Política Nacional

0 Membros e 3 Visitantes estão a ver este tópico.

Ola pessoal,

Fiz agora recentemente 18 anos e para dizer a verdade nunca me interessei por politica...Mas agora com 18 anos quero exercer o meu direito de voto...Portanto vinha pedir se me podiam dizer quais as ideias de cada partido etc...pelo menos alguma informaçao...

Eu sei que da esquerda para a direita os partidos sao assim !!!

BE PS PSD CDS

« Última modificação: Outubro 08, 2016, 13:24 pm por Letista »
Ola pessoal,

Fiz agora recentemente 18 anos e para dizer a verdade nunca me interessei por politica...Mas agora com 18 anos quero exercer o meu direito de voto...Portanto vinha pedir se me podiam dizer quais as ideias de cada partido etc...pelo menos alguma informaçao...

Eu sei que da esquerda para a direita os partidos sao assim !!!

BE PS PSD CDS



Ui...  ::)
The future is now... and now... and now... and now... and now... and now... and now...
Falta aí o PCP. Não é que se perca alguma coisa.  :twisted:
FORÇA LEÕES!!
É melhor começares por pesquisar qualquer coisa na net e depois pores d+uvidas mais "especificas", já que a política, mesmo a portuguesa, é uma coisa muito ampla, e não é muito fácil explicar as coisas de cada lado :think: Se eu tentar explicar aqui as minhas ideias, metade do fórum cai-me em cima já que sou de direita e sou contra os ideais da esquerda (tambem não me identifico com os de extrema direita, apenas com o modelo capitalista), por isso, como te disse é melhor pesquisares um bocadinho e depois perguntares coisas específicas (ou então, limita-te a votar no PSD :mrgreen:)
E que tal veres uns telejornais ou uns debates de vez em quando? Ou, até mesmo, quem sabe, ler uns jornais (não tenhas medo que eles não mordem...)
De um modo geral posso dizer-te que os partidos do sistema são todos um agrupamento de inúteis que só lá andam (a maioria) porque não sabem fazer mais nada na vida (veja-se o exemplo do primeiro-ministro que é "engenheiro civil" e nunca exerceu). Quanto a "ideais", isso depende do que o povo quer e precisa de ouvir......
SPORTING SEMPRE
caga nas ideologias e nos partidos... toma atençao durante a pré-campanha e vota naquele que te parecer mais simpático, serio ou competente (escolhe tu a prioridade..)... quando estiverem a falar baixa o som da televisao... nao vale a pena estares a escolher muito porque a m**da é a mesma...


os governos sao instrumentos manuseados pelo topo da pirâmide (é uma teoria minha..) por isso serão sempre eles (o topo da piramide..) a mandar seja qual for o governo... aliás eles próprios nao hao-de deixar o poder cair nas "mãos erradas" por isso nao te rales muito que "eles" tomam conta disto...

noutros países ainda há luta no topo da pirâmide (armas para um lado, farmaceuticas para outro, petroleo metido ao barulho..) e de vez em quando existe alguma diferença... em Portugal nem isso há... sao os mesmo interesses que controlam os principais partidos (PS e PSD..) por isso as diferenças sao minimas e normalmente apenas retóricas...


se queres preocupar-te com politica começa pelas coisas mais pequenas... pequenas coisas na freguesia, criar movimentos que tentem pressionar quem manda, divulgar injustiças, promessas por cumprir, suspeitas de ilegalidades participar nos orçamentos participativos... a democracia reside aí.. poderes opinar e divulgar as tuas ideias...

com os grandes nao te rales pois és muito pequenino para mudares alguma coisa... se houvesse um movimento de cidadania com peso ainda se podia mudar alguma coisa mas o pessoal nao quer saber e para além disso é complicado reunir muita gente com as mesmas ideias...


para as legislativas e europeias voto em branco..

nas autarquicas normalmente nao... acredito mais na politica da proximidade...


já agora aproveito este tópico para perguntar: o que é que acham da regionalizaçao?...


outra coisa: acredito que o panorama politico português pode sofrer uma alteracao profunda.. como?

criaçao de um partido centro direita que agrupe o cds pp e a ala ppd do psd, outro no bloco central psd e ala central do ps, outro mais á esquerda com a ala mais esquerdista do ps e be, pcp nao sei.. ou fica sozinho ou vai para o partido de esquerda, tipo coligacao (fusao nao acredito por questoes históricas)..

acho que era uma organizaçao melhor e mais clara e com o tempo chegaremos lá...

vivó Sporting!!!
Ola pessoal,

Fiz agora recentemente 18 anos e para dizer a verdade nunca me interessei por politica...Mas agora com 18 anos quero exercer o meu direito de voto...Portanto vinha pedir se me podiam dizer quais as ideias de cada partido etc...pelo menos alguma informaçao...

Eu sei que da esquerda para a direita os partidos sao assim !!!

BE PS PSD CDS

Bem, esquecendo o facto de não teres aí posto também a CDU (que, como disse o lion, não faz assim tanta falta ;) ) deixa-me dar-te umas ideias (minhas) relativamente ao estado da politica em Portugal neste momento.

Desde que temos eleições verdadeiramente livres, só tiveste governos ou de PSD ou de PS, com ou sem maiorias absolutas, e dá para ver o estado em que o país está...

Sempre tive inclinações para o centro-direita, PSD em especial, nomeadamente por causa de 2 excelentes personalidades politicas, o saudoso Sá Carneiro e o Cavaco Silva. Adiante...

Estes últimos governos, em que alternaram PSD e PS, viu-se o chegar ao limite da podridão na política. Aumentam os impostos, aumenta o desemprego, diminui o poder de compra, diminui o investimento nas pequenas e médias empresas, na agricultura, etc, mas temos o Euro, vamos ter o Aeroporto de Lisboa, o TGV, e outras megalomanias, e, entretanto, tens pensionistas a viverem com 500 euros por mês, a quem são retirados benefícios na saúde e que têm de pagar aos 120 e 130 euros só de medicamentos...

ESTE é o país em que vivemos, e que o Sr. Sócrates (recuso-me a chamar-lhe engenheiro) ainda tem a LATA de vir pedir uma maioria absoluta!!!

Gostava honestamente de te dizer que, a ganhar o PSD, as coisas seriam diferentes, e, em parte, serão, mas, basicamente, a diferença será a cor da m****, porque será m**** à mesma. Vais ter durante os primeiros anos de governo eles a queixarem-se de que a culpa é do governo anterior, ou seja, a lenga lenga que andamos a ouvir à 12-16 anos...

Portanto, a minha proposta para ti, quer sejas de esquerda ou de direita, é, primeiro que tudo, VOTA!!! Cada vez mais aumenta a abstenção, e se os Portugueses pensam que é assim que resolvem os problemas do país, estão gravemente enganados. É a ÚNICA altura em que verdadeiramente temos o PODER nas mãos, e não o usar é uma irresponsabilidade. Daí eu dizer que, se não se importam com quem lá está, não se devem depois admirar que eles façam o mesmo.

Segundo, o meu conselho é que votes num partido de minoria. Seja o CDS, o BE ou a CDU, aconselho-te que não votes nem em PS nem em PSD. Por 2 razões, ambos já mostraram claramente que não têm capacidade para governarem sozinhos, e foram os únicos que até agora o fizeram, e além disso, penso que, com um governo de maioria simples, ou de coligação, o potencial para de facto se fazer ALGUMA COISA é maior. E não tens as poucas vergonhas que tens tido com as maiorias absolutas.
Portanto, a minha proposta para ti, quer sejas de esquerda ou de direita, é, primeiro que tudo, VOTA!!! Cada vez mais aumenta a abstenção, e se os Portugueses pensam que é assim que resolvem os problemas do país, estão gravemente enganados. É a ÚNICA altura em que verdadeiramente temos o PODER nas mãos, e não o usar é uma irresponsabilidade. Daí eu dizer que, se não se importam com quem lá está, não se devem depois admirar que eles façam o mesmo.

Segundo, o meu conselho é que votes num partido de minoria. Seja o CDS, o BE ou a CDU, aconselho-te que não votes nem em PS nem em PSD. Por 2 razões, ambos já mostraram claramente que não têm capacidade para governarem sozinhos, e foram os únicos que até agora o fizeram, e além disso, penso que, com um governo de maioria simples, ou de coligação, o potencial para de facto se fazer ALGUMA COISA é maior. E não tens as poucas vergonhas que tens tido com as maiorias absolutas.

nao critico quem se abstém... (acho no entanto mais expressivo votar em branco..)

a verdade é que não ha alternativas... tens ps e psd que sao os partidos do sistema... em principio sao estes que ganham sempre pois defendem quem manda... depois á direita tens um partido altamente demagogico (principalmente devido ao seu lider..) e sem coluna vertebral... e á esquerda um partido que é uma aglomeraçao de ideologias de extrema esquerda com uma boa campanha de marketing (be) e um pcp do seculo passado...


para além disso uma grande divisao de votos com o poder distribuido por muitos partidos obriga o governo a fazer uma serie de acordos que descaracteriza a sua politica e torna o país ingovernável... torna-se impossivel fazer qualquer reforma séria e consistente e impede a sua avaliaçao e responsabilizaçao a medio prazo... no fundo é tempo perdido...

vivó Sporting!!!
O único governo de maioria absoluta minimanente decente ainda foi o de Cavavo Silva. Mas no final caiu no problema de sempre, arrogância a mais, "quero posso e mando", e foi por isso que levou uma derrota estrondosa e pela qual Cavaco Silva andou desaparecido da política 10 anos. Governos de maioria absoluta são uma bela m****. Po outro lado, é impossível fazer qualquer reforma sem governos de maioria absoluta; há que agradar a gregos e troianos, e quem ganha são sempre os gregos  :twisted:. Mas as reformas que existem são sempre para lixar os pequeninos e quem não tem dinheiro. Mesmo um governo "de esquerda" como este de Sócrates foi do mais liberal que se pode pensar, basta recordar o encerramento de escolas, hospitais, serviços de urgência, aumentar dos impostos.

Por isso, a votar, votem nos pequenos, sejam de direita ou esquerda. Sempre obriga os grandes a ter que inovar e negociar para governar e quem sabe se nos pequenos ainda aparece alguém no futuro capaz de ser alternativa. É verdade que isso parece impossível, mas se aparecer um político que pareça honesto as pessoas votam em massa. Recordem-se do fenómeno PRD e mesmo o fenómeno Cavaco Silva, ainda que enquadrado num partido grande. Cavaco Silva ganhou as suas segundas eleições (maioria absoluta, a 1ª em Portugal, algo inimaginável na altura) porque na semana anterior às eleições AUMENTOU o preço da gasolina/gasóleo. O pessoal pensou "fonix, um político que não age segundo o vento das eleições e que arrisca fazer isto só pode ser um gajo sério e honesto"). Mesmo o BE é um bocado fruto deste desepero dos votantes, que não vêm alternativas. Miguel Portas e Francisco Louçã, independentemente de se concordar com eles, são uma lufada de ar fresco na política, e gostava de os ver com uma pasta ministerial, porque não? Mas num governo de maioria absoluta do PS, isso é impossível.




Governos de maioria absoluta são uma bela m****.


e os outros nao?...


eu acredito que a melhor soluçao de governo passa pela maioria absoluta... até digo mais.. maioria absoluta e mandatos legislativos de 6 anos...  agora era preciso é que os politicos fossem gente séria e os partidos nao fossem instrumentos nas maos dos mais poderosos...

melhor ainda era acabar com os partidos e criar outro sistema democrático...
vivó Sporting!!!
Naaah... basta meteres o sistema judicial a funcionar como deve ser, sem demoras e refúgios, e vais ver como os políticos começam logo a ser "gente séria", nem que seja por terem de fugir com o rabo à seringa. :mrgreen:

O problema dos políticos é a impunidade com que fazem as coisas - não existem consequências para os seus actos, pelo que sentem que não precisam de cumprir as regras... esse é aliás um problema da sociedade portuguesa em geral.
Naaah... basta meteres o sistema judicial a funcionar como deve ser, sem demoras e refúgios, e vais ver como os políticos começam logo a ser "gente séria", nem que seja por terem de fugir com o rabo à seringa. :mrgreen:

O problema dos políticos é a impunidade com que fazem as coisas - não existem consequências para os seus actos, pelo que sentem que não precisam de cumprir as regras... esse é aliás um problema da sociedade portuguesa em geral.

é um factor muito importante, sem dúvida...

a primeira condiçao para qualquer sistema é a justiça...
vivó Sporting!!!
Com um sistema judicial a funcionar decentemente, asseguras algumas alterações de mentalidade, quanto mais não seja pelo receio em não fazer as coisas pela via legal. (por exemplo, vê lá se, apesar de draconiana e com as suas nuances, as acções da ASAE não tiveram efeito em muita coisa nos estabelecimentos comerciais ;))
Realmente, a prioridade é votares. É muito importante votares. Vou votar pela primeira vez. Eu não tenho uma ideologia muito vincada, mas fico entre o PSD e o PS. Sou Centro, tenho opiniões de direita e opiniões de esquerda. Concluindo, nunca irei dar o meu voto ao Bloco nem ao PCP. Com José Socrates, o primeiro-ministro mais falso da nossa história política, o PS não ganhará o meu voto. Gosto da Manuela Ferreira Leite, que acredito que poderá levar o país a bom rumo mas com diferentes políticas, principalmente, alivio fiscal para as empresas e para a classe média. Pelo que tenho visto, tenho gostado bastante do CDS, que tem sido o único partido activo na oposição e que tentou alguns projecto-lei interessantes. O problema é que é liderado pelo Paulo Portas que, muito simplesmente, simboliza o típico político português, ou seja, promiscuo e cheio de telhados de vidro. Acho que CDS tem dois deputados interessantes nas suas fileiras, Teresa Caeiro e Pedro Mota Soares. Bloco de Esquerda e PCP não merecem o meu respeito por sou contra partidos anti-democráticos e centralizadores (PCP) e contra Partidos que nascem por via de fusões de partidos revolucionários com ideias do início do secúlo XX (Trotskysmo e Maoísmo) (BE).

Pena que o povo português não tenha ainda percebido os potenciais do voto em branco. Deixo aqui uma ideia: a obrigação de votar. O direito ao voto, ou seja, à liberdade, foi conseguido com muito esforço e dedicação (à SPORTING).
« Última modificação: Janeiro 20, 2009, 10:44 am por danielw »
danielw,

Deixo-te apenas um repto para que não vejas o PCP ou o BE como simples partidos anti-democráticos. Todos os partidos são a resultante do que lhes aconteceu no passado, todos têm os seus quês, a sua cultura e identidade próprias. Analisando na globalidade, o CDS é tão anti-democrático quanto o PS ou PCP, não existem diferenças fundamentais a não ser no alinhamento, i.e., nos "aliados" tradicionais existentes na sociedade, sendo que PS e PSD partilham a maioria deles.

Lembra-e aliás que a Suécia, país que admiras bastante (e com razão), fez-se à custa de um Socialismo muito "comunista" (há aqui médicos que contam como era "engraçado" terem cerca de 80-85% de impostos no início dos anos 80 com Olof Palm, altura de ainda grande apogeu sueco). ;D
danielw,

Deixo-te apenas um repto para que não vejas o PCP ou o BE como simples partidos anti-democráticos. Todos os partidos são a resultante do que lhes aconteceu no passado, todos têm os seus quês, a sua cultura e identidade próprias. Analisando na globalidade, o CDS é tão anti-democrático quanto o PS ou PCP, não existem diferenças fundamentais a não ser no alinhamento, i.e., nos "aliados" tradicionais existentes na sociedade, sendo que PS e PSD partilham a maioria deles.

Lembra-e aliás que a Suécia, país que admiras bastante (e com razão), fez-se à custa de um Socialismo muito "comunista" (há aqui médicos que contam como era "engraçado" terem cerca de 80-85% de impostos no início dos anos 80 com Olof Palm, altura de ainda grande apogeu sueco). ;D

Mas a Suécia, ainda hoje, tem fortes raízes socialistas, na segurança social abrangente, por exemplo? Eu, sem grande problema, assumo-me como anti-comunista. E considero o meu "Anti-Comunismo" bem fundamentado, já que tentei perceber todas as suas variantes através da análise histórica, da leitura dos manuais comunistas (Manifesto, Correntes Marxistas, etc) e só consigo tirar uma conclusão: retira liberdades individuais. Muitos defendem que o Comunismo só funciona na teoria, mas eu rejeito esse argumento. Nas bases comunistas, no seu fundamento mais básico, existe uma clara supressão de liberdades, de méritos e de capacidades. O Comunismo "obriga-nos" a seguir a via da normalização, transformando-nos a todos numa espécia de robots operários, sem distinguir aqueles que têm mais capacidade, mais ambição. Embora defendam a inexistência de Capitalismo, apenas defendem - embora não o admitam - o Capitalismo Estatal, assumindo o Estado a função de patronato. No CDS, por exemplo, apenas defendi os méritos que têm tido como oposição e não como ideologia, já que, pessoalmente, renego qualquer influência religiosa na condução do Estado e, analisando este mundo em constante evolução e mutação, parece-me dificil posicionar-me na esfera do conservadorismo, embora respeite a necessidade de defender tradições.
Analisando a Suécia, penso que é um país com uma Segurança Social fortissíma, justa e um sistema económico Capitalista incentivado mas regulado de forma a impedir os abusos que o resto dos países têm visto e sentido. E parece-me legítimo dar uma menção de louvor ao povo Sueco, que parece ser um povo trabalhador, à semelhança do povo japonês, o qual se pode atribuir uma grande quota de responsabilidade na evolução social e económica do país.
O Bloco de Esquerda, por exemplo, é dos partidos mais populistas que existe e, mais do que nínguem, por via do contacto pessoal, sei bem o estilo de pessoas que emana para aqueles lados. A evolução ideológica de um partido tem que passar, obrigatoriamente, pela remodelação e evolução da sua base ideológia pela via da análise retrospectiva, situação que não ocorre em partidos políticos de ideologias de fio marxista, leninista, trotskysta, e as suas restantes variantes, que são praticamente ilimitadas. Apenas te cito como exemplo a excelente modificação ideológica feita por Tony Blair, quando criou a corrente "New Labour", aglutinando princípios económicos de direita, como as privatizações. Tem de existir, por questões de evolução e compreensão do mundo, uma alteração das ideologias partidárias, não me parecendo correcto ilibar ideologias de extrema-esquerda por causa da sua raíz histórica. Estamos a falar de homens que rejeitam condenar regimes opressivos, preferindo atacar os EUA que, no fundo, são um paraíso comparando com países socialistas/comunistas.

Infelizmente, as desigualdades vão existir, mas parecem-me mais evidentes em regimes Socialistas (estou a falar de Socialismo genuíno) do que em regimes de modelo económico capitalista. No fundo, para mim, tudo depende da regulação. Havendo regulação, o Capitalismo pode funcionar bem.

Paracelsus, a minha "tese" sobre a Suécia está correcta, em moldes gerais? Em questões de direitos civis, por exemplo? Direitos dos Homosexuais, eutanásia, adopção, aborto, etc? Trata-se de uma sociedade muito mais evoluída. Mas gostaria de ler a tua opinião, principalmente, sobre as questões acima referidas (homosexuais, eutanásia, adopção, aborto).
« Última modificação: Janeiro 20, 2009, 13:01 pm por danielw »
Para conceberem a Suécia devem pensar num país como Portugal, mas em que o cumprimento das regras é levado a um ponto extremo e em que o Estado tem mecanismos de controlo superiores e mais apurados. O Estado Sueco é, digamos assim, um Big Brother dos Suecos e, por exemplo, podem saber exactamente o que compraste no Supermercado se assim o entenderem.

De resto, a Seguranca Social funciona segundo os mesmos princípios, mas é bem mais abrangente. O Estado assegura no máximo apenas 70% da reforma, cabendo 30% a instituicões de fundos de reforma privados (escolhidas anualmente por cada trabalhador), sendo que se estas forem ao ar, vai 30% da reforma ao ar. Mas no geral existe maior diversidade de apoios e de subsídios, esta é capaz de ser a maior diferenca nesta área.

O Socialismo sueco está bem presente no facto de, no início dos anos 70, os governos da altura terem decidido aumentar à grande e à francesa os salários quando quase tudo ainda era do Estado, sendo que praticamente não têm sofrido aumentos desde o início dos anos 90 - as empresas simplesmente não aguentam aumentos avultados de salários para os seus trabalhadores. A assimetria entre salários é mínima e os aumento salariais costumam ser em montante fixo e não percentagem para não acentuar as desigualdades. Um trabalhador menos bom não deve ser discriminado com menor salário ou menores regalias, mas em vez disso receber mais apoio até conseguir ter capacidade de completar a sua tarefa - e se nunca o conseguir vai ter apoio até se reformar. As instituicões existem não só para meter o país a funcionar, mas também para darem trabalho às pessoas - muitas das instituicões e asociacões são perfeitamente irrelevantes e o que fazem não serve para nada, mas dão trabalho às pessoas e permitem-lhes ganhar um ordenado semelhante ao da maioria dos trabalhadores (o exemplo disso é a típica piada do turista que vai ao restaurante na suécia e deixa o casaco num senhor que está à porta e que o coloca num cabide, e a pessoa paga 2€ por isso... pergunta: porque é que tem de pagar 2€ para meter o casaco num cabide em vez de o levar consigo?... resposta: para que a pessoa que recebe o casaco tenha emprego e assim acabe por ser paga pela funcão que desempenha ;D).

Ou seja, em teoria, o sistema sueco deveria favorecer a preguiça, desincentivar o perfeccionismo e o trabalho extra dos que têm mais capacidade e ambição. Aliás, para quê ser ambicioso se todos acabam por ter o mesmo e, os que querem ter mais, levam mais impostos (até 59% de IRS se for preciso) e mais as instituições te sugam? ;) Como dizes, no entanto, o povo sueco é muitíssimo trabalhador e muitíssimo apegado às regras (e exigente e controlador sobre se os outros também cumprem as regras) e é isso que faz que, mesmo não tendo por vezes qualquer incentivo para ser melhor que os outros, se esforcem na mesma e sejam competentes e exijam eficácia dos outros - é um conceito que ultrapassa a política, tem sim a ver com a mentalidade e lógica individualista - tens o que conquistas, o estado dá-te a mão dentro do possível, mas a família por exemplo, não te dá absolutamente nada.


Bem, que grande off-topic ;D, mas queria que percebesses que, independentemente das correntes ideológicas ou formas de estar na política, a mentalidade dos povos é a grande driving-force de um país.
Estou indeciso. Ainda não sei se vou votar no PSD ou no CDS. Depende das sondagens lá mais para a frente. Se o PSD puder derrotar o PS, voto no PSD. Se não, voto no CDS, porque a haver governo do PS minoritário, não quero que os socialistas se coliguem com a extrema-esquerda. Portas tem razão em não fechar a porta a um acordo com o PS, para que Portugal não fique sujeito a uma frente de esquerda. Mas não deve coligar-se com os socialistas. O "povo" de direita não aceita isso. Quando muito, acordos de incidência parlamentar.
FORÇA LEÕES!!
Realmente, a prioridade é votares. É muito importante votares. Vou votar pela primeira vez. Eu não tenho uma ideologia muito vincada, mas fico entre o PSD e o PS. Sou Centro, tenho opiniões de direita e opiniões de esquerda. Concluindo, nunca irei dar o meu voto ao Bloco nem ao PCP. Com José Socrates, o primeiro-ministro mais falso da nossa história política, o PS não ganhará o meu voto. Gosto da Manuela Ferreira Leite, que acredito que poderá levar o país a bom rumo mas com diferentes políticas, principalmente, alivio fiscal para as empresas e para a classe média. Pelo que tenho visto, tenho gostado bastante do CDS, que tem sido o único partido activo na oposição e que tentou alguns projecto-lei interessantes. O problema é que é liderado pelo Paulo Portas que, muito simplesmente, simboliza o típico político português, ou seja, promiscuo e cheio de telhados de vidro. Acho que CDS tem dois deputados interessantes nas suas fileiras, Teresa Caeiro e Pedro Mota Soares. Bloco de Esquerda e PCP não merecem o meu respeito por sou contra partidos anti-democráticos e centralizadores (PCP) e contra Partidos que nascem por via de fusões de partidos revolucionários com ideias do início do secúlo XX (Trotskysmo e Maoísmo) (BE).

Pena que o povo português não tenha ainda percebido os potenciais do voto em branco. Deixo aqui uma ideia: a obrigação de votar. O direito ao voto, ou seja, à liberdade, foi conseguido com muito esforço e dedicação (à SPORTING).

Continuas com o teu "hate speech" , já no outro dia tivemos a discutir isso.

Dás o exemplo do CDS esse partido dos bons samaritanos , curiosamente tambem não considerado democrático por quem vê as coisas pela perspectiva que tu odeias , ainda bem que a maior parte das pessoas não é como tu se não restava a este país a não ser uma guerra civil.

Numa democracia há lugar a todas as perspectivas , e toda a gente deve ser representada , não deves passar dum puto mimado com tudo à mão dado de graça , se não gostas estás no teu direito , agora respeita quem se governa com o salário minimo , com reformas miseráveis , e sim não se sentem representados nos partidos do centro e sim votam num dos partidos que tu odeias que não são anti-democráticos , mas sim anti-sistema , porque acreditam e sempre acreditaram que esta sociedade pode ser mais justa.
Se fossem anti-democráticos como tu dizes já terias sentido a presença deles na certa.  :mrgreen:

Arranja um hobbie ou um desporto que te vai fazer bem , se deres no duro aposto que vais respeitar mais os outros , porque só dizes balelas que não têm valor nenhum.