O que é que lêem, nestas noites...?

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.




A ler o:

Resistir é preciso. Memória do tempo da morte civil do Brasil de Alípio Freitas.

SINOPSE
É o testemunho de um militante político que sobreviveu à tortura e à prisão, é a denúncia de um tempo em que os falsos pressupostos de uma doutrina, chamada de segurança nacional, se cravaram como garras no corpo social da nação, dilacerando-a bárbara e impunemente. É a afirmação de que se alguém está disposto a morrer por aquilo em que acredita, pode ser triturado pela máquina do terror, que a sua condição de homem sobrevive, pois todo homem pode manter-se VIVO enquanto resistir. É um libelo contra a opressão como forma de vida política, contra o silêncio das mordaças, contra todos os processos de aviltamento do homem, contra a corrupção ideológica erigida em serviço da comunidade. É a constatação de como o arbítrio avilta os homens e as instituições, corrompendo-os pelo abuso do poder, pela falsa certeza da impunidade, pela imposição imoral de uma vontade sem limites, pelo silêncio indigno, pela conivência criminosa, pela omissão filha do medo. É a memória de um tempo de guerra em que a sociedade civil foi pacificada pelo aço das baionetas, em que o silêncio do terror teve de ser aceitado como paz social. É um depoimento tecido de todos os sentimentos que fazem a urdidura da alma humana. Por isso nele se misturam o ódio, o medo, o desespero, a amargura, a tenacidade, o aviltamento, a fraqueza, o amor, a esperança. Apesar de narrar uma experiência pessoal, pode ser lido como um pedaço da história de cada um, ou de todos aqueles que, direta ou indiretamente, foram atingidos pela repressão política que se abateu sobre a nação a partir de 1964.


Resistir é Preciso
Memória do tempo da morte civil do Brasil
de Alípio de Freitas

Edição ou reimpressão: 02-2017
Editor: Âncora Editora
Idioma: Português
Páginas: 340
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Biografias


Oráculo caído em desgraça.
Sócio SCP desde 1983.


 Vou começar a ler o Auto-de-fé do Canetti. Muitas boas críticas, está classificado como um dos grandes livros do século XX e que marcou uma época onde a guerra ideológica imperava. Esta versão tem um tipo de letra um bocado pequeno, mas dado o tamanho do livro, certamente teve que ser assim para o tornar mais confortável de ler. Veremos o que sai daqui.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp

Recomendo a todo os genuinamente interessados pela história da URSS (com a natural excepção de @LISBON1906), a leitura da mais recente biografia de Lavrenti Béria, chefe da polícia política de uma das mais sanguinárias ditaduras do século XX

A longo de quase 200 páginas, José Milhazes descreve o percurso tortuoso de um crápula destituído de escrúpulos, instrumento eficaz ao serviço de Estaline e do Terrorismo de Estado soviético.

Cínico, hipócrita, carreirista, torcionário, predador sexual, são alguns dos traços de personalidade desta figura odiosa, que acabou por provar do seu próprio veneno, sendo condenado e fuzilado sob a falsa acusação de traidor e espião ao serviço dos inimigos da União Soviética.



Estive aqui a pensar, o que é que recomendam em termos de literatura sobre o clube?

Fiz a mesma pergunta no tópico Loja Verde mas ninguem respondeu, talvez aqui alguem diga algo.  :inde:
"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
Bem; a melhor literatura sobre o Sporting é a Wiki Sporting  :mrgreen:

Um livro interessante é o Uma história diferente da Marina Tavares Dia
Bem; a melhor literatura sobre o Sporting é a Wiki Sporting  :mrgreen:
Um livro interessante é o Uma história diferente da Marina Tavares Dia
Tenho esse.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
 O Acto-de-Fé é um bom romance. Denso, muito psíquico e um registo verdadeiro de uma Europa cadavérica que vivia entre extremos políticos ideológicos. Uma Europa que fugia de si própria, que se escondia e que no entanto produzia uma densidade de obras que viriam a marcar todo um século com uma história poderosíssima. O Elias Canetti banalizou o papel da mulher na década de trinta do século passado e hoje seria uma obra barrada pelas editoras, pela crítica e por toda uma força política que condiciona a produção intelectual. Quem quiser dar uma oportunidade, força. Vão precisar.

 

 Vou agora novamente para o Eça, um Eça ainda bastante jovem.

 

 Gosto do estilo. Por isso volto com prazer a este senhor e voltarei sempre as vezes que forem necessárias.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Bem; a melhor literatura sobre o Sporting é a Wiki Sporting  :mrgreen:
Um livro interessante é o Uma história diferente da Marina Tavares Dia
Tenho esse.


Desconhecia a existência desta obra, 10€, vou comprar  :great:
Bem; a melhor literatura sobre o Sporting é a Wiki Sporting  :mrgreen:

Um livro interessante é o Uma história diferente da Marina Tavares Dia

A wiki é a biblia que consulto várias vezes para a reza antes da cama.  :mrgreen:
"Para mim , o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres , mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!" - Ivone De Franceschi
Bem; a melhor literatura sobre o Sporting é a Wiki Sporting  :mrgreen:
Um livro interessante é o Uma história diferente da Marina Tavares Dia
Tenho esse.

Desconhecia a existência desta obra, 10€, vou comprar  :great:
Penso que paguei mais pelo meu.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
 Acabei o Mistério da Estrada de Sintra. Apesar de estar com o Ramalho Ortigão, ex-professor do Eça, a obra é toda ela característica do estilo pormenorizado, elegante e sublime do Eça de Queirós. Gostei como anuncia e depois descreve todo aquele mistério. É um prazer ler este senhor da escrita, é óptimo para construir um bom léxico.

 

 Agora vou para este:

 

 Conheci-o aqui no Fórum. Espero que possa acompanhar os elogios que li a esta obra. Esta versão que tenho, tem um tamanho de letra bastante miúdo e será um exercício exigente para os olhos, ler toda a obra. Adquiri online e corremos sempre este risco, quando falta um trabalho de observação pré-compra.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Li o do John Keegan e gostei (há todavia bastantes frases que o tradutor podia ter afinado, para efeitos de fluência). Não li o do Martin Gilbert.

A qualidade da tradução no livro do Martin Gilbert é igualmente fraca.
@Chown , o quo vadis é uma narrativa extraordinária e soberbamente cativante. E o ideologia e razão de estado está a andar ou não?  :mrgreen:


Ainda ando entretido com as últimas aquisições e vou intervala-las com "não contem com o fim dos livros" que é uma transcrição de uma conversa do Umberto Eco com outro senhor. Nunca tinha ouvido falar, mas vi-o numa livraria e meti-o debaixo do braço.

A revolução do algoritmo mestre, de um compatriota nosso, é outro que está à espera que acabe uma leitura histórica.
 @Hayek, nem por isso. Mas um dia anda, à razão do Estado.  :mrgreen:
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
 A biblioteca privada de José António Saraiva vai ser leiloada.

 Excelente oportunidade, para quem pode investir uns cobres. Acredito que haja ali obras de valor.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
 Quo Vadis? é um livro muito bom. Levou-me para a infância, quando consumia os filmes sobre Roma com grande entusiasmo.



 Vou agora para este:

“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
As Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. Excelente. Excelente. Ironia refinada, comediante num estilo próprio, um livro original, que recorre a um defunto para escrever memórias e onde há crítica social, filosofia humanista, política. Destaco esta frase: "(...) o vício é o estrume da virtude. (...)". Ou então, "(...) a inveja é assim uma virtude. (...)". Usa e abusa desta forma descomplexada, leve e aparentemente vazia para falar (escrever). 

Estou agora neste:




Entretanto, comecei igualmente a ler também este:

“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Li recentemente Mastermind da Maria Konnikova e o  Algoritmo Mestre do Pedro Domingos.De momento estou a ler o novo livro do Jordan Peterson: 12 rules for life  e a biografia de Elon Musk.
Algoritmo Mestre do Pedro Domingos

 Qual a tua opinião?

 
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Algoritmo Mestre do Pedro Domingos

 Qual a tua opinião?
 É muito bom,muito bom mesmo,cheio de informação interessante e relevante,super exaustivo no estudo que faz das diferentes teorias acerca do Algoritmo Mestre,contudo está longe de ser um livro para todos como o autor o descreve.Acho que quem não tem boas bases a nível matemático  não retira muito do livro porque tem conceitos bastante complicados e a linguagem utilizada acaba por ser bastante técnica por muito que o autor se esforce para tornar o livro mais acessível.
     Posto isto,é um excelente livro para quem quer perceber mais sobre a aprendizagem automática mas só quem tem uma boa preparação e bases matemáticas é que vai retirar tudo aquilo que o livro tem para oferecer.