Política Internacional

Chrystian10 e 1 Visitante estão a ver este tópico.

(...) sobrinho do Dias Loureiro (...)

Não é.

Obrigado, pela correcção. Irei rectificar o meu post.
Herói neoliberal – Entende-se como sendo o individuo que usufruindo dos benefícios do estado social,
opta por esquemas de fraude e evasão fiscal em prejuízo do bem comum.
Continuem a trazer para cá estes moderados que precisam de abrigo.


Uma outra notícia que parece andar a passar despercebida... então não é que um jornalista americano decidiu aceitar a recomendação da Infowars e ir a Malmö para testemunhar com os seus olhos o clima de intimidava os e insegurança fruto dos islamismo e da imigração... ficou desiludido :lol: (disto o Trump não fala, porque será?)... @HugoN anda cá ver esta:


Chicago 'much worse' than Malmö: American journalist

American journalist Tim Pool has spent two days seeing 'dangerous' Malmö with his own eyes.
But the city did not live up to the bleak picture he had been told to expect.
 
"If this is the worst Malmö has to offer, then don't ever come to Chicago," Pool told news agency TT after visiting Rosengård, a neighbourhood with a high immigrant population.
 
Pool met municipal council member Nils Karlsson, who gave the journalist a guided tour of Malmö neighbourhoods Lindängen and Rosengård.
 
"I want to show the true picture of Malmö - without denying that there there are problems, poverty and challenges. But also to show that 330,000 people live in this city and most do not engage in crime or violence or kill each other," Karlsson told TT.
 
Pool's journalistic visit came about after Paul Joseph Watson, editor of right wing website Infowars, promised to pay for a trip to Malmö for any journalist that claimed Malmö was safe. This challenge came in the wake of President Donald Trump's false claims last week that a terror attack had taken place in Sweden.
 
The 18,800 SEK (USD 2,000) donation covers about 20 per cent of the costs of Pool's trip to Sweden and Europe.
 
"I do not work for anyone. Nobody is paying me and I am not getting anything in exchange for this. I just want to find out the truth," said Pool.
 
Pool told TT that he describes himself as a conflict and crisis journalist who posts his material on YouTube and Twitter.
 
The journalist says he is not surprised by Trump's use of Sweden as a device in his rhetoric.
 
"Many would say that Sweden's liberal policies are evidence that they work and would be of great benefit to the USA. Now Trump is using the issue of immigration to condemn that argument. The connection of crime in Sweden to immigration and refugees is an idea that has existed in the US for several years, even before Trump," said Pool.
 
While respect the concern regarding increases in violence in Malmö, Pool said that he considered warnings that he would be robbed or attacked in Rosengård as "ridiculous".
 
"Someone shouted at us and pointed a finger. A takeaway pizza restaurant owner did not want to let in "some fucking journalists". But if people are really afraid to come here, then I would recommend that you never come to Chicago. Chicago has about 750 murders each year," he said.
 
But Pool added that he had so far received conflicting information from residents about violence in the city, and that interview subjects have often cancelled or preferred to remain anonymous.
 
Following Saturday's tour of Malmö with local Karlsson, Pool and his photographer colleague Emily Molli are scheduled to remain in the city for several days to carry out research.
 
The pair will also visit Stockholm and Gothenburg, as well as other European cities affected by terror and highlighted as problematic by Donald Trump, such as Brussels, Paris and Nice.
 
Pool aims to use the material gathered during his trip to make a documentary film.
(...) sobrinho do Dias Loureiro (...)

Não é.

Obrigado, pela correcção. Irei rectificar o meu post.

Boa tentativa

Fui enganado pela blogosfera que insinuava que Vítor Gonçalves Loureiro era sobrinho de Dias Loureiro... Mas ao contrário de Hayek, não deixo que as minhas ideias politicas me ceguem e afastem da verdade... Quando me dizem que estou errado, aprendo e corrijo!
Herói neoliberal – Entende-se como sendo o individuo que usufruindo dos benefícios do estado social,
opta por esquemas de fraude e evasão fiscal em prejuízo do bem comum.
@Paracelsus

Ou seja, comparar uma cidade péssima com outra péssima faz uma delas ser aceitável? :o

Aliás, duvido muito que esteja sequer a ser correcto na sua análise, desse artigo que colocaste retiro a seguinte afirmação:

"Many would say that Sweden's liberal policies are evidence that they work and would be of great benefit to the USA.  :shifty: Now Trump is using the issue of immigration to condemn that argument. The connection of crime in Sweden to immigration and refugees is an idea that has existed in the US for several years, even before Trump,"

Por outras palavras, ele defende o que tu próprio já aceitaste como dado adquirido, de que as políticas suecas de imigração são um desastre. As evidências de que são um catástrofe social falam por si, não era necessário um jornalista liberal ir defender o indefensável, embora ele tenha tentado e falhado, como as suas próprias palavras denunciam.

Já agora sobre a histeria dos media no que respeita ao barramento de outros "media" para as conferências de imprensa, devo salientar o seguinte: Obama e diversos presidentes antes dele, barraram selectivamente os media das suas reuniões, entrevistas e conferências de imprensa. Obama em particular, não gostava da Fox News e de outros media conservadores. Já para não falar de episódios ainda mais nefastos de Obama com a imprensa.

Não vimos porém o Expresso, Público, DN e restantes pasquins (falando apenas dos nacionais) rotularem de autocrata Obama e porquê? Porque a sua agenda é liberal.

Outro exemplo, o Correio da Manhã é apontado e ignorado por toda a gente, incluindo políticos e comentadores, que não obstante retiram-lhe a possibilidade de entrevistar e de seguirem a sua agenda editorial, recusam-se a dar-lhe qualquer voz.

Ainda num dos últimos Eixo(s) do Mal, Pedro Marques Lopes dizia que considerava o jornal o Correio da Manhã um pasquim (por terem tido umas desavenças e uns processos criminais, salvo erro) mas não se absteve de criticar Trump pela sua autocracia e de estúpido, mentiroso e outras idiotices, Clara Ferreira Alves é outra que se guia pelo mesmo diapasão incongruente.

A hipocrisia e a ironia, não raras vezes, andam de mãos dadas.

E que tal o nosso muito estimado Cristiano Ronaldo que atirou o microfone do Correio da Manhã ao lago durante o último Europeu? Que se recusa de todo a falar com eles?

Enfim, não faltam exemplos para demonstrar o que um diz e faz de errado e é aplaudido, louvado, santificado e outro, que não é do seu "grupo", da sua "cartilha" e da sua agenda, é imediatamente um "inimigo do povo".

E sim, CNN, MSNBC e restantes media da tanga são efectivamente o inimigo do povo como Trump clinicamente os classificou, não escondem que querem apenas moldar e toldar as mentes dos seus incautos leitores e tele-espectadores, ainda há dias não se coibiram de mostrar novamente isso mesmo:

MSNBC Host: It's Our Job to Control What People Think



Se querem saber realmente o que Trump pensa sobre os media, vejam o seu discurso no último CPAC 2017, em que ele desmonta toda a tese e propaganda liberal e totalmente injusta para com ele, elogiando os media que são duros mas leais, justos e correctos, e aqueles que apenas inventam para tentarem denegrir o representante eleito pelo povo; uma fabulosa intervenção do presidente dos Estados Unidos da América.

Duvido que muitos que criticam Trump tenham sequer tentado ouvir o que ele diz com uma mente aberta. Que tenham parado e dito a si próprios: "Vou tentar ouvir o que ele diz sem estar de pé atrás".

« Última modificação: Fevereiro 26, 2017, 21:02 pm por HugoN »
(...) sobrinho do Dias Loureiro (...)

Não é.

Obrigado, pela correcção. Irei rectificar o meu post.

Boa tentativa

Fui enganado pela blogosfera que insinuava que Vítor Gonçalves Loureiro era sobrinho de Dias Loureiro...

É de leres o insurgente. Não leias o insurgente ou o blasfemias que é só mentiras.

É de leres o insurgente. Não leias o insurgente ou o blasfemias que é só mentiras.

Para eu ler o "incongruente" era preciso estar completamente lobotomizado até quando citam factos falham nas contas e depois mentem sobre os resultados.

As minhas fontes vão de uma ponta à outra do espectro politico a nível internacional sou capaz de ouvir Peter Schiff e Jim Rogers (direita) como oiço Richard Wolf e Cornel West (esquerda).

Em Portugal sou capaz de ler jornais como o observador (direita) e o avante (esquerda).

A cor politica interessam-me muito pouco, preocupa-me mais a veracidade... Não gosto que me enganem, nem gosto de passar informação falsa por ter sido enganado por um jornal, blog ou comentador televisivo. É tão simples quanto isto. Vou-me enganar mais vezes porque sou falível...Por isso agradeço quando me avisam para que eu possa corrigir.

Mas não estarei de forma deliberada e com intenção politica a colocar tweets, vídeos e outro tipo de propaganda para influenciar e enganar outros... Em suma não me tornarei num Hayek.
Herói neoliberal – Entende-se como sendo o individuo que usufruindo dos benefícios do estado social,
opta por esquemas de fraude e evasão fiscal em prejuízo do bem comum.
@Paracelsus

Ou seja, comparar uma cidade péssima com outra péssima faz uma delas ser aceitável? :o

Aliás, duvido muito que esteja sequer a ser correcto na sua análise, desse artigo que colocaste retiro a seguinte afirmação:

"Many would say that Sweden's liberal policies are evidence that they work and would be of great benefit to the USA.  :shifty: Now Trump is using the issue of immigration to condemn that argument. The connection of crime in Sweden to immigration and refugees is an idea that has existed in the US for several years, even before Trump,"

Por outras palavras, ele defende o que tu próprio já aceitaste como dado adquirido, de que as políticas suecas de imigração são um desastre. As evidências de que são um catástrofe social falam por si, não era necessário um jornalista liberal ir defender o indefensável, embora ele tenha tentado e falhado, como as suas próprias palavras denunciam.

Já agora sobre a histeria dos media no que respeita ao barramento de outros "media" para as conferências de imprensa, devo salientar o seguinte: Obama e diversos presidentes antes dele, barraram selectivamente os media das suas reuniões, entrevistas e conferências de imprensa. Obama em particular, não gostava da Fox News e de outros media conservadores. Já para não falar de episódios ainda mais nefastos de Obama com a imprensa.

Não vimos porém o Expresso, Público, DN e restantes pasquins (falando apenas dos nacionais) rotularem de autocrata Obama e porquê? Porque a sua agenda é liberal.

Outro exemplo, o Correio da Manhã é apontado e ignorado por toda a gente, incluindo políticos e comentadores, que não obstante retiram-lhe a possibilidade de entrevistar e de seguirem a sua agenda editorial, recusam-se a dar-lhe qualquer voz.

Ainda num dos últimos Eixo(s) do Mal, Pedro Marques Lopes dizia que considerava o jornal o Correio da Manhã um pasquim (por terem tido umas desavenças e uns processos criminais, salvo erro) mas não se absteve de criticar Trump pela sua autocracia e de estúpido, mentiroso e outras idiotices, Clara Ferreira Alves é outra que se guia pelo mesmo diapasão incongruente.

A hipocrisia e a ironia, não raras vezes, andam de mãos dadas.

E que tal o nosso muito estimado Cristiano Ronaldo que atirou o microfone do Correio da Manhã ao lago durante o último Europeu? Que se recusa de todo a falar com eles?

Enfim, não faltam exemplos para demonstrar o que um diz e faz de errado e é aplaudido, louvado, santificado e outro, que não é do seu "grupo", da sua "cartilha" e da sua agenda, é imediatamente um "inimigo do povo".

E sim, CNN, MSNBC e restantes media da tanga são efectivamente o inimigo do povo como Trump clinicamente os classificou, não escondem que querem apenas moldar e toldar as mentes dos seus incautos leitores e tele-espectadores, ainda há dias não se coibiram de mostrar novamente isso mesmo:

MSNBC Host: It's Our Job to Control What People Think



Se querem saber realmente o que Trump pensa sobre os media, vejam o seu discurso no último CPAC 2017, em que ele desmonta toda a tese e propaganda liberal e totalmente injusta para com ele, elogiando os media que são duros mas leais, justos e correctos, e aqueles que apenas inventam para tentarem denegrir o representante eleito pelo povo; uma fabulosa intervenção do presidente dos Estados Unidos da América.

Duvido que muitos que criticam Trump tenham sequer tentado ouvir o que ele diz com uma mente aberta. Que tenham parado e dito a si próprios: "Vou tentar ouvir o que ele diz sem estar de pé atrás".



Então tu criticas o facto de se usar um mau exemplo para justificar outro mau exemplo (na tua opinião)... e depois o resto do teu post é uma ode à defesa de algo mau, mas que como existe algo também não muito bom então o mau já não é assim tão mau? Epá... ;D

Quanto ao parágrafo que sublinhaste do autor, a minha interpretação é completamente contrária à tua, em momento algum se fala no falhanco das políticas de imigração.

E por fim, também já vi que engoliste a propaganda anti-media. Agora porque alguém diz num vídeo não sei o quê sobre o controlo dos media sobre a opinião das pessoas, então é porque é verdade. É como o vídeo da somali, se ela diz então é porque é assim que acontece e já agora generalizado a toda a gente sem excepção. E o Trump só tem discursos brilhantes e, quando não tem e faz porcaria, é lembrar que tem desculpa porque alguém também faz tanta porcaria quanto ele. Mas não quando há porcaria em Malmö, aí mesmo que haja em Chicago pior já não serve como desculpa... porque é só quando da jeito. ::)
Então tu criticas o facto de se usar um mau exemplo para justificar outro mau exemplo (na tua opinião)... e depois o resto do teu post é uma ode à defesa de algo mau, mas que como existe algo também não muito bom então o mau já não é assim tão mau? Epá... ;D

Quanto ao parágrafo que sublinhaste do autor, a minha interpretação é completamente contrária à tua, em momento algum se fala no falhanco das políticas de imigração.

E por fim, também já vi que engoliste a propaganda anti-media. Agora porque alguém diz num vídeo não sei o quê sobre o controlo dos media sobre a opinião das pessoas, então é porque é verdade. É como o vídeo da somali, se ela diz então é porque é assim que acontece e já agora generalizado a toda a gente sem excepção. E o Trump só tem discursos brilhantes e, quando não tem e faz porcaria, é lembrar que tem desculpa porque alguém também faz tanta porcaria quanto ele. Mas não quando há porcaria em Malmö, aí mesmo que haja em Chicago pior já não serve como desculpa... porque é só quando da jeito. ::)

O que o jornalista está a dizer é que as políticas suecas sobre emigração foram boas e deviam ser imitadas pelos EUA. O que esclarece de resto, que esse jornalista está iludido quanto à realidade, que repito, tu mesmo admitiste ser uma política mal pensada e que levou o Estado Sueco a ter de alterar uma parte significativa dessa política no ano passado. Qual é a dúvida perante as palavras do autor que não sejam de negação das evidências?

Não percebo o que queres dizer com "ataquei algo mau para depois defender algo igualmente mau"; o contra-factual é positivo e deseja-se e se estás a admitir que a atitude de Obama foi incorrecta, aplaudo-te, porque foram várias e sucessivas vezes o desprezo de Obama aos media; o que tentei explanar foi que os mesmos media não quiseram saber (nem noticiaram) quando a Fox News (e outros media conservadores) foram barrados da Casa Branca e toda a gente calou-se, incluindo os nossos jornais nacionais. É justo agora, está bom de ver, que aqueles que dizem ser um ataque à liberdade de expressão sejam conotados de hipócritas por uma situação relativamente semelhante, pese embora não seja de facto o que se passou.

Há mais coisas nesta história, Donald Trump não proibiu nem fez um ataque a todos os media, fez sim um ataque à desinformação dos media referidos, ele defendeu (no vídeo que coloquei no post acima) os órgãos de comunicação liberais e conservadores que não tenham agenda contra à verdade. E sim, também ele tem o direito de se defender. Se não inventarem notícias e com isso tentarem enganar as populações, Donald Trump como representante de todos os norte-americanos, será o seu maior aliado.

Ainda sobre enganar as populações: se um pivot de uma estação de televisão, admite que pretende controlar o fluxo de informação e a forma dos seus espectadores percepcionarem os factos, dito pelo boca do próprio e tu continuas a achar que é normal... não sei o que te dizer.

Tenho zero problemas com um jornal que seja correcto, justo e equidistante, aceito até que tenham agenda explícita ou implícita se contrabalançarem umas e outras com opiniões distintas e sem requintes de malevolência; pese embora jornalismo não seja opinar sobre um assunto, um jornal não serve para arranjar meia dúzia de "escribas do pensamento" e dizer depois que é um jornal só porque sim. Se o fazem não são mais que um blogue de autores conglomerados quaisquer, um Correio da Manhã ou um Jornal de Angola, presos às suas agendas. E isso, lamento dizer, é meramente propaganda que não serve os interesses da população. Ainda sobre os jornais portugueses, a opinião que tenho sobre a sua cobertura nacional é positiva e de qualidade em boa parte, já a sua cobertura internacional é um desastre. E isso é de fácil explicação: vão todos beber às mesmas fontes liberais.

Deixo mais um exemplo da completa idiotice que são muitos destes "jornais". A BBC fez um artigo a dizer que muito provavelmente Trump ganhou em Estados importantes porque o seu nome apareceu em primeiro lugar. Para a BBC, os leitores não sabem sequer ler.

E não, não é fake news, a BBC tem mesmo este artigo:

http://www.bbc.com/news/magazine-39082465
« Última modificação: Ontem às 00:20 por HugoN »
Então tu criticas o facto de se usar um mau exemplo para justificar outro mau exemplo (na tua opinião)... e depois o resto do teu post é uma ode à defesa de algo mau, mas que como existe algo também não muito bom então o mau já não é assim tão mau? Epá... ;D

Quanto ao parágrafo que sublinhaste do autor, a minha interpretação é completamente contrária à tua, em momento algum se fala no falhanco das políticas de imigração.

E por fim, também já vi que engoliste a propaganda anti-media. Agora porque alguém diz num vídeo não sei o quê sobre o controlo dos media sobre a opinião das pessoas, então é porque é verdade. É como o vídeo da somali, se ela diz então é porque é assim que acontece e já agora generalizado a toda a gente sem excepção. E o Trump só tem discursos brilhantes e, quando não tem e faz porcaria, é lembrar que tem desculpa porque alguém também faz tanta porcaria quanto ele. Mas não quando há porcaria em Malmö, aí mesmo que haja em Chicago pior já não serve como desculpa... porque é só quando da jeito. ::)

O que o jornalista está a dizer é que as políticas suecas sobre emigração foram boas e deviam ser imitadas pelos EUA. O que esclarece de resto, que esse jornalista está iludido quanto à realidade, que repito, tu mesmo admitiste ser uma política mal pensada e que levou o Estado Sueco a ter de alterar uma parte significativa dessa política no ano passado. Qual é a dúvida perante as palavras do autor que não sejam de negação das evidências?

Não percebo o que queres dizer com "ataquei algo mau para depois defender algo igualmente mau"; o contra-factual é positivo e deseja-se e se estás a admitir que a atitude de Obama foi incorrecta, aplaudo-te, porque foram várias e sucessivas vezes o desprezo de Obama aos media; o que tentei explanar foi que os mesmos media não quiseram saber (nem noticiaram) quando a Fox News (e outros media conservadores) foram barrados da Casa Branca e toda a gente calou-se, incluindo os nossos jornais nacionais. É justo agora, está bom de ver, que aqueles que dizem ser um ataque à liberdade de expressão sejam conotados de hipócritas por uma situação relativamente semelhante, pese embora não seja de facto o que se passou.

Há mais coisas a esta história, Donald Trump não proibiu nem fez um ataque a todos os media, fez sim um ataque à desinformação dos media referidos, ele defendeu (no vídeo que coloquei no post acima) os órgãos de comunicação liberais e conservadores que não tenham agenda contra à verdade. E sim, também ele tem o direito de se defender. Se não inventarem notícias e com isso tentarem enganar as populações, Donald Trump como representante de todos os norte-americanos, será o seu maior aliado.

Ainda sobre enganar as populações: se um pivot de uma estação de televisão, admite que pretende controlar o fluxo de informação e a forma dos seus espectadores percepcionarem os factos, dito pelo boca do próprio e tu continuas a achar que é normal... não sei o que te dizer.

Tenho zero problemas com um jornal que seja correcto, justo e equidistante, aceito até que tenham agenda explícita ou implícita se contrabalançarem umas e outras com opiniões distintas e sem requintes de malevolência; pese embora jornalismo não seja opinar sobre um assunto, um jornal não serve para arranjar meia dúzia de "escribas do pensamento" e dizer depois que é um jornal só porque sim. Se o fazem não são mais que um blogue de autores conglomerados quaisquer, um Correio da Manhã ou um Jornal de Angola, presos às suas agendas. E isso, lamento dizer, é meramente propaganda que não serve os interesses da população. Ainda sobre os jornais portugueses, a opinião que tenho sobre a sua cobertura nacional é positiva e de qualidade em boa parte, já a sua cobertura internacional é um desastre. E isso é de fácil explicação: vão todos beber às mesmas fontes liberais.

Deixo mais um exemplo da completa idiotice que são muitos destes "jornais". A BBC fez um artigo a dizer que muito provavelmente Trump ganhou em Estados importantes porque o seu nome apareceu em primeiro lugar. Para a BBC, os leitores não sabem sequer ler.

E não, não é fake news, a BBC tem mesmo este artigo:

http://www.bbc.com/news/magazine-39082465

Primeiro, ele não disse que as políticas de imigração foram boas, andas a ler coisas que não estão lá. Referiu que muitos diriam que as políticas liberais suecas são prova de que funcionam. Além disso, ter problemas não é sinónimo de falhanço ou de que as pessoas estão iludidas com as mesmas, mais uma vez conclusões precipitadas, falta de ponderação obrigando a reajustes não é a mesma coisa.

Depois o Trump tem direito a fazer o que lhe apetece dentro dos poderes que tem à disposição, agora não venhas é com a história da carochinha e defender que ele está a atacar a desinformação... só pode ser piada. Então o gajo que criticou os media por não papaguearem a propaganda dele dos não sei quantos da tomada de posse que tinha sido a mais grandiosa de sempre quando é mentira, o gajo que veio com os "factos alternativos" :lol: que não passam de mentiras puras e duras, o gajo que pediu ao FBI (ficou-se a saber hoje ou ontem) para amenizar as críticas à Rússia no seu relatório, o gajo que tem à cabeça como conselheiros manipuladores de opinião como o Bannon, um aprendiz de Goebbels? Combate à desinformação? :lol:

Primeiro, ele não disse que as políticas de imigração foram boas, andas a ler coisas que não estão lá. Referiu que muitos diriam que as políticas liberais suecas são prova de que funcionam. Além disso, ter problemas não é sinónimo de falhanço ou de que as pessoas estão iludidas com as mesmas, mais uma vez conclusões precipitadas, falta de ponderação obrigando a reajustes não é a mesma coisa.

Depois o Trump tem direito a fazer o que lhe apetece dentro dos poderes que tem à disposição, agora não venhas é com a história da carochinha e defender que ele está a atacar a desinformação... só pode ser piada. Então o gajo que criticou os media por não papaguearem a propaganda dele dos não sei quantos da tomada de posse que tinha sido a mais grandiosa de sempre quando é mentira, o gajo que veio com os "factos alternativos" :lol: que não passam de mentiras puras e duras, o gajo que pediu ao FBI (ficou-se a saber hoje ou ontem) para amenizar as críticas à Rússia no seu relatório, o gajo que tem à cabeça como conselheiros manipuladores de opinião como o Bannon, um aprendiz de Goebbels? Combate à desinformação? :lol:

Sobre o caso sueco, tal como disseste e bem, que tinha sido mau exemplo do que não se pode fazer sobre imigração. Esse jornalista sendo liberal, era de prever que ia tentar defender as políticas falhadas dos governantes suecos.

Claro que Trump está a defender o mandato que lhe foi dado pelo povo norte-americano, não são já vários os exemplos de fake news de órgãos supostamente neutrais? Da BBC? da CNN? da MSNBC?

Mesmo que esses media de desinformação queiram passar a imagem do contrário, de que são credíveis, estão consecutivamente a destruir a sua base de seguidores, e mais importante que isso, as pessoas aos poucos vão descobrindo as trapaças. Mais um exemplo:



Mais de metade, repito, mais de metade dos seus seguidores no twitter são falsos.
Claro que Trump está a defender o mandato que lhe foi dado pelo povo norte-americano, não são já vários os exemplos de fake news de órgãos supostamente neutrais? Da BBC? da CNN? da MSNBC?

O primeiro acontecimento noticioso que o Trump quis divulgar foi fake news... o primeiro de todos. Portanto o Trump não tem qualquer moral ou legitimidade para apontar o dedo a quem fabrica fakenews... além disso, categorizar canais como a BBC de fakenews quando não se consegue sequer apresentar factualmente a percentagem das mesmas sobre o referido canal é de rir... tas completamente apanhado.
O primeiro acontecimento noticioso que o Trump quis divulgar foi fake news... o primeiro de todos. Portanto o Trump não tem qualquer moral ou legitimidade para apontar o dedo a quem fabrica fakenews... além disso, categorizar canais como a BBC de fakenews quando não se consegue sequer apresentar factualmente a percentagem das mesmas sobre o referido canal é de rir... tas completamente apanhado.

O Correio da Manhã também tem notícias/reportagens boas e reais, faz isso dele um canal/jornal decente? Claro que não. O mesmo se aplica à BBC.

Ainda atrás te dei um exemplo do que é uma notícia falsa criada apenas e só para denegrir e atacar uma pessoa.

Alguma vez alguém com dois dedos de testa acredita que por o nome estar em primeiro lugar iria fazer um eleitor votar mal? É inclusive querer passar um atestado de burrice ao leitor da notícia.
O primeiro acontecimento noticioso que o Trump quis divulgar foi fake news... o primeiro de todos. Portanto o Trump não tem qualquer moral ou legitimidade para apontar o dedo a quem fabrica fakenews... além disso, categorizar canais como a BBC de fakenews quando não se consegue sequer apresentar factualmente a percentagem das mesmas sobre o referido canal é de rir... tas completamente apanhado.

O Correio da Manhã também tem notícias/reportagens boas e reais, faz isso dele um canal/jornal decente? Claro que não. O mesmo se aplica à BBC.

Ainda atrás te dei um exemplo do que é uma notícia falsa criada apenas e só para denegrir e atacar uma pessoa.

Alguma vez alguém com dois dedos de testa acredita que por o nome estar em primeiro lugar iria fazer um eleitor votar mal? É inclusive querer passar um atestado de burrice ao leitor da notícia.

Mas isso está comprovado ou foi simplesmente sugerido? Para quem apela à mente aberta ao raciocínio de que os pretos têm menos QI por propensão genética, estás muito closeminded aqui. Foi investigado, há research? Foi apresentado como verdade absoluta?

Comparar o CM com a BBC, enfim... e continuas a fazer tábua rasa das fakenews fabricadas pelo Trump, fabricação essa que continua... mas hey, o Trump está é defender o povo americano... not!
Mas isso está comprovado ou foi simplesmente sugerido? Para quem apela à mente aberta ao raciocínio de que os pretos têm menos QI por propensão genética, estás muito closeminded aqui. Foi investigado, há research? Foi apresentado como verdade absoluta?

Comparar o CM com a BBC, enfim... e continuas a fazer tábua rasa das fakenews fabricadas pelo Trump, fabricação essa que continua... mas hey, o Trump está é defender o povo americano... not!

E os asiáticos têm mais IQ que os brancos e os pretos. Outro dado estatístico: os asiáticos também são menos propensos para a violência que pretos e brancos. Não há dramas, é o que é.

Que notícias falsas Trump disse? sobre a quantidade de pessoas na inauguração? Tendo em conta que Washington votou liberal, fiquei até espantado que estivessem tantas pessoas, o que Trump quis demonstrar essencialmente foi uma notícia divulgada sobre a quantidade de pessoas que estiveram na de Obama e a sua, notícia esta primeiramente  empolada aos sete ventos como se fosse indicativo de algo significativo, quando é factual que foi uma festa bonita e apreciada por milhares e milhares de pessoas livremente. E atenção, os media foram os primeiros a fazer disso uma questão de relevo só para tentarem, novamente, atacar Trump. O que demonstra na melhor das hipóteses, é o quão as pessoas se iludiram em relação a Obama, factualmente um dos piores presidentes da história dos EUA.
« Última modificação: Ontem às 12:25 por HugoN »
Mas isso está comprovado ou foi simplesmente sugerido? Para quem apela à mente aberta ao raciocínio de que os pretos têm menos QI por propensão genética, estás muito closeminded aqui. Foi investigado, há research? Foi apresentado como verdade absoluta?

Comparar o CM com a BBC, enfim... e continuas a fazer tábua rasa das fakenews fabricadas pelo Trump, fabricação essa que continua... mas hey, o Trump está é defender o povo americano... not!

E os asiáticos têm mais IQ que os brancos e os pretos. Outro dado estatístico: os asiáticos também são menos propensos para a violência que pretos e brancos. Não há dramas, é o que é.

Que notícias falsas Trump disse? sobre a quantidade de pessoas na inauguração? Tendo em conta que Washington votou liberal, fiquei até espantado que estivessem tantas pessoas, o que Trump quis demonstrar essencialmente foi uma notícia divulgada sobre a quantidade de pessoas que estiveram na de Obama e a sua, notícia esta primeiramente  empolada aos sete ventos como se fosse indicativo de algo significativo, quando é factual que foi uma festa bonita e apreciada por milhares e milhares de pessoas livremente. E atenção, os media foram os primeiros a fazer disso uma questão de relevo só para tentarem, novamente, atacar Trump. O que demonstra na melhor das hipóteses, é o quão as pessoas se iludiram em relação a Obama, factualmente um dos piores presidentes da história dos EUA.

O teu dado estatístico de diferenças, quando corrigido com factor sócio-económico, desaparece. É o que é. (E este é cientificamente mais validado que o que apresentaste, portanto nao vale nem a pena que o tentes rebater)

A notícia não foi empolada aos sete ventos, foi uma constatação (e mais ou que factual). E depois houve tweets a fazerem mocking do Trump por causa disso... tweets. É isso que foi o empolamento aos sete ventos? :lol: alem disso, o assunto morria ali não fosse o Spicer vir com a fakenews de que tinha tido a maior assistência, "period".

Por fim, isso do Obama ter sido o pior não é factual de todo. Já devias saber que "melhor", "pior" e outros do género não são factos, até me custa ter de te explicar isto.
Podemos discutir esse assunto novamente. É extremamente agradável e merece consideração por todos, inclusive do Estado para melhor precaver-se no futuro.

Um dos motivos pelos quais esta questão causa transtorno é pela simples razão da crescente necessidade de vitimização, tão própria e característica, de uma parte significativa dos liberais. Em que, para defenderem a ilusão de controlo da narrativa, colocam em causa a verdade, ao invés de tentarem de forma pacífica enquadrar a realidade com a infalibilidade dos factos que lhes são exemplificados.

Tendo em conta apenas os dados de crime e IQ nos Estados Unidos da América (poderei incluir outros), até da correlação de pobreza entre países pobres da Ásia (não falta pobres na zona asiática) e outros povos africanos (igualmente cheios de pobres). Para efeitos de condensação de informação, vou restringir a análise aos EUA, um país assumidamente rico e de igual oportunidades para todos: brancos, pretos, asiáticos, hispânicos.

Ainda assim, para demonstrar que a pobreza não significa imediatamente violência elevada apenas mencionarei dois países que ambos conhecemos a realidade relativamente bem, devido à proximidade e ao fluxo de notícias que temos: a Grécia é um país pobre (sempre foi relativamente pobre na Idade Moderna) e no entanto é dos que menos violência tem, assim como o nosso caro e estimado Portugal (sempre foi relativamente pobre na Idade Moderna). Não obstante esta realidade, os dois países possuem uma percentagem absurdamente alta de pobreza em crianças e jovens adultos, muito acima da média de um país civilizado.

Agora sobre os EUA (dados de 2014, por cada 100 mil pessoas), em que refira-se, os EUA não são uniformemente um país violento ou pobre:

Crimes violentos por raça (mesma referência):

1.057 pretos
518   hispânicos
219 brancos
90 asiáticos

Roubo (mesma referência):

429.7 pretos
120 hispânicos
32.7 brancos
13.5 asiáticos

Assaltos (mesma referência):

573.6 pretos
331.4 hispânicos
149.1 brancos
60 asiáticos

Homicídios (mesma referência):

17.21 pretos
5.5 hispânicos
1.84 brancos
1.00 asiáticos

Nota: O nível de homicídios em países com população branca é praticamente a mesma em outros países com predominância de brancos, Noruega, Canadá ou até de países caucasianos (onde se inclui os asiáticos). Continuando:

Violações por raça (mesma referência):

81.25 pretos
57.19 hispânicos
24.16 brancos
8.70 asiáticos

Há mais dados estatísticos, como de propriedade, crimes menores, etc, a tendência é similar.

Agora o busílis da questão quando se diz que é essencialmente por motivos económicos, não é apenas por este motivo (embora tenham o seu quinhão, sim), seria redutor pensar-se dessa forma apenas por medo de ferir egos ou predisposições políticas, então vejamos:



Podemos depreender que tendo divergido em certos anos e convergido noutros, ainda assim não se verifica uma relação implícita, com uma correlação mínima.



Neste quadro é apresentado o crime de propriedade e desemprego por cidade, os pontos amarelos são as cidades. Se a pobreza e o desemprego fossem os motivos para o crime então verificaria-se que tais factores sociais impactariam de forma significativa o aumento do crime, e não é de todo o que é verificado. Tanto existe várias cidades com baixo desemprego e elevado crime, como cidades com alto desemprego e baixo crime, fazendo com que a correlação entre uma e outra (variação) seja negligenciável.



O mesmo quadro, mas desta vez apenas sobre a população preta em específico. Mais uma vez se verifica o mesmo que no quadro anterior. Não havendo relação entre desemprego (e pobreza) e aumento do crime, sendo notada apenas uma variação diminuta.


Agora para esclarecer algo bastante importante: a maioria de todas as populações, sejam elas brancas, pretas, asiáticas, o que for, é pacífica e isso é de salutar e de salientar. O que não podemos é abster-nos de analisar as coisas tal como elas são, seja até em nosso desfavor, só assim poderemos melhorar a sociedade para todos.

Referências (a partir do estudo feito por Stefan Molyneaux)
https://www.fbi.gov/about-us/cjis/ucr/crime-in-the-u.s/2014/crime-in-the-u.s.-2014
http://www.census.gov/prod/cen2010/briefs/c2010br-04.pdf#page=15
 
2014 City Crime Data:
City data from the U.S. Census Bureau: http://www.census.gov
City Crime data from the FBI: https://www.fbi.gov/about-us/cjis/ucr/crime-in-the-u.s/2014/crime-in-the-u.s.-2014/tables/table-6
 
Historical Crime
http://www.ucrdatatool.gov/
os asiáticos também são menos propensos para a violência que pretos e brancos.

Quais asiáticos exactamente são menos propensos a violência os Mongóis de Gengis Khan e seus descendentes, os Imperadores Chineses, o Império Otomano, Mao, os Khmer Vermelho, as lutas entre Paquistaneses e Indianos, Indonésia, Sumatra, Império Japonês, os Samurais, as Triades os Yakuza,as Filipinas, o Médio Oriente, o Império Russo, os Tártaros, Lenine, Estaline...

Através dos dados históricos não consigo documentar que os asiáticos sejam menos propensos para a violência que pretos e brancos... Talvez através da Frenologia.
Herói neoliberal – Entende-se como sendo o individuo que usufruindo dos benefícios do estado social,
opta por esquemas de fraude e evasão fiscal em prejuízo do bem comum.
Quais asiáticos exactamente são menos propensos a violência os Mongóis de Gengis Khan e seus descendentes, os Imperadores Chineses, o Império Otomano, Mao, os Khmer Vermelho, as lutas entre Paquistaneses e Indianos, Indonésia, Sumatra, Império Japonês, os Samurais, as Triades os Yakuza,as Filipinas, o Médio Oriente, o Império Russo, os Tártaros, Lenine, Estaline...

Através dos dados históricos não consigo documentar que os asiáticos sejam menos propensos para a violência que pretos e brancos... Talvez através da Frenologia.

A frenologia é largamente desacreditada.

Haver menos propensão para a violência não significa inexistência da mesma. A análise é feita no que os dados reportam em circunstâncias iguais (enquadramento social, económico etc), vivendo em comunhão com outros grupos étnicos (brancos, pretos, hispânicos).

Os exemplos que dás são pertinentes, aí permite-me acrescentar que a violência está também directamente ligada com o tipo de governação "impingida" às populações: comunismo (Mao, Kmher's, Rússia Vermelha, etc), monarquia/ditadura (Império Otomano, Indonésia (com Suharto)), "Warlordism" (mongóis, dinastias chinesas, etc).

Poderemos encontrar tanto no Médio-Oriente como no resto da África vários e diversos regimes autoritários de extrema violência, guerras civis entre grupos étnicos (por exemplo: Tutsi contra Hutsi, etc), genocídio dos brancos e de outros pretos (nigerianos) na África do Sul e Zimbabwe, assim como outros locais pela África (Kenya, Uganda, Eritreia, Somalia, etc) fruto mais uma vez da não implementação de verdadeiras Repúblicas um pouco por todo o continente. A violência do tribalismo está presente e nunca se foi embora, mesmo após o colonialismo.

Se consultares o wiki: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_ongoing_armed_conflicts

Poderás verificar que a maioria e os mais violentos conflictos armados do mundo são no continente africano e na parte que respeita ao Médio-Oriente, estatísticas estas (em termos de mortos) que pecam por escasso estou em crer.

Em seguida, podemos consultar o wiki referente à lista de conflictos ao longo da história no continente africano, também ela infelizmente recheada de casos:

https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_conflicts_in_Africa
« Última modificação: Hoje às 02:46 por HugoN »