O que é que lêem, nestas noites...?

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

@ daniel

tenho a ideia de ter visto há uns tempos (já há uns anos) na RTP2 um documentário sobre D pedro V e de terem dito que, na altura de uma epidemia de febre amarela, ele fazia visitas regulares aos hospitais.

desculpem o offtopic  :great:

The past is now part of my future,the present is well out of hand Ian Curtis, Heart and Soul
Tinha comprado há uns tempos o Deus das Moscas de William Golding, e ontem, dia de anos, recebi o primeiro da trilogia Millenium do Stieg Larsson, O Terceiro Gémeo de Ken Follett, Guerra dos Tronos de George Martin e Abraço de José Luís Peixoto.

Alguém já leu o Deus das Moscas ou O Terceiro Gémeo? O resto já é mais do que conhecido. :)

Já li o Terceiro Gémeo (e já vi a adaptação televisiva que fizeram). É um livro ao jeito do Ken Follett, thriller/suspense puro, com um bom gancho narrativo e um enredo do tipo "conspirativo/secreto" como em quase todas as histórias do Follett (os Pilares da Terra devem ser a excepção). Se gostas de histórias do género Dan Brown, mesmo que não tenham aquelas implicações mundiais ou conspirativas desde Moisés até aos tempos modernos, então vais gostar desse.

Lêem-se bem, apesar de Dan Brown ter vindo a descer na minha consideração. Não sei se ele próprio anda a facilitar ou se sou eu que ando mais exigente. Vai ser o meu primeiro de Follett, a ver vamos como corre. :)


Tenho-me por um jovem que conhece de alguma forma a história de Portugal. Afinal, não é bem verdade, porque desconhecia os contributos deste rei, muito inteligente e ligado ao povo. E é fascinante a similaridade entre a classe política de então e a de hoje, ambas inúteis e preocupadas apenas em promoverem-se a eles mesmos. Em Portugal, a história repete-se como em mais lado nenhum.


 :arrow:
Também estou a ler.
É espantosa a incapacidade, a rapacidade e o abandono que então e agora os politicos assolavam o país.
Retrato implacável de Ruben Andresen Leitão. Estou a meio e é livro duma escrita limpida, enxuta.
Dele já lera A Torre da Barbela, muitissimo bom, e Kaos (salvo erro), a precisar de releitura (obra sacrilega sobre o 25 Abril).
QUERO    UM   SPORTING
CREDÍVEL  -  LIMPO  -  AMBICIOSO


Espectacular livro para compreender este confronto entre deuses económicos. O autor divide o livro em duas partes: a primeira faz uma síntese das relações diplomáticas entre os EUA e a China desde 1969, no qual relata inúmeros casos curiosos, como os vícios de Mao e os problemas entre a China e a União Soviética; a segunda retrata como actua presentemente a China em várias vertentes: económica, militar, diplomática, etc.

Curiosa a abordagem às finanças públicas chinesas, cujos mecanismos de contabilidade alternativos, de acordo com o autor, que argumenta utilizando uma tese de uma universidade norte-americana, impedem a dívida pública chinesa de atingir o seu valor real, uns exorbitantes 100% do PIB, em contraponto aos oficiais 30%, quase toda ela criada por causa da resposta governamental chinesa à crise financeira de 2008, no qual o governo injectou na economia chinesa cerca de 600 mil milhões de dólares, ao mesmo tempo criando 8000 novos bancos. Em dados de 2010 (estão desactualizados, importa referir, até porque o livro afirma que a China ultrapassará os EUA em 2025, quando as últimas estimativas apontam para 2018), a dívida brutal da China é de 200%, enquanto que a dos EUA é de 240%. Fica clara, no livro, sempre fundamentado com números, a ideia de que a China esconde um problema económico grave.

Espectacular e factual a ligação entre o passado, no qual todas as potências, a em declínio e a em ascensão, sempre guerrearam, e o presente, no qual a potência em declínio (EUA) se vê perante a ascendente (China).

A situação financeira da China é de facto preocupante. São muitos os analistas que esperam uma implosão económica em 2012, fruto da bolha imobiliária.

@ daniel

tenho a ideia de ter visto há uns tempos (já há uns anos) na RTP2 um documentário sobre D pedro V e de terem dito que, na altura de uma epidemia de febre amarela, ele fazia visitas regulares aos hospitais.

desculpem o offtopic  :great:

Sim, o livro relata esse acontecimento. Foi o único dos poderosos, de gente ligada à monarquia ao nobreza e ao clero, que rejeitou abandonar Lisboa.

Atitude espectacular. Pena não ter consolidado o seu reinado, pois morreu novo, com 24 anos. Muitos azares. A rainha morreu 1 ano após o casamento, também por doença. Fica um rei demasiado avançado para o país e, principalmente, os políticos.
« Última modificação: Janeiro 11, 2012, 13:00 pm por Chev Chelios »


Tenho-me por um jovem que conhece de alguma forma a história de Portugal. Afinal, não é bem verdade, porque desconhecia os contributos deste rei, muito inteligente e ligado ao povo. E é fascinante a similaridade entre a classe política de então e a de hoje, ambas inúteis e preocupadas apenas em promoverem-se a eles mesmos. Em Portugal, a história repete-se como em mais lado nenhum.



que é que achaste?

eu estava mais inclinado a comprar este aqui
felipe adão,

gostei bastante do livro. É um livro pequeno, não tem mais de 130 páginas, escrito por um professor de História que se confessa ser um admirador de D.Pedro V e que utiliza o livro para contrariar as teses que afirmam que o rei D.Pedro V não foi nada de especial, pelo contrário - o historiador morreu em 1974, já agora. O reinado foi curto, tumultuoso, mas é um rei cuja base intelectual e lealdade para com o povo merecem ser estudadas - as idas de D.Pedro V ao estrangeiro, registadas minuciosamente por ele, demonstram-no. Esse livro que aí colocas faz parte da colecção Reis de Portugal, e costumam ser livros com algum tamanho, para cima das 250 páginas e com uma escrita densa (tal como o do D.Pedro V que eu li). É uma questão de leres uma pequena biografia sobre o rei e veres se vale a pena ler um livro grande, porque, como disse, o reinado foi curto, assim como rei, que morreu muito novo. Na biografia que li, o autor dá a entender que a modernização de Portugal começa com D.Pedro V, e talvez um livro de maior dimensão sobre o rei procure explicar melhor as evoluções encetadas ou propostas durante o reinado dele.

O livro que li custou 15€, acho eu, os da colecção que expões andam à volta dos 25€, 30€, correcto? É uma questão de ver qual deles tem mais valor, mas a colecção Reis de Portugal, do qual já li a de D.Afonso Henriques, é muito boa.

Estou a pensar em ler mais uns quantos livros dessa colecção.

Se gostas de livros sobre a História de Portugal, recomendo este:



A colecção continua.


« Última modificação: Janeiro 12, 2012, 09:55 am por Chev Chelios »
Gostei bastante deste livro. Conta-nos a relação entre um carteiro da localidade e Pablo Neruda, a admiração profunda do primeiro pelo segundo. E conta-nos também o Chile de Allende, terminando o livro quando Allende é deposto por Pinochet (embora este nome nunca seja mencionado). Livro com apenas 140 páginas, capítulos muito curtos, na maior parte das vezes pouco densos, capacidade de escrita (caracterização, acima de tudo) soberba. Lê-se fácil e rapidamente. Terminei-o num dia. Livro pequeno mas profundo, com relações que o leitor consegue viver tão bem quanto as personagens. Excelente para leitores que apreciam boa literatura, fenomenal para leitores com inclinações socialistas, porque a personagem principal é um ávido defensor de Allende.

Esta edição faz parte da colecção Bis Leya, livros de bolso. Este custou 5,95€, penso que, apesar de pequeno (nesta mesma colecção, um livro com mais de 350 páginas é apenas 2€ mais caro), vale a pena.

Esta colecção inclui grandes nomes da literatura: Kafka, Le Carré, Salman Rushdie, António Lobo Antunes, José Saramago, Arthur Conan Doyle, J.M Coetze, Mario Vargas Llosa, Edgar Allan Poe, entre outros.

« Última modificação: Janeiro 13, 2012, 10:51 am por Chev Chelios »
felipe adão,

gostei bastante do livro. É um livro pequeno, não tem mais de 130 páginas, escrito por um professor de História que se confessa ser um admirador de D.Pedro V e que utiliza o livro para contrariar as teses que afirmam que o rei D.Pedro V não foi nada de especial, pelo contrário - o historiador morreu em 1974, já agora. O reinado foi curto, tumultuoso, mas é um rei cuja base intelectual e lealdade para com o povo merecem ser estudadas - as idas de D.Pedro V ao estrangeiro, registadas minuciosamente por ele, demonstram-no. Esse livro que aí colocas faz parte da colecção Reis de Portugal, e costumam ser livros com algum tamanho, para cima das 250 páginas e com uma escrita densa (tal como o do D.Pedro V que eu li). É uma questão de leres uma pequena biografia sobre o rei e veres se vale a pena ler um livro grande, porque, como disse, o reinado foi curto, assim como rei, que morreu muito novo. Na biografia que li, o autor dá a entender que a modernização de Portugal começa com D.Pedro V, e talvez um livro de maior dimensão sobre o rei procure explicar melhor as evoluções encetadas ou propostas durante o reinado dele.

O livro que li custou 15€, acho eu, os da colecção que expões andam à volta dos 25€, 30€, correcto? É uma questão de ver qual deles tem mais valor, mas a colecção Reis de Portugal, do qual já li a de D.Afonso Henriques, é muito boa.

Estou a pensar em ler mais uns quantos livros dessa colecção.

Se gostas de livros sobre a História de Portugal, recomendo este:



A colecção continua.




também tenho uma edição da história de portugal do oliveira marques, mas julgo que é diferente dessa. é um livro que vou consultando.

da colecção dos reis de portugal, já li dois: d. afonso henriques (josé matoso) e d. joão ii (adão da fonseca) e, embora sejam diferentes na estrutura e na organização gostei bastante de ambos. claro que as fontes e a quantidade de material disponível sobre estes reis, um do séc xii outro do xv, é bastante diferente mas gostei da forma como os historiadores estruturam a biografia dos personagens e a enquadram no contexto político, não só nacional, da época.


Livro que estuda, embora superficialmente, o percurso académico de Paulo Azevedo, actual CEO da Sonae, e o modelo de gestão que ele implementou após substituir Belmiro de Azevedo.
Últimas leituras:

´



Estou agora a ler:





Para quem gosta de livros de qualidade e a preços acessíveis, vão ser editados na segunda-feira que vem vários livros de qualidade, sob a marca Bis Leya:



Vou certamente adquirir os três livros de ficção aí dispostos. Anseio há muito pelo terceiro livro da saga Millennium, assim como por ler um livro de Murakami, ele que é tão elogiado.
@ Chev Chelios,

O que é que achaste desse do Gonçalo Tavares?
@ Chev Chelios,

O que é que achaste desse do Gonçalo Tavares?

Se já leste algum livro dele, é puro estilo Gonçalo M. Tavares. É um livro que se lê muito facilmente. É pequeno. Trata-se pouco de uma obra de enredo, mas antes do ser humano, de como este vivencia determinadas situações. A sociedade em que está inserida a personagem do livro é também um aspecto interessante. Tem aspectos que, embora muito menos profundos, porque é secundária em relação à personagem, fazem recordar o livro 1984. É uma sociedade oprimida e em constante guerra.

Este livro que eu li dele aglutina duas obras diferentes, atenção. Eu li apenas a primeira parte, até porque já tinha lido a segunda (A Máquina de Joseph Walser).

Se recomendo? Só para quem gosta do estilo literário do autor. Estamos a falar de um estilo de escrita que faz, do ponto de vista da sintaxe, lembrar Saramago. Já leste José Luís Peixoto? A escrita é similar, embora Gonçalo M. Tavares escreva de forma menos densa. Os parágrafos são curtos, assim como as frases, o que torna a leitura fácil e rápida, sem que no processo as ideias não sejam captadas  pelo leitor.

Como se trata de, no caso particular deste escritor, ler obras pequenas (estas de a série O Reino, onde estão incluídas estas e outras, como a muito premiada obra "Jerusalém", são pouco extensas), recomendo, porque acho que é importante um leitor experimentar diferentes tipos de escrita.

Para quem lê muito, qualquer uma destas obras contidas neste livro se lê de forma rápida, tipo 1, 2 dias.

Recomendo a leitura do livro "Desgraça". Embora o leitor sinta que o fim seja um pouco prematuro, todo o livro é muito interessante. Gosto muito de livros que combinam a realidade com a componente ficcional. É bom aprendermos algo ao mesmo tempo que usufruimos de uma experiência. No caso desta obra, o leitor percebe como é a África do Sul pós-Apartheid. E como é um livro inserido na colecção Bis Leya, portanto monetariamente acessível, assim como é uma obra pequena e portanto fácil de transportar e de ler, melhor ainda!

Já agora, fica aqui a minha lista de leitura de ficção, por ordem (como tenho muitos livros, fiz uma lista para não perder muito tempo a escolher qual o livro que vou ler a seguir) - nome do livro/autor:

Irmã   Rosamund Lipton
Histórias Falsas   Gonçalo M. Tavares
Millennium 3   Stieg Larsson
O Sentido do Fim   Julian Barnes
A Estrela do Diabo   Jo Nesbo
Sputnik, Meu Amor   Haruki Murakami
Jerusalém   Gonçalo M. Tavares
O Coração das Trevas   Joseph Conrad
Rio das Flores   Miguel Sousa Tavares
Outro   Outro
Os Cus de Judas   António Lobo Antunes
A Queda de um Anjo   Camilo Castelo Branco
O Vale da Paixão   Lídia Jorge
Livro   José Luís Peixoto
Cartas Vermelhas   Ana Cristina Silva
O Último Cabalista de Lisboa   Richard Zimmler
D.Sebastião e o Vidente   Deana Barroqueiro
Outro   Outro
Guerra e Paz   Tolstoy
Não te Deixarei Morrer, David Cr.   Miguel Sousa Tavares
O Homem no Castelo Alto   Philip K. Dick
Gente Pobre   Dostoevsky
Corre, Coelho   John Updike
Deste Lado da Luz   Colum McCann
À Espera no Centeio   J.D Salinger
Versiculos Satânicos   Salman Rushdie
Outro   Outro
Liberdade   Jonathan Frazen
A Ponte Invísivel   Julie Orringer
Lisboa, Um Melodrama   Leopoldo Brizuela
Aprender a Rezar na Era da Téc   Gonçalo M. Tavares
Por Quem os Sinos Dobram   Hemingway
Outro   Outro
« Última modificação: Janeiro 29, 2012, 03:34 am por Chev Chelios »
Obrigado, vou ver se compro. "Jerusalém" já li, e gostei.

Se gosto de JLP? É o meu escritor preferido!

Esse "Livro" é muito bom (foi o primeiro que li dele), mas o "Nenhum Olhar" é qualquer coisa de sublime.

Difícil de descrever, difícil de caracterizar, mas a forma como a história é contada, e a escrita que se vive (não consigo dizer de outra forma) vinda do livro impressionou-me.
Ando à algum tempo para ler Gonçalo M. Tavares, até porque ele partilha em comum com alguns dos meus escritores portugueses favoritos o facto de ter ganho o Prémio Saramago. Até agora li JL Peixoto (provavelmente o meu favorito), valter hugo mãe e João Tordo e gostei de todos.

Dos últimos lidos Livro do JL Peixoto deu para matar saudades da sua escrita e apesar de ser um livro de crónicas e textos "soltos", acaba por ter uma certa linha narrativa bibliográfica que dá mais coesão ao livro. Acho que já tinha dito, mas se for o 1ºdele que vão ler, então comecem pelos romances, principalmente pelo NEnhum Olhar, como disse o Gonçalobcorreia.

Também li este


Gostei, apesar de não ter achado tão coeso como O Fiel Jardineiro, que tinha sido o único dele que tinha lido. Talvez o facto deste vir no seguimento dos livros sobre o período da Guerra Fria, como A Gente de Smiley ou o Tinker Tailor Soldier Spy
, explique o facto de as personagens às vezes caírem no meio da narração um bocado do nada. Achei que no O Fiel Jardineiro se criava uma maior empatia com as personagens e isso também ajudava à história.

Para quem goste deste tipo de romances e conheça ou queira conhecer o escritor, aconselho.

No inicio do ano li


Livro sobre o amor e a família, principalmente a vontade de ser pai. Mais uma vez se vê que o que interessa nos livros de VHM (um pouco como no JL Peixoto) é que não interessa tanto a história, mas sim as emoções e as personagens utilizadas para as transmitir, a história para ser só um veículo para esse fim.
Apesar de ter gostado mais do livro anterior, A Máquina de fazer Espanhóis não acho que este não lhe fique nada a trás.

Agora estou a ler O Bom Inverno do João Tordo, que já tem uma escrita completamente diferente dos autores anteriores. Muito mais focado na história e na elaboração da intriga, geralmente recorrendo a eventos paralelos que no fim se entrelaçam para uma revelação final.

Já agora sobre as colecções de livros de bolso, descobri que a Europa-América tem uma livraria em Lisboa (ao pé do Saldanha) e quando passei por lá por alturas do natal tinham grande parte dos livros a 50%.
Conclusão: os livros de bolso, colecção completissima, que vai de Dostoiévski, Tolstoi, Le Carré a Eça de Queirós ou Camilo Castelo Branco, estavam todos a 3€/3.5€. Já não há desculpa para quem quer ler os clássicos, mas não quer pagar 15 ou 20 € por calhamaços do tamanho da bíblia...
Deixo aqui uma recomendação:

Acabei de saber que vai haver filme lá 2013 (com o Harrison Ford) de um livro que li há uns anos e se tornou um dos meus best-of de sci-fi. Trata-se de "Ender's Game" de Orson Scott Card.

Depois de Ender's Game foram publicadas várias sequelas, mas o livro é stand-alone (e foi redigido como tal), por isso se gostarem do género fantástico/sci-fi aproveitem para o ler antes que saia o filme. É um livro que venceu o Prémio Nébula e Hugo, dois dos mais conceituados prémios de Sci-Fi, por isso tem selo de qualidade. :great:

Já agora, li a versão inglesa, não sei se a tradução para português é boa ou rasca. :inde:

diogoalvalade88,

eu comprei um livro do Valter Hugo Mãe, o O Apocalipse dos Trabalhadores, mas ainda não me apeteceu ler o livro. Sei que ele venceu o Prémio Saramago (assim como Tordo e Gonçalo M. Tavares). Sinceramente, nem é preciso saber que o venceu, até porque a escrita de VHM é saramaguiana, por assim dizer, com aquele aspecto individual de não existirem maiúsculas.

Paracelsus,

és fã de Ficção Científica, então! Também sou, embora não leia um livro de Sci-Fi há muito tempo. Andei viciado durante uns boas semanas numa quintologia chamada Orphan, de um autor chamado Robert Buetnner. Li os três primeiros, gostei, mas deixei-os de lado para ler um outro livro qualquer.

Recomendo um livro que é capaz de ser melhor do que o famoso Starship Troopers, de Heinlein, o Armor, de John Steakley. Li também o primeiro livro da adaptação literária da saga Gears of War (jogos de consola). Está muito boa.

Não vou ler qualquer livro de Sci-Fi nos próximos tempos, todavia.

Existe um género literário que muitos de vós, se não o fizeram já, gostariam de experimentar: História Alternativa. Li três ou quatro livros desse estilo. Um dá a Alemanha Nazi como vencedora da II GM (From Mine Enemies, de Harry Turtledove), outro trata o mundo numa sociedade comunista (The Gladiator, de Harry Turtledove), outro retrata uma táctica de guerra japonesa alternativa à real, onde no livro os japoneses invadem o Hawai (1942, de Robert Conroy), e o muito famoso Fatherland, de Robert Harris (autor do recentemente adaptado a cinema "Escritor Fantasma), no qual a Alemanha Nazi derrotou os EUA, o Reino Unido, ficando por vencer uma espécie de resistência soviética.

É um género literário muito bacano porque permite vislumbrar um mundo totalmente diferente do nosso.
« Última modificação: Janeiro 29, 2012, 20:29 pm por Chev Chelios »
Paracelsus,

és fã de Ficção Científica, então! Também sou, embora não leia um livro de Sci-Fi há muito tempo. Andei viciado durante uns boas semanas numa quintologia chamada Orphan, de um autor chamado Robert Buetnner. Li os três primeiros, gostei, mas deixei-os de lado para ler um outro livro qualquer.

Recomendo um livro que é capaz de ser melhor do que o famoso Starship Troopers, de Heinlein, o Armor, de John Steakley. Li também o primeiro livro da adaptação literária da saga Gears of War (jogos de consola). Está muito boa.

Não vou ler qualquer livro de Sci-Fi nos próximos tempos, todavia.

O Ender's Game devias experimentar e sabes porquê? Porque tem muita política lá pelo meio. :twisted: Falando a sério, conceptualiza algumas manobras políticas interessantes e que, pelo que dizem, são exploradas em grande pormenor na restante saga (isto é o que dizem, porque não li os livros a seguir), porque aquilo no fundo é apenas um cheirinho, mas essa vertente política (atenção que é política em terreno sci-fi! ;D) despertou tanto interesse junto dos fãs que o Orson não teve alternativa que não ir escrevendo mais e mais.
Achei isto interessante:



(cliquem na imagem para ampliar)
"Não podes saltar a uma bola com os braços encostados ao corpo! Não és nenhum pinguim!" - JJ (05/09/16)

Deixo aqui uma recomendação:

Acabei de saber que vai haver filme lá 2013 (com o Harrison Ford) de um livro que li há uns anos e se tornou um dos meus best-of de sci-fi. Trata-se de "Ender's Game" de Orson Scott Card.

Depois de Ender's Game foram publicadas várias sequelas, mas o livro é stand-alone (e foi redigido como tal), por isso se gostarem do género fantástico/sci-fi aproveitem para o ler antes que saia o filme. É um livro que venceu o Prémio Nébula e Hugo, dois dos mais conceituados prémios de Sci-Fi, por isso tem selo de qualidade. :great:

Já agora, li a versão inglesa, não sei se a tradução para português é boa ou rasca. :inde:



Sugestão registada.

Achei isto interessante:



(cliquem na imagem para ampliar)

Interessante, sem dúvida.
Assustadora a quantidade de livros que li destes. Parece que vieram aqui espreitar as minhas estantes em casa.
« Última modificação: Janeiro 29, 2012, 21:39 pm por joaommx »
Achei isto interessante:



(cliquem na imagem para ampliar)

Chiça, tantos dos meus livros favoritos (e tantos que estão na minha lista pra ler ;D).