que dá 3 jogadores acima da média que foram aproveitados no plantel principal, embora em épocas diferentes, todas as outras gerações têm um aproveitamento de 0, 1 ou 2 jogadores.

Ps- Agradecia que deixassem o vosso feedback. Pode faltar um ou outro jogador que me tenha passado por isso agradecia que me alertassem.
« Última modificação: Dezembro 11, 2015, 14:35 pm por Leão de Eiras »
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.
Leão de Eiras boa análise.
Saleiro penso que fez mais de 30 jogos também.

Edit: Já agora aquele Lourenço, avançado, também não fez a formação cá?
« Última modificação: Setembro 03, 2014, 12:19 pm por fabio_f »
Leão de Eiras boa análise.
Saleiro penso que fez mais de 30 jogos também.

Edit: Já agora aquele Lourenço, avançado, também não fez a formação cá?

É verdade sim senhor. Mais um para 86.  :great:

PS- O Mané está lá apesar de não corresponder aos critérios porque é mais que certo que atingirá esses números esta época.

O Lourenço não atingiu os 30 jogos no campeonato. Também pertence à geração de 83
 
« Última modificação: Setembro 03, 2014, 12:26 pm por Leão de Eiras »
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.
O Boa Morte não é da geração do suinão, ou foi anterior? Não jogou na equipa principal mas andou no Lourinhanense antes de ir para o Arsenal e chegou à seleção principal.
O Boa Morte não é da geração do suinão, ou foi anterior? Não jogou na equipa principal mas andou no Lourinhanense antes de ir para o Arsenal e chegou à seleção principal.

Acabei de ver na wiki que é de 1977...
A de 93/94, apesar de não terem feitos os tais 30 jogos que abrange esta análise, é muito boa. Ilori, Dier, Bruma, Tobias, João Mário, Iuri, Wallyson, Chaby, Mané. Alguns só não fazem  ou fizeram os 30 jogos porque não querem e sonham alto demasiado cedo...
Só nao percebi é a parte da coincidência com o período Paulo Bento., como é que chegaste a essa conclusão?
Só nao percebi é a parte da coincidência com o período Paulo Bento., como é que chegaste a essa conclusão?

A maioria das gerações analisadas deram 1-2 jogadores à equipa principal. As razões deixo para cada um debater.  Falta de aposta, de qualidade, condições trabalho, má prospecção, etc.

Podemos analisar o problema de várias perspectivas.

Das gerações de 86 e 88 maior parte dos jogadores foram lançados por Paulo Bento. Sendo que só tiveste uma geração onde foram lançados tantos jogadores. Não faço qualquer análise valorativa. Nem todos tinham qualidade para lá estar mas para o bem ou para o mal foi a política adoptada.
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.
Só nao percebi é a parte da coincidência com o período Paulo Bento., como é que chegaste a essa conclusão?

A maioria das gerações analisadas deram 1-2 jogadores à equipa principal. As razões deixo para cada um debater.  Falta de aposta, de qualidade, condições trabalho, má prospecção, etc.

Podemos analisar o problema de várias perspectivas.

Das gerações de 86 e 88 maior parte dos jogadores foram lançados por Paulo Bento. Sendo que só tiveste uma geração onde foram lançados tantos jogadores. Não faço qualquer análise valorativa. Nem todos tinham qualidade para lá estar mas para o bem ou para o mal foi a política adoptada.

Eu sei que não estás a fazer avaliacão valorativa, mas creio que é mais interessante se colocares os jogadores pela data em que foram lancados para termos uma timeline e percebermos em maior detalhe quantos foram lancados e quando... porque o período Paulo Bento abranje 4 anos, portanto não é certo que tenha dado muito mais que 2 jogadores por ano em média a serem lançados. Podem ter existido outros períodos igualmente ou até mais produtivos neste aspecto, seria interessante ver quais.
Só nao percebi é a parte da coincidência com o período Paulo Bento., como é que chegaste a essa conclusão?

A maioria das gerações analisadas deram 1-2 jogadores à equipa principal. As razões deixo para cada um debater.  Falta de aposta, de qualidade, condições trabalho, má prospecção, etc.

Podemos analisar o problema de várias perspectivas.

Das gerações de 86 e 88 maior parte dos jogadores foram lançados por Paulo Bento. Sendo que só tiveste uma geração onde foram lançados tantos jogadores. Não faço qualquer análise valorativa. Nem todos tinham qualidade para lá estar mas para o bem ou para o mal foi a política adoptada.

Eu sei que não estás a fazer avaliacão valorativa, mas creio que é mais interessante se colocares os jogadores pela data em que foram lancados para termos uma timeline e percebermos em maior detalhe quantos foram lancados e quando... porque o período Paulo Bento abranje 4 anos, portanto não é certo que tenha dado muito mais que 2 jogadores por ano em média a serem lançados. Podem ter existido outros períodos igualmente ou até mais produtivos neste aspecto, seria interessante ver quais.

Há 2 razões objetivas para ter optado fazer dessa maneira.

1ª Quando pensei fazer esta análise o principal objetivo era conseguir mais informação para debater uma questão que está muito em voga no fórum. Os juniores, juvenis e iniciados são as piores gerações dos últimos anos? ( algo que já ouvi dizer aqui neste fórum). É claro que estes dados podem servir para muito mais do que isso, mas foi mais a pensar nessa situação que o fiz assim.

2ª Fazer uma lista de jogadores lançados por época em vez de por gerações seria bem mais trabalhoso. Não quer dizer que não conseguiria fazer mas tenho inúmeros tópicos que me tiram muito tempo (emprestados, transferências, análise da prestação dos jogadores (jornais).
O objetivo era deixar aqui um" aperitivo" para depois cada um ir juntando o seu contributo e abordar a questão pela perspetiva que quisesse.

De qualquer das maneiras, quanto à questão dos treinadores, penso que a maioria dos foristas terá mais ou menos a noção de quem lançou os jogadores na primeira equipa.

Como a tua sugestão é pertinente quando tiver mais disponibilidade (férias) tentarei acrescentar o ano em que foram lançados e se possível o treinador que lançou.

Assim tanto se pode debater a questão da qualidade geracional como o período de maior aposta na formação. As 2 coisas como é evidente estão relacionadas. Porque se não tiveres qualidade em que apostar não podes/ou não deves apostar.
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.

Excelente tópico, caro Leão das Eiras.

Fazendo um apanhado de jogadores anteriores a esses, seguindo os critérios dos 30 jogos pelo Sporting e/ou internacionalizações A, fiz esta lista:

1970 - Amaral, Marinho
1971 - Paulo Torres
1972 - Figo
1973 - Peixe, Porfírio
1974 - Nuno Valente
1975 - Tiago
1976 - Dani, Beto
1977 - Boa Morte
1978 -
Tópico atualizado com a inclusão do João Mário e do Eric Dier

@Paracelsus  Acrescentei o ano de lançamento e o treinador que lançou cada jogador.

Há jogadores que jogaram apenas 1 jogo com o treinador que os lançou. Nesses casos apesar de oficialmente o jogador ter sido lançado pelo treinador X foram realmente aposta mais tarde. Custódio e mais recentemente William Carvalho e João Mário são exemplos de jogadores que apenas jogaram 1 jogo com o treinador que os lançou.

PS- Gelson Martins, Matheus Pereira, Tobias Figueiredo e Ricardo Esgaio à medida que se aproximarem dos 30 jogos no campeonato serão acrescentados.
« Última modificação: Dezembro 09, 2015, 18:59 pm por Leão de Eiras »
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.
Excelente tópico!

Deixo mais uma achega: porque nenhum clube tem sucesso se apostar demasiado na formação?

Porque existe um fator aleatório brutal que inviabiliza esta opção com viável. Vamos a números:
- 40 jogadores jogaram pelo menos um minuto pela Selecção A nos anos de 2014 e 2015 (jogos oficiais).
- Considerando as 6 épocas habituais da formação, estes jogadores tiveram 40x6 épocas em camadas jovens, ou seja, 240 épocas. Destas, apenas 110 foram num dos 3 grandes.
- Se considerarmos o último ano de Junior, 25 em 40 estavam num dos 3 grandes no último ano de Junior.
- Mas o mais curioso, é que se considerarmos os último 10 anos como os anos atribuíveis para os jogadores seleccionados para a selecção A em 2014 e 2015 (na verdade são mais anos, mas vou escolher 10 porque não é demasiado frequente um jogador ser seleccionado antes dos 23 anos e depois dos 33), sairam dos 3 grandes, considerando apenas os 11 titulares, 33 jogadores por época, ou seja 330 jogadores. Destes, apenas 25 são agora seleccionáveis durante 2 anos para a Selecção, ou seja 7,5%. E atenção que refiro-me ao conjunto dos 3 grandes!

Em resumo: a probabilidade de um jogador saído de um grande ser uma efectiva mais valia é bastante baixa, andando provavelmente num valor entre os 3 e os 8%. Ou seja, normalmente, menos de um jogador por época por clube. O que não é muito diferente do que se lê neste tópico.

Há jogadores que jogaram apenas 1 jogo com o treinador que os lançou. Nesses casos apesar de oficialmente o jogador ter sido lançado pelo treinador X foram realmente aposta mais tarde. Custódio e mais recentemente William Carvalho e João Mário são exemplos de jogadores que apenas jogaram 1 jogo com o treinador que os lançou.


Quem lançou o João Mário foi o Domingos (num jogo contra a Lazio para Liga Europa).
Correcção:

1994 – Carlos Mané (Leonardo jardim 2014/20152013/14)
Não é nada de chocante. A verdade é que conseguir um aproveitamento regular de bons valores da formação é muito complicado. Nos últimos anos, temos tido bastante "sorte" na quantidade e qualidade dos valores que têm saído (William, João Mário, Esgaio, Tobias, Gelson, Matheus, Podence, Geraldes, Bruma, João Carlos, Ilori, Dier) mas é a excepção, não a regra.
Correcção:

1994 – Carlos Mané (Leonardo jardim 2014/20152013/14)

Corrigido.

Passou-me completamente!!!
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.

Há jogadores que jogaram apenas 1 jogo com o treinador que os lançou. Nesses casos apesar de oficialmente o jogador ter sido lançado pelo treinador X foram realmente aposta mais tarde. Custódio e mais recentemente William Carvalho e João Mário são exemplos de jogadores que apenas jogaram 1 jogo com o treinador que os lançou.


Quem lançou o João Mário foi o Domingos (num jogo contra a Lazio para Liga Europa).

@Moutinho-Kun

A data de lançamento tem em conta apenas os jogos do campeonato. Geralmente neste tipo de "trabalhos" tens sempre esse critério. Por exemplo, na revista de época do record, eles só contabilizam jogos do campeonato. Se for de todas as competições oficiais tens de ter em conta os jogos das >Competições europeias, Taça de Portugal, Taça da Liga e Supertaça. Também poderia ser mas complicava um pouco mais as coisas.
Sporting até morrer! Obrigada por me teres dado uma das maiores alegrias da minha vida, Campeão 1999/2000.
Porque não se faz uma análise de geração de onde saíram jogadores de qualidade? Por exemplo Illori, Bruma, Chaby, Iuri esse tipo de jogadores.

Ou já existe uma lista nesse sentido?
Alguém sabe como está o diogo grima a se desenvolver?