Restauração da modalidade de RUGBY no SCP

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

****** Agosto 22, 2010, 09:11 am
Vocês continuam a ir ao estádio do Ericeirense ? Aquilo €stá pre$o por um fio
In • Hoc • Signo • Vinces
* Junho 20, 2011, 14:06 pm
sem praticamente ninguém notar, este projecto infelizmente morreu.

http://sportingrugby.blogspot.com/
Sábado, 21 de Maio de 2011

Caros amigos Sportinguistas,
O nosso projecto de voltar a ter Rugby no SCP foi desfeito pela falta de interesse por parte dos órgãos directivos do clube personalizados na anterior direcção.
Pessoalmente foi para mim um esforço do qual muito me orgulho, terá sido em vão pergunto-me? Como a esperança e a ultima a morrer continuo com a chama de que será possível a secção de Rugby do Sporting ter um renascimento.
Muitos foram os comentários de apoio que me foram enviados, muitas as palmadas nas costas de incentivo, mas poucas foram as vozes que passaram a acção
Da minha parte teria continuado sempre com o projecto, mas infelizmente razoes profissionais levaram-me para fora do pais.

Resta-me lançar o repto a todos os Sportinguistas a fazerem forca junto desta nova direcção para que o projecto não pare com novas caras e mais miúdos
A verdade e que uma secção de Rugby ao nível da iniciação praticamente paga-se a si próprio, desde que bem estruturado e gerido.

A todos muito obrigado pelo apoio ao longo destes 3 anos
* Junho 20, 2011, 16:57 pm
É de facto muito triste.  :inde:
O Sporting Clube de Portugal não se resume a uma paixão por um símbolo desenhado numa camisola. É uma religião, uma ideologia, uma forma de vida!
****** Junho 25, 2011, 00:22 am
Gastar 6,5 milhões em Pongóis? Tudo bem!
Mas pagar 2 ou 3 ordenados de Maniche por ano (sem incluir receitas) a uma secção destas não...

Enfim, triste realidade...
***** Junho 25, 2011, 12:12 pm
Lamentável   ^-^ A última direcção foi de facto um cancro de dimensões muito consideráveis para este Clube. Que tristeza.
Querem acabar de vez com a nossa paixão!
Não vamos deixar... porque nunca desistimos de ti!
****** Junho 25, 2011, 15:27 pm
Não comecem a estabelecer juízos de valor baseados em conhecimentos parciais!
Eu sou responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem!

Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência.
***** Junho 25, 2011, 17:58 pm
Psilva o que vou dizer é com conhecimento de causa, e não especulação.

O Vicente Coentro tinha o seu projecto do Rugby bem sustentado. Estava tudo a correr bem. Um dia, chamaram-no para uma reunião com a direcção do Sporting. Ficou eufórico, esperando naturalmente nem que fosse uma palavra de apoio e incentivo, quem sabe talvez um pouco mais de ajuda que já seria uma enorme ajuda para um projecto ainda pequeno destes. Chegou lá, e para além de o terem criticado por usar o nome do Sporting sem autorização, fizeram saber que não iriam assumir responsabilidades caso ocorresse algum acidente.

Deprorável, é a palavra que melhor encontro para definir o nojo que para mim a direcção de José Eduardo Betttencourt significou em todos os aspectos.

No entanto, sei que o novo presidente Godinho Lopes gosta muito da modalidade, é inclusivamente ex-praticante, e está em marcha um projecto sério de restauração desta modalidade no Sporting, e há várias pessoas já a trabalhar afincadamente para que seja criado um projecto sustentado e com condições de sucesso, ao contrário do carnide, que é uma das maiores vergonhas do rugby nacional.

****** Junho 25, 2011, 18:28 pm
Boas notícias McCandless! Esperemos que se confirmem e se alarguem ao voleibol e ao basquetebol!

Bem no que toca as modalidades, ainda bem que não é o Pedro Baltazero o nosso presidente, caso contrário...
****** Junho 26, 2011, 22:51 pm
Psilva o que vou dizer é com conhecimento de causa, e não especulação.

O Vicente Coentro tinha o seu projecto do Rugby bem sustentado. Estava tudo a correr bem. Um dia, chamaram-no para uma reunião com a direcção do Sporting. Ficou eufórico, esperando naturalmente nem que fosse uma palavra de apoio e incentivo, quem sabe talvez um pouco mais de ajuda que já seria uma enorme ajuda para um projecto ainda pequeno destes. Chegou lá, e para além de o terem criticado por usar o nome do Sporting sem autorização, fizeram saber que não iriam assumir responsabilidades caso ocorresse algum acidente.

Deprorável, é a palavra que melhor encontro para definir o nojo que para mim a direcção de José Eduardo Betttencourt significou em todos os aspectos.

No entanto, sei que o novo presidente Godinho Lopes gosta muito da modalidade, é inclusivamente ex-praticante, e está em marcha um projecto sério de restauração desta modalidade no Sporting, e há várias pessoas já a trabalhar afincadamente para que seja criado um projecto sustentado e com condições de sucesso, ao contrário do carnide, que é uma das maiores vergonhas do rugby nacional.



Se existir tanta vontade neste processo de reactivacao como outros que já passaram por esta direcção...estamos bem tramados.

O que eu acho bizarro é como a reactivacao de modalidades no nosso Clube nao passa inicialmente por desejo e vontade do próprio clube institucional. São GRANDES SPORTINGUISTAS , que arranjam condições e formas de fazer regressar ao clube as modalidades e que depois apresentam esses projetos á direção.

Quem está á frente do clube está sentadinhoa á espera de projectos "auto-sustentáveis"...em vez de activamente procurarem soluções.

My name is Ash and I am a slave. As far as I can tell, the year is 1300 A.D and I'm being dragged to my death. It wasn't always like this, I had a normal life, once.....
Junho 27, 2011, 13:58 pm
Um projecto como este sem ter o apoio efectivo do Sporting (leia-se Órgãos Sociais) nem ter um carola com dinheiro, nunca tem pernas para andar.

Parabéns à coragem do Vicente Coentro. Que alguém aprenda com ele.
* Junho 27, 2011, 14:43 pm
Posso confirmar que aconteceu igual situação à referida pelo McCandless, mas no basquetebol, isto quando FSF era presidente. Este cagou, pura e simplesmente, na proposta e no esforço e interesse dos interessados, que garantiam total viabilidade económica do projecto, exigindo do Sporting apenas algum esforço diplomático. Sei-o porque o meu pai, através de uma empresa, era um dos contribuidores mais consideráveis do projecto. O projecto reunia antigos jogadores, agora empresários, do Queluz, por exemplo, clube no qual o meu foi jogador.

Embora não tenha a certeza em relação a nomes e objectivos, penso que também houve uma proposta alternativa a esta, e que surgiu também na era Filipe Soares Franco, mas composta por gente ligada à Federação e alguns elementos, ténues em influência e decisão, dos órgãos sociais de então.

Foi uma altura em que bombardeava diariamente o meu pai com questões, ele que me incutiu os valores do Sportinguismo, que obviamente contempla não o gosto por futebol, mas pelo símbolo e por aquilo que este representa. O espírito funciona assim: é verde e tem um leão, é para sofrer e apoiar até ir para a cova.
« Última modificação: Junho 27, 2011, 14:49 pm por danielw »
*** Junho 28, 2011, 13:51 pm
Psilva o que vou dizer é com conhecimento de causa, e não especulação.

O Vicente Coentro tinha o seu projecto do Rugby bem sustentado. Estava tudo a correr bem. Um dia, chamaram-no para uma reunião com a direcção do Sporting. Ficou eufórico, esperando naturalmente nem que fosse uma palavra de apoio e incentivo, quem sabe talvez um pouco mais de ajuda que já seria uma enorme ajuda para um projecto ainda pequeno destes. Chegou lá, e para além de o terem criticado por usar o nome do Sporting sem autorização, fizeram saber que não iriam assumir responsabilidades caso ocorresse algum acidente.

Deprorável, é a palavra que melhor encontro para definir o nojo que para mim a direcção de José Eduardo Betttencourt significou em todos os aspectos.

No entanto, sei que o novo presidente Godinho Lopes gosta muito da modalidade, é inclusivamente ex-praticante, e está em marcha um projecto sério de restauração desta modalidade no Sporting, e há várias pessoas já a trabalhar afincadamente para que seja criado um projecto sustentado e com condições de sucesso, ao contrário do carnide, que é uma das maiores vergonhas do rugby nacional.



Se existir tanta vontade neste processo de reactivacao como outros que já passaram por esta direcção...estamos bem tramados.

O que eu acho bizarro é como a reactivacao de modalidades no nosso Clube nao passa inicialmente por desejo e vontade do próprio clube institucional. São GRANDES SPORTINGUISTAS , que arranjam condições e formas de fazer regressar ao clube as modalidades e que depois apresentam esses projetos á direção.

Quem está á frente do clube está sentadinhoa á espera de projectos "auto-sustentáveis"...em vez de activamente procurarem soluções.



Ash,

As coisas de que tu sabes  ;)

É isso tudo e mais algumas coisas ainda. Sabes o que eu acho. Além da falta de de dinheiro, que é indesmentível, existe uma enorme falta de cultura desportiva à grande maioria dos nossos "dirigentes"
Eu gostava de ser um dos que tinha esperança numa mudança de sensibilidades. Não a tenho no entanto. Espero estar redondamente enganado.
Em relação ao râguebi, que desconheço na plenitude o projectyo de reactivação, não me pronuncio. Quanto a outras duas que estiveram em cima da mesa este ano prefiro manter-me calado por enquanto.
****** Junho 29, 2011, 10:38 am
O que chateia Juvenal , é que a acontecer alguma coisa no futuro , irão logo aparecer para as fotografias os pavões a erguer as bandeiras do ecletismo. Os mesmos que nos últimos 20 anos têm asfixiado a matriz eclética do nosso clube.

Não se iluda , que a sensibilidade é exactamente a mesma.

Por muito respeito que o clube merece , se calhar a atitude a seguir é expor aos sócios o porquê do Sporting Clube de Portugal não ter aceite os projectos de reactivação de duas modalidades históricas.
My name is Ash and I am a slave. As far as I can tell, the year is 1300 A.D and I'm being dragged to my death. It wasn't always like this, I had a normal life, once.....
****** Junho 29, 2011, 11:50 am
O que chateia Juvenal , é que a acontecer alguma coisa no futuro , irão logo aparecer para as fotografias os pavões a erguer as bandeiras do ecletismo. Os mesmos que nos últimos 20 anos têm asfixiado a matriz eclética do nosso clube.

Não se iluda , que a sensibilidade é exactamente a mesma.

Por muito respeito que o clube merece , se calhar a atitude a seguir é expor aos sócios o porquê do Sporting Clube de Portugal não ter aceite os projectos de reactivação de duas modalidades históricas.

É isso mesmo.
Eu só não o faço por respeito a quem me confidenciou certas situações e por achar que isto devia envolver um movimento mais alargado de socios.

SL
****** Junho 29, 2011, 12:05 pm
Claramente, estou de acordo em que essas situações se tornassem públicas. Até para que poderia servir como factor de pressão positiva sobre o Conselho Directivo e, simultaneamente, despertar Sócios, adeptos ou patrocinadores que se quisessem juntar aos projectos em discussão, para reforçar a sua sustentabilidade.
"O Sporting é nosso outra vez!"
****** Junho 29, 2011, 12:33 pm
Claramente, estou de acordo em que essas situações se tornassem públicas. Até para que poderia servir como factor de pressão positiva sobre o Conselho Directivo e, simultaneamente, despertar Sócios, adeptos ou patrocinadores que se quisessem juntar aos projectos em discussão, para reforçar a sua sustentabilidade.

Eu concordo...mas também acho que isso é uma opção apenas para aqueles que participaram nessas iniciativas. Quem ouviu...ouviu .

O que é inaceitável , é fingir-se o interesse nas reactivações  apenas para sócio ver ("epah eles bem tentaram"....).
My name is Ash and I am a slave. As far as I can tell, the year is 1300 A.D and I'm being dragged to my death. It wasn't always like this, I had a normal life, once.....
****** Junho 29, 2011, 12:39 pm
Claramente, estou de acordo em que essas situações se tornassem públicas. Até para que poderia servir como factor de pressão positiva sobre o Conselho Directivo e, simultaneamente, despertar Sócios, adeptos ou patrocinadores que se quisessem juntar aos projectos em discussão, para reforçar a sua sustentabilidade.

Eu concordo...mas também acho que isso é uma opção apenas para aqueles que participaram nessas iniciativas. Quem ouviu...ouviu .

O que é inaceitável , é fingir-se o interesse nas reactivações  apenas para sócio ver ("epah eles bem tentaram"....).

Claramente, eu quando disse que deveriam ser tornadas públicas referia-me àqueles que as apresentaram à Direcção. Apenas esses. Uma conferência de imprensa simples a dizer que foi proposto o projecto para a modalidade X, as suas bases de funcionamento e o que ficaria a cargo do Clube caso a Direcção aprovasse a implementação desse projecto.
"O Sporting é nosso outra vez!"
*** Junho 29, 2011, 12:47 pm
Ash,

Das duas modalidades que falaste, uma está perfeitamente encerrada a hipótese, até porque envolvia apenas uma equipa de alta competição, e para jogar para ganhar.
Quanto à outra, igualmente histórica, e que a mim me diz muito o processo ainda não está de todo encerrado e envolve tão só as camadas mais jovens.
Quanto ao râguebi, parece que existe mesmo fumo, pelo que me foi dado a entender por alguém com conhecimentos no processo
****** Junho 29, 2011, 13:24 pm
Ash,

Das duas modalidades que falaste, uma está perfeitamente encerrada a hipótese, até porque envolvia apenas uma equipa de alta competição, e para jogar para ganhar.
Quanto à outra, igualmente histórica, e que a mim me diz muito o processo ainda não está de todo encerrado e envolve tão só as camadas mais jovens.
Quanto ao râguebi, parece que existe mesmo fumo, pelo que me foi dado a entender por alguém com conhecimentos no processo

Juvenal eu acho que isto só lá vai com uma radical mudança de mentalidade , nao nos dirigentes porque nao tenho qualquer esperança , mas nos adeptos. Só estes podem fazer regressar ao clube a sua identidade , que tem sido ano após ano esquecida. Sem um movimento forte , por muito bom que sejam os projectos , as direcções nao sentido que existe um apoio popular vão sempre ter facilidade em nao ir á avante , ou em alguns casos tratar as situações como se fossem bastardos. Sem um movimento forte com esse intuito , nao vejo nada que possa ser diferente. Ainda ontem acho que apenas uma pessoa (se nao me engano até foi o bruno carvalho) referiu as tais promessas do godinho durante a campanha sobre as reactivações.

My name is Ash and I am a slave. As far as I can tell, the year is 1300 A.D and I'm being dragged to my death. It wasn't always like this, I had a normal life, once.....
*** Junho 29, 2011, 13:30 pm
Ash,

Das duas modalidades que falaste, uma está perfeitamente encerrada a hipótese, até porque envolvia apenas uma equipa de alta competição, e para jogar para ganhar.
Quanto à outra, igualmente histórica, e que a mim me diz muito o processo ainda não está de todo encerrado e envolve tão só as camadas mais jovens.
Quanto ao râguebi, parece que existe mesmo fumo, pelo que me foi dado a entender por alguém com conhecimentos no processo

Juvenal eu acho que isto só lá vai com uma radical mudança de mentalidade , nao nos dirigentes porque nao tenho qualquer esperança , mas nos adeptos. Só estes podem fazer regressar ao clube a sua identidade , que tem sido ano após ano esquecida. Sem um movimento forte , por muito bom que sejam os projectos , as direcções nao sentido que existe um apoio popular vão sempre ter facilidade em nao ir á avante , ou em alguns casos tratar as situações como se fossem bastardos. Sem um movimento forte com esse intuito , nao vejo nada que possa ser diferente. Ainda ontem acho que apenas uma pessoa (se nao me engano até foi o bruno carvalho) referiu as tais promessas do godinho durante a campanha sobre as reactivações.



Assino por baixo. O que me choca mais é que a descaracterização do nosso Clube depois de 1995 -  com o famigerado projecto Roquette, levou a que as novas gerações não tenham conhecido ainda a verdadeira matriz eclética do nosso Clube.
Perante isto, concordo plenamente que a "revolução" de mentalidades tem que passar por nós, aqueles que sentimos o movimento eclético para que alguns "dirigentes" que por lá andam se sintam pelo menos acossados.