Menina não joga

0 Membros e 2 Visitantes estão a ver este tópico.

Isto é tudo muito subjectivo...

Só digo um nome, Marta Silva...

Esta tirava lugar a alguns do Sporting:








AHAH essa é a melhor jogadora do mundo..

Sem querer ser acusado de machismo, vocês viram bem o vídeo da Marta Silva? Acham que as meninas chutam com a mesma força dos homens? Acham que correm com a mesma velocidade? Acham que saltam tão alto como os homens? Acham que têm o mesmo poder de choque, fazem entradas com a mesma "virilidade" dos homens, fazem "pressing" com a mesma intensidade dos homens? :think:

Analisem bem e depois digam-me alguma coisa.
Gebeeme concordo contigo e até acho que isso das equipas mistas não faz sentido, faria sentido sim apoiar-se o futebol feminino da mesma forma que se apoia o masculino.
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
Gebeeme concordo contigo e até acho que isso das equipas mistas não faz sentido, faria sentido sim apoiar-se o futebol feminino da mesma forma que se apoia o masculino.

 :arrow: :arrow: :arrow: Nem mais. Apoie-se o futebol feminino, não se menorize a modalidade porque praticada por meninas e senhoras, dê-se-lhe as mesmas condições, bons relvados, bons estádios e infraestruturas e teremos um desporto de primeira grandeza como o é o futebol masculino.
« Última modificação: Junho 05, 2010, 13:11 pm por Gebeeme »
Sem dúvida porque se é verdade que lá fora há paises que dão boas condições , Portugal é de terceiro mundo no que toca a futebol/futsal feminino ..
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
Isso das condicões é verdade. Cá em Oliveira de Azemeís, os seniores masculinos militam na Liga Vitalis e jogam no Estádio Carlos Osório enquanto que as seniores femininas, que estão na 1ª divisão, e estiveram a tentar discutir o título, têm de jogar no sintéctico!  :wall:
Gebeeme concordo contigo e até acho que isso das equipas mistas não faz sentido, faria sentido sim apoiar-se o futebol feminino da mesma forma que se apoia o masculino.

 :arrow: :arrow: :arrow: Nem mais. Apoie-se o futebol feminino, não se menorize a modalidade porque praticada por meninas e senhoras, dê-se-lhe as mesmas condições, bons relvados, bons estádios e infraestruturas e teremos um desporto de primeira grandeza como o é o futebol masculino.

Vamos ser sérios...o futebol feminino é uma modalidade que interessa a pouquissimos...os apoios existem mas não são suficientes porque a maior parte tem que ser o publico a dar, não o Estado. Ou querem que o Estado pague tudo, incluindo obrigue as meninas a jogar (porque apenas uma pequena percentagem está interessada efectivamente em jogar a sério futebol), pague os equipamentos, pague os salários aos treinadores? Porque tudo o resto o Estado/Autarquias já paga: os estádios existem e podem ser usados, os apoios às deslocações podem ser usados...




@ Alemid

Desculpa mas não concordo contigo em tudo o que dizes. Se me dissesses que quando eu andava no liceu, há 30 ou 35 anos, as miúdas não se interessavam por ver, discutir ou jogar futebol, dizia-te que tinhas razão.

Mas isso agora não é assim. O futebol tornou-se um fenómeno tal que nem o belo sexo lhe vira as costas. Hoje quando olho para o estádio, há sectores que têm tantos homens como membros do sexo feminino. Há jovens senhoras que discutem tão bem futebol como homens, coisa que era impensável há 20 anos atrás.

As próprias televisões consideram um campeonato do Mundo de futebol feminino tão apetecível que o transmitem em directo.

Os EUA. o Brasil, os países nórdicos, têm equipas femininas fortíssimas, com excelentes resultados desportivos. Nos EUA, por exemplo, as escolas têm o "soccer" feminino como parte importante do seu programa desportivo escolar.

Agora, concordo contigo quando dizes que não pode ser só o Estado a tomar sob sua alçada a responsabilidade de dinamizar o futebol feminino. Mas pode fazer algo.

Pode, por exemplo, tornar o futebol feminino como desporto a ser integrado no programa nacional de desporto escolar. Aliás, actualmente, nas escolas, já se organizam regularmente dos campeonatos inter-turmas e há sempre equipas femininas a competir, e algumas até ganham a masculinas. Hoje há meninas em escolinhas de futebol, aliás que as coisas mudaram comprova-se até pela razão de ser deste tópico.

Quando há vontade...

Concordo que o interesse delas é muito maior agora, antes a "Maria" estava claramente separado do "Manel". Mas daí a eles terem interesse em efectivamente jogar, seja futebol, andebol, basquetebol, vai uma diferença enorme. Pensa um bocado sobre o que deu origem a este post: uma menina não consegue jogar futebol porque não há equipas femininas. E se não há, é porque não há atletas, treinadoras, nem interesse na modalidade. Tomemos como exemplo o futebol, se num jogo da II Liga nacional, ou até alguns da I, não estão nem 1000 adeptos presentes a ver, quantos estarão em jogos de futebol femininos caso houvesse, sei lá, 3 divisões nacionais de equipas femininas, com 16 + 32 + 100 equipas a nível nacional? Seria o mesmo panorama desolador que existe já hoje nas modalidades amadoras: estão 50 pessoas na bancada, a maior parte familiares dos jogadores.

Não é assim tão dificil criar uma equipa e começar a jogar competições a sério: basta falar com um clube qualquer da zona, que cederá certamente as instalações desportivas, e arranjar jogadoras, 1 treinador/a, 1 dirigente. O problema é que não se arranja nada disto porque não há massa critica, ou seja jogadoras suficientes. E se não se arranjam seniores (18 aos 40 anos), então imagina jogadoras das várias camadas etárias (juniores, juvenis, iniciados), que só têm 2 anos. Há mulheres, elas são tantas como os homens, não há é o minimo interesse delas em jogar, as que querem mesmo jogar e até têm habilidade são minimas. Pode ser que no futuro isso mude, há paises no mundo em que o futebol feminino tem tanto ou mais interesse que o masculino (EUA, Noruega), mas nesta altura isso não sucede, e por favor não peçam que seja o Estado a criar esse interesse.
Alemid, desculpe dizer-lhe mas não faz ideia do que está a falar.

Concordo que o interesse delas é muito maior agora, antes a "Maria" estava claramente separado do "Manel". Mas daí a eles terem interesse em efectivamente jogar, seja futebol, andebol, basquetebol, vai uma diferença enorme. Pensa um bocado sobre o que deu origem a este post: uma menina não consegue jogar futebol porque não há equipas femininas.
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
Alemid, desculpe dizer-lhe mas não faz ideia do que está a falar.

Concordo que o interesse delas é muito maior agora, antes a "Maria" estava claramente separado do "Manel". Mas daí a eles terem interesse em efectivamente jogar, seja futebol, andebol, basquetebol, vai uma diferença enorme. Pensa um bocado sobre o que deu origem a este post: uma menina não consegue jogar futebol porque não há equipas femininas.

Eu também acho que não há propriamente muito interesse. Vejo na minha zona que existia uma equipa de Rugby feminino e este ano teve que fechar as portas pois não tinham jogadoras suficientes.
E não tinham jogadoras porquê? Convém pensar nisso antes de falar.
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
E não tinham jogadoras porquê? Convém pensar nisso antes de falar.

Porque não tomaram a iniciativa de aparecerem nas captações e muitas desistiram quando subiram de escalão.
Muitas desistem porque muitas vezes os clubes são longe de casa, não tem apoios e sente-se que o esforço é em vão porque nunca vão ganhar nada com isto (não estou só a falar de dinheiro).
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
Muitas desistem porque muitas vezes os clubes são longe de casa, não tem apoios e sente-se que o esforço é em vão porque nunca vão ganhar nada com isto (não estou só a falar de dinheiro).

E porque é que não optas pela causa mais comum que é a falta de vontade em praticar desporto federado? É que eu por acaso conheço algumas miúdas que lá andavam.
Alemid, desculpe dizer-lhe mas não faz ideia do que está a falar.

Concordo que o interesse delas é muito maior agora, antes a "Maria" estava claramente separado do "Manel". Mas daí a eles terem interesse em efectivamente jogar, seja futebol, andebol, basquetebol, vai uma diferença enorme. Pensa um bocado sobre o que deu origem a este post: uma menina não consegue jogar futebol porque não há equipas femininas.

Podes tratar-me por tu  ;)

Vou reformular: não há equipas femininas suficientes em Portugal, porque não há meninas suficientes interessadas em jogar. Caramba, não é disso que fala o post que dá origem a toda esta discussão?

Alemid, desculpe dizer-lhe mas não faz ideia do que está a falar.

Concordo que o interesse delas é muito maior agora, antes a "Maria" estava claramente separado do "Manel". Mas daí a eles terem interesse em efectivamente jogar, seja futebol, andebol, basquetebol, vai uma diferença enorme. Pensa um bocado sobre o que deu origem a este post: uma menina não consegue jogar futebol porque não há equipas femininas.

Podes tratar-me por tu  ;)

Vou reformular: não há equipas femininas suficientes em Portugal, porque não há meninas suficientes interessadas em jogar. Caramba, não é disso que fala o post que dá origem a toda esta discussão?



Falando no futebol/futsal eu conheço muitas raparigas que não jogam pela causa que eu já falei aqui.
Por exemplo em Espanha as jogadoras federadas em idade escolar tem um forte apoio dos seus clubes, treinam todos os dias, fazem estágios e tudo mais.
Cá a época começa em setembro com uns torneios, tens os campeonatos de cada associação, a taça nacional para os clubes campeões e depois acabas a época em junho/julho conforme os torneios que tiveres.
A minha equipa por exemplo acaba a época em julho com um torneio em Espanha mas é tudo pago do nosso bolso não há ajudas nenhumas.
A minha paixão pelo futsal está acima de tudo e tenho a minha mãe a apoiar-me mas nem sempre é assim e muitas vezes não dá para conciliar horários de escola/faculdade/trabalho com os treinos e acaba-se por desistir.
Não é por falta de interesse acreditem ;) mas respeito a vossa opinião !
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
Claro, aqui todos temos que respeitar as opiniões dos outros, ninguém é dono da verdade e é assim que se aprende.  :D

Dizes que em Espanha há apoios dos clubes, aqui os clubes também existem, e dão o dinheiro que podem dar.
Dou-te o exemplo que conheço, do Feirense. Tem futebol de 11 (II Liga, profissional), 18 equipas de futebol de formação, 1 equipa feminina, 1 equipa de veteranos; depois tem umas 6 equipas de andebol, 1 de natação (mista), 1 de cicloturismo, 1 de ginástica (mista). Todas as modalidades têm alguns subsidios do Estado e da Câmara. Coisa pouca, claro. O resto, têm que se desenrascar, sejam os pais, seja arranjando publicidade, seja fazendo rifas. Eles é que têm que arranjar o dinheiro. Mas arranjam.

O que dizes sobre o teu amor ao desporto, que não desisites porque gostas e porque a tua mãe compreende e entra com o dinheiro é o mesmo que se pode dizer destes 600 atletas do Feirense que estão na mesma situação. E é verdade para os milhares de desportistas em todo o país. Dá-se mais apoio às modalidades profissionais, que são uma gota de água em termos de numero de praticantes, as modalidades amadoras são isso mesmo, amadoras, é suposto não ganharem dinheiro nem terem dinheiro para aventuras. Se há dinheiro para fazer jogos de fim de época em Espanha, óptimo, é porque se esforçaram a arranjar o dinheiro e conseguiram fazer isso. Se não há dinheiro, não o fazem.

O que me parece é que reclamas que esses apoios sejam maiores, que é o Estado que tem que "entrar" com a massa, e eu acho que não, já chega de ser o Estado a apoiar tudo e todos, este pais nao avança sem o subsidio, o "apoio". Em Espanha ajudam? Pois, o défice deles ainda é pior que o nosso.




« Última modificação: Junho 08, 2010, 13:37 pm por alemid »
Mas eu não acho que tem de ser só o estado a entrar com o dinheiro, acho que a própria federação o deveria fazer. A iniciativa tem de partir deles para que as pessoas vejam o desporto feminino com outros olhos e apoiem da mesma forma.
Não sei se acompanha o futebol feminino mas há jogadoras com bastante qualidade e nada inferiores a equipas como o EUA ou as nórdicas. Falo em qualidade técnica porque no resto elas são mais evoluidas.
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
@ SCasanova

É sempre bonito ver alguém defender as suas ideias com pundonor, com tenacidade, com capacidade de argumentação apoiada em conhecimento da matéria. Ainda é mais bonito que seja uma jovem, aqui no meio de tantos galifões. Os meus parabéns.  :clap: :clap: :clap: :clap:

Agora uma brincadeirinha:

As jogadoras nórdicas e dos EUA podem ser umas latagonas. Algumas têm mais massa muscular que o Messi, por exemplo.

Mas a jogadoras portuguesas são muito mais giras.  ;D
Obrigado Gebeeme :great:

Claro que sim e se em campo podemos não ser muito femininas cá fora podemos ser mulheres tão bonitas como as que não jogam futebol. Não nego que tenho um estilo mais desportivo mas ainda sou miuda e há que aproveitar a juventude :mrgreen:
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!