Política Nacional

M e 1 Visitante estão a ver este tópico.


Para contrariar-te, quando dizes que o Estado não ganha nada com a Zona Franca. Sugiro que vais procurar saber (google it) como é que o Luxemburgo vive e é considerado um território riquíssimo. Posso já adiantar que vive de operações financeiras.



Comem dinheiro no Luxemburgo??

Nao devias confundir uns quantos bancos e hedge funds com a população do Luxemburgo.
Então acabemos com todas as Offshores, pelo menos na UE. Mas sabes porque não vão terminar com elas? Porque os próprios estados têm empresas nas Offshores,. Em Portugal dou-te o exemplo da CGD, que já nem está sediada na Offshores, da Madeira porque deixou de ter tão boas vantagens.
 Porque que não há uma posição clara do estado português contra as Offshores,? Há apenas a intenção de encerrar a de cá. Eu mantenho o que disse, definam regras mais claras paras as Offshores,. Convêm falar de Offshores, porque a Zona Franca é bem mais que isso!
 Entretanto esperemos que o AJJ vá até às Arábias, para tentar negociar a venda da Região! :)
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp

Exactamente por achar que o comunismo é utópico (e aqui compreendo o comunismo, como a doutrina de Karl Marx) é que não pode ser aplicado na sua totalidade. A ex-URSS é o exemplo de como o comunismo não funciona e é utópico. E em termos muito generalistas, como poderá existir uma sociedade sem classes? Sempre existiram ricos e pobres e assim continuará a existir. Defendo que o Estado devia ter um papel mais regulador e não tão autoritário.
 Quanto ao anarquismo, que tanto defendes, és da opinião de que não precisamos de uma entidade como o Estado, mas de asociações democráticas onde não há ninguém que sobreponha a outro. Achas que isso resultaria? Defendem uma grande solidariedade entre todos, achas que isso alguma vez existirá? E não me venhas dar exemplos empresariais porque o mundo empresarial vai diferir do mundo do estado.
 Estas correntes políticas (anarquismo, socialismo, comunismo..) são todas muito idealizadas mas no papel, na vida real lamento mas não resultam. Porque? Se fossem bons estavam em prática.
 Até vou mais longe, sabes o porque de estarmos nesta situação de crise? Temos uma Constituição Portuguesa de 1976, onde estão alguns prossupostos comunistas, em pleno século XXI. Estamos há mais de 30 anos atrasados, é urgente uma revisão consituicional, mas uma verdadeira constituição e não uma que venha com paninhos quentes. Outro dos motivos: o Socialismo. E principalmente na pessoa do Sr. Guterres e depois para terminar o Sócrates. O Estado não aguenta o fardo pesado que tem, o Estado não pode ser "mãe" e "pai" dos cidadãos, deve proteger sim, nos casos onde as ferramentas disponabilizadas não podem ser utilizadas por motivos de saúde ou incapacidade física. E dou o exemplo do Rendimento Social de Inserção (maravilha criada pelo o Guterres!), quanto bandido está aí com o RSI e que está em boas condições de trabalhar? A máquina do Estado é muito pesada e será preciso aliviá-la, senão isto é uma bola de neve que jamais terminará.

Convém sempre ignorar os factos que demonstrei no meu post anterior. Eu compreendo que não eram perguntas fáceis.

De qualquer maneira, olha para a confusão que para aí vai...tss tss tss  ;D

Pensas que o século XXI aconteceu só para ti, que mais ninguém aprendeu nada com o século XX e depois ainda fazes o erro de pensar que as medidas neoliberais que resultaram na crise precisam de ser ainda mais exacerbadas.

Repara bem, tu tens a mesma posição de um comissario soviético que em '89, ao aperceber-se que o sistema soviético estava em dificuldades, demandava um "comunismo" mais puro, mais controle do estado, ainda mais centralizado etc etc.

É exactamente o que fazes quando te deparas com a crise em que vivemos (suponho que te tenhas dado conta) e apontas o Estado como culpado, dando como solução ter menos impostos, mais privatizações, Zonas Francas etc etc

São duas posições idênticas no seu fundamentalismo, tanto a tua, como a do imaginário "comissario".

Mais, já escrevi antes que o Marx entendia comunismo como controle dos meios de produção por quem os trabalha e tal coisa nunca aconteceu na União Soviética.

Escreves "a doutrina de Karl Marx", mas nem nunca leste uma linha, porque se tivesses noção do que é o marxismo, sabias que não é mais que uma critica ao capitalismo, não sendo nenhuma doutrina nem nunca tendo feito propostas de como a União Soviética ou outro pais qualquer se deveria organizar. Esse é o teu erro. Tu pensas que aquilo era só copiar ali d' O Capital e mandar fazer. Os livros do Marx continuam tão relevantes agora como quando foram escritos, já que o capitalismo é praticamente o mesmo, continua selvagem e vampiro.

E quanto ao anarquismo então ainda estás mais enganado. Primeiro nem sequer percebes que há anarquistas tanto de direita como de esquerda, por assim dizer. Mais engraçado ainda, é que os anarquistas de direita pedem exactamente aquilo que tu estás a pedir. Ou seja, não querem estado, não querem pagar impostos etc etc.

E esta? Aposto que agora ficaste surpreendido.

Para tua infelicidade, depois já escrevo mais qualquer coisa, agora tenho cenas para fazer.
Fica bem!
:beer:
Se não estou em erro, alguns anarquistas de direita são rotulados de libertários, como já foi o caso do Ron Paul... :whistle:


"O ser humano será o único animal que procura voluntariamente a servidão para se furtar ao dom que o distingue da restante criação: a inteligência." (Miguel Castelo Branco)
Convém sempre ignorar os factos que demonstrei no meu post anterior. Eu compreendo que não eram perguntas fáceis.

De qualquer maneira, olha para a confusão que para aí vai...tss tss tss  ;D

Pensas que o século XXI aconteceu só para ti, que mais ninguém aprendeu nada com o século XX e depois ainda fazes o erro de pensar que as medidas neoliberais que resultaram na crise precisam de ser ainda mais exacerbadas.

Repara bem, tu tens a mesma posição de um comissario soviético que em '89, ao aperceber-se que o sistema soviético estava em dificuldades, demandava um "comunismo" mais puro, mais controle do estado, ainda mais centralizado etc etc.

É exactamente o que fazes quando te deparas com a crise em que vivemos (suponho que te tenhas dado conta) e apontas o Estado como culpado, dando como solução ter menos impostos, mais privatizações, Zonas Francas etc etc

São duas posições idênticas no seu fundamentalismo, tanto a tua, como a do imaginário "comissario".

Mais, já escrevi antes que o Marx entendia comunismo como controle dos meios de produção por quem os trabalha e tal coisa nunca aconteceu na União Soviética.

Escreves "a doutrina de Karl Marx", mas nem nunca leste uma linha, porque se tivesses noção do que é o marxismo, sabias que não é mais que uma critica ao capitalismo, não sendo nenhuma doutrina nem nunca tendo feito propostas de como a União Soviética ou outro pais qualquer se deveria organizar. Esse é o teu erro. Tu pensas que aquilo era só copiar ali d' O Capital e mandar fazer. Os livros do Marx continuam tão relevantes agora como quando foram escritos, já que o capitalismo é praticamente o mesmo, continua selvagem e vampiro.

E quanto ao anarquismo então ainda estás mais enganado. Primeiro nem sequer percebes que há anarquistas tanto de direita como de esquerda, por assim dizer. Mais engraçado ainda, é que os anarquistas de direita pedem exactamente aquilo que tu estás a pedir. Ou seja, não querem estado, não querem pagar impostos etc etc.

E esta? Aposto que agora ficaste surpreendido.

Para tua infelicidade, depois já escrevo mais qualquer coisa, agora tenho cenas para fazer.
Fica bem!
:beer:
Eu não culpei nem culpo o Estado. Que o Estado é uma máquina muito pesada e não tem fundos que o sustentem, é completamente verdade. Há dois caminhos: aumentamos os impostos ou aliviamos a despesa. Eu sou mais de acordo em aliviar a despesa, do que aumentar os impostos. Mas se aumentarmos os impostos, temos necessariamente que aumentar os direitos.Entendo que o Estado devia ter muitas mais funções de regulador, o que não quer dizer que defenda que o Estado deva desaparecer, como os anarquistas o defendem (sejam de direita, de esquerda, do centro) - mas pensando por este prima, deixaríamos de ter os milhares de funcionários públicos, olha só dinheiro que íamos poupar!
 Aconselho-te a ires rever o Marxismo porque é mais que uma crítica ao capitalismo, é já considerada uma corrente política. Se me disseres que não era essa a intenção de Karl Max, eu compreendo, mas evolui e hoje é uma corrente política.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp

Para contrariar-te, quando dizes que o Estado não ganha nada com a Zona Franca. Sugiro que vais procurar saber (google it) como é que o Luxemburgo vive e é considerado um território riquíssimo. Posso já adiantar que vive de operações financeiras.



Comem dinheiro no Luxemburgo??

Nao devias confundir uns quantos bancos e hedge funds com a população do Luxemburgo.

Elucida-me quais são as fontes de rendimento do Luxemburgo. Do que eu sei e entendo, vivem das operações financeiras.
Queres ver que eles são um país exportador e ninguém sabe..
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Então vamos lá a ver. Em Portugal vivem actualmente 40000 ciganos. Segundo dados de 2008  35000 têm direito e recebem o rendimento mínimo. Não pagam impostos. O Rendimento mínimo creio eu varia com o nº de filhos. Mas normalmente recebem 1200 euros.


Então 35000 x 1200=  420 milhões de euros por mês. Não pagam impostos.


Gastos no rendimento mínimo por ano (+-):

5 mil milhões de euros por ano. E são dados de 2008. E só estou falar dos ciganos. Não sei se há pessoas etnicamente portuguesas "brancas" a viver disto. Africanos também alguns têm isto.

Pergunto:

Isto é a gozar connosco?

Não sendo uma situação com a qual concorde, tens no entanto de a colocar em perspectiva. Assumindo que são 35 000 ciganos que recebem o rendimento mínimo que tu dizes ser de 1200€ (14400€ por cabeça por ano) para todos então teríamos aprox. 500 milhões de euros por ano para todos.

No outro caso, os tais 18 mil milhões de euros para apenas 1 600 cabeças dá qualquer coisa como 11,25 milhões de euros por cabeça por ano (ou seja, 940 000€ por mês)! Se o Estado tributasse a 15% como faz para a maioria das empresas colectava 3 mil milhões de euros (6x mais o que gastaria com os ciganos!) e essas tais 1600 pessoas ganhavam em vez de 940 000€ por mês qualquer coisa como 780 000€ por mês.

Ui, ficavam tão pobrezinhas... de 940 000€ por mês na off-shore passavam a ter rendimentos de 780 000€ por mês porque tinham contribuído com 15% para o Estado... que chatice, com tão pouco dinheiro talvez tenham de recorrer à sopa dos pobres. ???

De 1 200€ para 940 000€ ou 780 000€ mensais vai uma diferença, não? ;D

Então acabemos com todas as Offshores, pelo menos na UE. Mas sabes porque não vão terminar com elas? Porque os próprios estados têm empresas nas Offshores,. Em Portugal dou-te o exemplo da CGD, que já nem está sediada na Offshores, da Madeira porque deixou de ter tão boas vantagens.
 Porque que não há uma posição clara do estado português contra as Offshores,? Há apenas a intenção de encerrar a de cá. Eu mantenho o que disse, definam regras mais claras paras as Offshores,. Convêm falar de Offshores, porque a Zona Franca é bem mais que isso!
 Entretanto esperemos que o AJJ vá até às Arábias, para tentar negociar a venda da Região! :)

Muitos países têm tentado ao longo dos anos acabar com diversas off-shores. Uma off-shore é inimiga de um Estado, porque rouba-lhe os recursos que de outra forma o Estado teria para aplicar na sociedade. Mas é claro que quem é ganancioso e tem montanhas de dinheiro tudo faz para manter os seus privilégios, mesmo que isso implique o tráfico de influências dentro dos próprios governos estatais.

Não tenhas ilusões, isto é uma questão de ganância, nada mais, porque 15% de IRC não é muito para empresas que têm centenas de milhões de euros de lucros todos os anos.
Acho que se enquadra:



"O ser humano será o único animal que procura voluntariamente a servidão para se furtar ao dom que o distingue da restante criação: a inteligência." (Miguel Castelo Branco)

   Exactamente por achar que o comunismo é utópico (e aqui compreendo o comunismo, como a doutrina de Karl Marx) é que não pode ser aplicado na sua totalidade. A ex-URSS é o exemplo de como o comunismo não funciona e é utópico. E em termos muito generalistas, como poderá existir uma sociedade sem classes? Sempre existiram ricos e pobres e assim continuará a existir. Defendo que o Estado devia ter um papel mais regulador e não tão autoritário.
  Quanto ao anarquismo, que tanto defendes, és da opinião de que não precisamos de uma entidade como o Estado, mas de asociações democráticas onde não há ninguém que sobreponha a outro. Achas que isso resultaria? Defendem uma grande solidariedade entre todos, achas que isso alguma vez existirá? E não me venhas dar exemplos empresariais porque o mundo empresarial vai diferir do mundo do estado.
  Estas correntes políticas (anarquismo, socialismo, comunismo..) são todas muito idealizadas mas no papel, na vida real lamento mas não resultam. Porque? Se fossem bons estavam em prática.
  Até vou mais longe, sabes o porque de estarmos nesta situação de crise? Temos uma Constituição Portuguesa de 1976, onde estão alguns prossupostos comunistas, em pleno século XXI. Estamos há mais de 30 anos atrasados, é urgente uma revisão consituicional, mas uma verdadeira constituição e não uma que venha com paninhos quentes. Outro dos motivos: o Socialismo. E principalmente na pessoa do Sr. Guterres e depois para terminar o Sócrates. O Estado não aguenta o fardo pesado que tem, o Estado não pode ser "mãe" e "pai" dos cidadãos, deve proteger sim, nos casos onde as ferramentas disponabilizadas não podem ser utilizadas por motivos de saúde ou incapacidade física. E dou o exemplo do Rendimento Social de Inserção (maravilha criada pelo o Guterres!), quanto bandido está aí com o RSI e que está em boas condições de trabalhar? A máquina do Estado é muito pesada e será preciso aliviá-la, senão isto é uma bola de neve que jamais terminará.

 Eu não sou a favor do RSI de maneira nenhuma, mas politica social é algo delicado e que eu não sei bem qual a solução para isso. Se por um lado acho injusto que pessoas trabalhem para sustentar alguns bandidos, custa-me mais ver tanta pobreza e não ver ninguém dar-lhes uma ajuda.

 Mas para falar acerca do que me chamou a atenção e posso estar a falar um bocado de cor, mas tenho a opinião que não são os rendimentos que o Estado concede que colocam o mesmo obsoleto, ineficiente e pesado.

 Coisas como as PPP, a transferência do fundo de pensões para a banca que vai passar o encargo para o Estado ou por exemplo a criação de empresas municipais ou públicas de utilidade muito duvidosa e também a imensa burocracia que existe em muitos sectores tornam o Estado ineficiente. Cavaco, Guterres e etc governaram muito a pensar no dia de amanhã e esqueceram do que poderia custar ao Estado nos 20 anos seguintes.

 Quando nos temos pensões tão miseráveis, acho que não é pelo que o Estado concede aos cidadãos que está o fardo.
Então acabemos com todas as Offshores, pelo menos na UE. Mas sabes porque não vão terminar com elas? Porque os próprios estados têm empresas nas Offshores,. Em Portugal dou-te o exemplo da CGD, que já nem está sediada na Offshores, da Madeira porque deixou de ter tão boas vantagens.
 Porque que não há uma posição clara do estado português contra as Offshores,? Há apenas a intenção de encerrar a de cá. Eu mantenho o que disse, definam regras mais claras paras as Offshores,. Convêm falar de Offshores, porque a Zona Franca é bem mais que isso!
 Entretanto esperemos que o AJJ vá até às Arábias, para tentar negociar a venda da Região! :)

Muitos países têm tentado ao longo dos anos acabar com diversas off-shores. Uma off-shore é inimiga de um Estado, porque rouba-lhe os recursos que de outra forma o Estado teria para aplicar na sociedade. Mas é claro que quem é ganancioso e tem montanhas de dinheiro tudo faz para manter os seus privilégios, mesmo que isso implique o tráfico de influências dentro dos próprios governos estatais.

Não tenhas ilusões, isto é uma questão de ganância, nada mais, porque 15% de IRC não é muito para empresas que têm centenas de milhões de euros de lucros todos os anos.

Para algumas PME e nesta altura em que a economia quer financiamento como quem quer água no deserto, não achas que seria uma boa ideia aliviar o IRC em algumas PME?
Então acabemos com todas as Offshores, pelo menos na UE. Mas sabes porque não vão terminar com elas? Porque os próprios estados têm empresas nas Offshores,. Em Portugal dou-te o exemplo da CGD, que já nem está sediada na Offshores, da Madeira porque deixou de ter tão boas vantagens.
 Porque que não há uma posição clara do estado português contra as Offshores,? Há apenas a intenção de encerrar a de cá. Eu mantenho o que disse, definam regras mais claras paras as Offshores,. Convêm falar de Offshores, porque a Zona Franca é bem mais que isso!
 Entretanto esperemos que o AJJ vá até às Arábias, para tentar negociar a venda da Região! :)

Muitos países têm tentado ao longo dos anos acabar com diversas off-shores. Uma off-shore é inimiga de um Estado, porque rouba-lhe os recursos que de outra forma o Estado teria para aplicar na sociedade. Mas é claro que quem é ganancioso e tem montanhas de dinheiro tudo faz para manter os seus privilégios, mesmo que isso implique o tráfico de influências dentro dos próprios governos estatais.

Não tenhas ilusões, isto é uma questão de ganância, nada mais, porque 15% de IRC não é muito para empresas que têm centenas de milhões de euros de lucros todos os anos.

Para algumas PME e nesta altura em que a economia quer financiamento como quem quer água no deserto, não achas que seria uma boa ideia aliviar o IRC em algumas PME?

Não. Não creio ser esse o factor decisivo. Países com muito melhor saúde económica têm IRCs idênticos ou superiores (posso dar-te o exemplo sueco, que conheço bem, em que temos, seja em que circunstância for, 25% para uma empresa "simples", 30% para uma chamada empresa "comercial" e depois para uma empresa "com acções" temos 28%). Em Portugal, segundo a tabela de 2012 (recorrendo à wikipedia), temos: Lucro até 12.500€ = 12,5%; Lucro de 12.500 até 1.500.000€ = 25,0%; Lucro acima de 1.500.000€ = 28,0%).

Lembra-te que estamos aqui a falar de imposto sobre lucros, não é sobre o que a empresa produz. Ou seja, primeiro a empresa tem de atingir o balanço zero que lhe permite sobreviver e depois sim é aplicado o imposto a x% do lucro que obtém para além do balanço zero. Onde é que isto pode ser mau para uma empresa? A meu ver, se a empresa tiver planos megalómanos ou houver muita ganância, então sim pode ser mau para a mesma, de resto não estou mesmo a ver.
Se não estou em erro, alguns anarquistas de direita são rotulados de libertários, como já foi o caso do Ron Paul... :whistle:

Correcto, embora nem todos os libertários sejam anarquistas. O Ron Paul, por exemplo, é libertário mas não chega a ser anarquista. Claro que há muitos pontos comuns entre os anarquistas de esquerda e de direita.

A diferença é que os anarquistas de esquerda não querem ver terminar programas como a Segurança Social ou o Serviço Nacional de Saúde, enquanto os liberais (de direita) e libertários sim que pretendem privatizar tudo.

Gostei bastante desse gráfico onde a produção deixou de ser igualada pelos salários, ao mesmo tempo que os lucros também dispararam...É impressionante como ainda pode haver quem queira menos impostos (sobre o lucro, obviamente).

Se quiseres aprofundar ainda mais este mesmo ponto, aconselho este site. Se quiseres podes encontrar o filme no youtube. Basta procurares pelo titulo do site.





@Chown

O marxismo é uma corrente política (como tu lhe chamas) porque produz uma critica ao actual sistema capitalista, no entanto não produz alternativas que possam ser utilizadas como uma blueprint, como um molde...Percebes o que quero dizer?

Muitos de nós na Esquerda, já chegamos a conclusão que não se pode obrigar pessoas como tu a viver da maneira que gostaríamos, portanto o melhor seria se pudesse haver um sistema em que os trabalhadores consigam organizar as suas próprias empresas ou alternativamente onde consigam comprar acções da companhia onde trabalham...Isto não é nada radical, aliás até o actual governo conservador-liberal do Reino Unido propôs estas mesmas sugestões, já que concluiu acertadamente que assim haverá mais igualdade e maior produção.

És tu quem não enxerga o facto de estarmos já no século XXI, onde a era digital permite avanços muito maiores, onde é possível todos darem a sua resposta no espaço de segundos, onde uma democracia directa seria fácil de implementar. Os Suíços fazem montes de referendos já desde a não sei quantos anos...Porque razão não podemos nós fazer o mesmo?

Sabes porque não? Porque depois as zonas francas, os offshores e todas as demais injustiças seriam imediatamente irradiadas, deixando assim os super-ricos sem nanny-state. Claro que "eles" não vão nisso.

Pior ainda é aqueles que andam convencidos que ao estarem contra a gordura e desperdício do estado, vão acabar por lucrar alguma coisa. Dou-te só um exemplo. Este governo PSD-CDS já baixou os teus impostos? Pois...Bem me parecia que não.  ;D

Só mais uma para os que falam do desperdício e gordura do estado. Atenção que no seguinte texto, de um autor norte americano, liberal quer dizer de esquerda e conservador quer dizer de direita.

Citar
A Day in the Life of Joe the Conservative


Joe gets up at 6 a.m. and fills his coffeepot with water to prepare his morning coffee. The water is clean and good because some tree-hugging liberal fought for minimum water-quality standards. With his first swallow of water, he takes his daily medication. His medications are safe to take because some stupid commie liberal fought to ensure their safety and that they work as advertised.

All but $10 of his medications are paid for by his employer's medical plan because some liberal union workers fought their employers for paid medical insurance -- now Joe gets it, too.

He prepares his morning breakfast: bacon and eggs. Joe's bacon is safe to eat because some girly-man liberal fought for laws to regulate the meat packing industry.

In the morning shower, Joe reaches for his shampoo. His bottle is properly labeled with each ingredient and its amount in the total contents because some crybaby liberal fought for his right to know what he was putting on his body and how much it contained.

Joe dresses, walks outside and takes a deep breath. The air he breathes is clean because some environmentalist wacko liberal fought for the laws to stop industries from polluting our air.

He walks on the government-provided sidewalk to the subway station for his government-subsidized ride to work. It saves him considerable money in parking and transportation fees because some fancy-pants liberal fought for affordable public transportation, which gives everyone the opportunity to be a contributor.

Joe begins his work day. He has a good job with excellent pay, medical benefits, retirement, paid holidays and vacation because some lazy liberal union members fought and died for these working standards. Joe's employer pays these standards because Joe's employer doesn't want his employees to call the union.

If Joe is hurt on the job or becomes unemployed, he'll get a worker compensation or unemployment checks because some stupid liberal didn't think he should lose his home because of his temporary misfortune.

It is noontime and Joe needs to make a bank deposit so he can pay some bills. Joe's deposit is federally insured by the FSLIC because some godless liberal wanted to protect Joe's money from unscrupulous bankers who ruined the banking system before the Great Depression.

Joe has to pay his Fannie Mae-underwritten mortgage and his below-market federal student loan because some elitist liberal decided that Joe and the government would be better off if he was educated and earned more money over his lifetime. Joe also forgets that in addition to his federally subsidized student loans, he attended a state funded university.

Joe is home from work. He plans to visit his father this evening at his farm home in the country. He gets in his car for the drive. His car is among the safest in the world because some America-hating liberal fought for car safety standards to go along with the taxpayer funded roads.

He arrives at his boyhood home. His was the third generation to live in the house financed by Farmers' Home Administration because bankers didn't want to make rural loans.

The house didn't have electricity until some big-government liberal stuck his nose where it didn't belong and demanded rural electrification.

He is happy to see his father, who is now retired. His father lives on Social Security and a union pension because some wine-drinking, cheese-eating liberal made sure he could take care of himself so Joe wouldn't have to.

Joe gets back in his car for the ride home, and turns on a radio talk show. The radio host keeps saying that liberals are bad and conservatives are good. He doesn't mention that the beloved conservatives have fought against every protection and benefit Joe enjoys throughout his day. Joe agrees: "We don't need those big-government liberals ruining our lives! After all, I'm a self-made man who believes everyone should take care of themselves, just like I have."

Note: This was originally published (anonymously) under the title A Day in the Life of Joe Republican. But this is a misnomer. In the last 140 years, the Republican and Democratic parties have switched sides several times, with one being conservative and the other being liberal. But labels and party affiliations change. What doesn't change are the underlying political philosophies of liberalism and conservatism, and the fact that the liberals usually turned out to be right and the conservatives turned out to be wrong. And so it goes.

Pessoalmente acho que as MPMEs deveriam ter um IRC mais reduzido e as empresas maiores, SGPS e afins tributadas de outra forma. Não concordo ainda que se dê benefícios sobretudo ou apenas as empresas de exportação. Por outro lado bastava uma política diferente no que diz respeito à energia, telecomunicações ou que a banca, incluindo a CGD, fizesse o que lhes compete, só isso faria uma diferença brutal isso.




Exactamente por achar que o comunismo é utópico (e aqui compreendo o comunismo, como a doutrina de Karl Marx) é que não pode ser aplicado na sua totalidade. A ex-URSS é o exemplo de como o comunismo não funciona e é utópico. E em termos muito generalistas, como poderá existir uma sociedade sem classes? Sempre existiram ricos e pobres e assim continuará a existir. Defendo que o Estado devia ter um papel mais regulador e não tão autoritário.
 

A URSS com todos as suas virtudes e defeitos contribuiu para uma porrada de avanços civilizacionais no campo político, social, tecnológico ou económico que hoje dás como garantidos e que até 1917 pareciam impossíveis e que sem a URSS não teriamos de certeza. Sem esquecer que este 1º modelo de socialismo mesmo rodeado de nações hostis, mesmo depois de ter sido invadido simultaneamente por 14 nações(!) pegou num país feudal e no espaço de 30 anos criou uma das 2 únicas super-potencias mundiais. Portanto longe de ser um falhanço total!
Além do mais foi UM modelo de socialismo que caiu e não foi O socialismo.

Como já disseram esqueceste de 2 coisas, a 1ª é que a URSS foi a 1ª tentativa de implementar o socialismo (percebi que não sabes ou fazes de conta que não sabes a diferença entre socialismo e comunismo), a 2ª é que se aprendeu com as suas conquistas e derrotas. Por exemplo, aqui em Portugal o PCP critica "excesso" de Estado na URSS defendendo o que o Yazalde falou, ou seja, um maior controle dos meios de produção pelos trabalhadores (através de cooperativas por exemplo).
Para que vejas que o socialismo é um objectivo que não se chega por uma via única o PCP defende uma economia mista (sectores: Estado, Cooperativo e privado) ou que até a Social-Democracia (sem aspas) tem como objectivo a criação de uma sociedade socialista.

 Até vou mais longe, sabes o porque de estarmos nesta situação de crise? Temos uma Constituição Portuguesa de 1976, onde estão alguns prossupostos comunistas, em pleno século XXI. Estamos há mais de 30 anos atrasados, é urgente uma revisão consituicional, mas uma verdadeira constituição e não uma que venha com paninhos quentes.

Eu a pensar que estamos nesta situação graças às medidas liberais, graças à "chilenização" em lume brando! Foi graças à destruição do aparelho produtivo, à entrada na moeda única, graças às privatizações a granel que causaram o estrangulamento e a ruína de milhares de pequenas empresas (privadas) ao longo destes anos que viram disparar o custo dos seus factores de produção (agravamento dos custos da energia, das taxas de juro, dos seguros, das telecomunicações, das portagens). Com as privatizações, reduziu-se a receita do Estado e limitou-se a sua capacidade na resolução dos problemas do país. Uma das principais causas do défice das contas públicas de hoje que o Governo afirma querer combater, está no desvio de muitos milhares de milhões de euros de lucros e de impostos, de empresas altamente rentáveis que entretanto foram privatizadas.
Mas sim, o problema é da constituição "comunista" ou dos trabalhadores que têm muitos direitos e trabalham muito pouco...

EDIT
o quadro que o Dunadan e muito importante e mostra o que estes artistas que agora aparecem de bandeira navional na lapela querem.
« Última modificação: Fevereiro 21, 2012, 15:51 pm por LISBON1906 »

The past is now part of my future,the present is well out of hand Ian Curtis, Heart and Soul


Lê lá isto.

Portugal podia tornar-se numa zona franca, e para todos...



Vejam este video...Vejam isto, é em português e sobre a máfia da Madeira com uma entrevista (sem perguntas fáceis) a João Pedro Martins

Citar

Sabia que o sexto homem mais rico do mundo tem uma empresa com sede na Ilha da Madeira?

Conheça a história da "Suite 605", nome do livro de João Pedro Martins, que investigou e concluiu que a Madeira perde cerca de dois mil milhões de euros por ser considerada Zona Franca
.




Sempre quero ver como o Chown pode ver este vídeo e vir desculpar a máfia que está instalada na Madeira..

Nao arranjas um emprego na Suite 605  ;D
Sem dados, e apenas xenofobia. Burrice ao cubo.

Curioso, é que sobre grandes ladrões (p.e., BPN), nada... Esses não incomodam... Mas se é cigano ou negro, vamos lá!!! Agarra que é ladrão.

Mas porque divide portugueses entre brancos, negros e afins? Pagam impostos pela cor da pele?

Então vamos lá a ver. Em Portugal vivem actualmente 40000 ciganos. Segundo dados de 2008  35000 têm direito e recebem o rendimento mínimo. Não pagam impostos. O Rendimento mínimo creio eu varia com o nº de filhos. Mas normalmente recebem 1200 euros.


Então 35000 x 1200=  420 milhões de euros por mês. Não pagam impostos.


Gastos no rendimento mínimo por ano (+-):

5 mil milhões de euros por ano. E são dados de 2008. E só estou falar dos ciganos. Não sei se há pessoas etnicamente portuguesas "brancas" a viver disto. Africanos também alguns têm isto.

Pergunto:

Isto é a gozar connosco?


É de pensar que o Sporting é muito grande, e que são estas coisas que valem muito para um clube. São estas coisas que trazem sportinguismo ao clube. Isto não é quantificável. Isto não são 6%, 7%... Isto é o Sporting! Isso traz coisas muito importantes ao Sporting. Fervor sportinguista, acima de tudo! - João Benedito, 20-06-2010
Sempre quero ver como o Chown pode ver este vídeo e vir desculpar a máfia que está instalada na Madeira..

Nao arranjas um emprego na Suite 605  ;D
Existe máfia cá, como existe em Portugal Continental. Aliás, a que actua de norte a sul do país é bem mais grave que a de cá. A comunicação social dedica-se à Madeira, sempre fez comichão a muita gente.

P.S. A máfia que anda pelo nosso Sporting é bem mais grave!
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Parlamento rejeita beber água da torneira porque sai 30 vezes mais cara

Incrível... A cara de pau não tem limites....

Como se diz..."por exemplo, na vila do Luso o povo bebe água do Luso ou que na vila do Vimieiro o povo bebe água do Vimieiro".
É de pensar que o Sporting é muito grande, e que são estas coisas que valem muito para um clube. São estas coisas que trazem sportinguismo ao clube. Isto não é quantificável. Isto não são 6%, 7%... Isto é o Sporting! Isso traz coisas muito importantes ao Sporting. Fervor sportinguista, acima de tudo! - João Benedito, 20-06-2010
Em Espanha, entretanto começou a "Primavera Valenciana"...
É de pensar que o Sporting é muito grande, e que são estas coisas que valem muito para um clube. São estas coisas que trazem sportinguismo ao clube. Isto não é quantificável. Isto não são 6%, 7%... Isto é o Sporting! Isso traz coisas muito importantes ao Sporting. Fervor sportinguista, acima de tudo! - João Benedito, 20-06-2010
Parlamento rejeita beber água da torneira porque sai 30 vezes mais cara

Incrível... A cara de pau não tem limites....

Como se diz..."por exemplo, na vila do Luso o povo bebe água do Luso ou que na vila do Vimieiro o povo bebe água do Vimieiro".

Eu não acredito no que estou a ler..os senhores doutores precisam de alguém para lhes encher e lavar o jarro...Eu nem vou escrever mais nada porque senão vai sair algo do qual posteriormente me arrependerei.