AG de 30/10/08 - Votação do Regulamento do Congresso Leonino

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

SAM era o testa de ferro de alguém com alta influência na Banca. Esse alguém era o Dr. Dias da Cunha. E a instituição financeira que ia estar por trás desta "aliança", como suporte financeiro para a lista SAM era o Barclays Bank.
Contudo, algo correu mal nos planos: SAM perdeu as eleições.

Se isso é verdade, então o TPC foi mal feito. SAM nunca mostrou ter um apoio de Sportinguistas com influência nas mais diferentes áreas, apenas alguns símbolos do futebol, e isso não foi manifestamente suficiente...

... até porque FSF 'colou' a si a imagem de upgrade de Dias da Cunha, ou seja, manter mais ou menos a mesma linha em termos de pose e de garantias com os bancos, mas com promessas de execucão diferentes (já se sabe que o pessoal não quer saber das promessas e liga sempre mais à pose).

Se aquilo era uma aliança vou ali e já venho! ;D

Não digo impossível porque seria pretensiosismo da minha parte no entanto acho verdeiramente complicado ter havido e vir a haver um aliança entre SAM e DC! :idea:
Como não acredito que esse sócio notável (cujo nome oculto) seja mentiroso, direi que estás enganado.

SAM era o testa de ferro de alguém com alta influência na Banca. Esse alguém era o Dr. Dias da Cunha. E a instituição financeira que ia estar por trás desta "aliança", como suporte financeiro para a lista SAM era o Barclays Bank.
Contudo, algo correu mal nos planos: SAM perdeu as eleições.

Se isso é verdade, então o TPC foi mal feito. SAM nunca mostrou ter um apoio de Sportinguistas com influência nas mais diferentes áreas, apenas alguns símbolos do futebol, e isso não foi manifestamente suficiente...

... até porque FSF 'colou' a si a imagem de upgrade de Dias da Cunha, ou seja, manter mais ou menos a mesma linha em termos de pose e de garantias com os bancos, mas com promessas de execucão diferentes (já se sabe que o pessoal não quer saber das promessas e liga sempre mais à pose).

Se aquilo era uma aliança vou ali e já venho! ;D

Não digo impossível porque seria pretensiosismo da minha parte no entanto acho verdeiramente complicado ter havido e vir a haver um aliança entre SAM e DC! :idea:
Como não acredito que esse sócio notável (cujo nome oculto) seja mentiroso, direi que estás enganado.



Quem eu me lembro de estar ao lado de SAM era o Aguiar de Matos, pessoa que tenho a ideia de ter alguma força junto da banca. E também ele um ex-bigodes, se não me engano.
Sporting Sempre! 14.244
SAM era o testa de ferro de alguém com alta influência na Banca. Esse alguém era o Dr. Dias da Cunha. E a instituição financeira que ia estar por trás desta "aliança", como suporte financeiro para a lista SAM era o Barclays Bank.
Contudo, algo correu mal nos planos: SAM perdeu as eleições.

Se isso é verdade, então o TPC foi mal feito. SAM nunca mostrou ter um apoio de Sportinguistas com influência nas mais diferentes áreas, apenas alguns símbolos do futebol, e isso não foi manifestamente suficiente...

... até porque FSF 'colou' a si a imagem de upgrade de Dias da Cunha, ou seja, manter mais ou menos a mesma linha em termos de pose e de garantias com os bancos, mas com promessas de execucão diferentes (já se sabe que o pessoal não quer saber das promessas e liga sempre mais à pose).

Se aquilo era uma aliança vou ali e já venho! ;D

Não digo impossível porque seria pretensiosismo da minha parte no entanto acho verdeiramente complicado ter havido e vir a haver um aliança entre SAM e DC! :idea:
Como não acredito que esse sócio notável (cujo nome oculto) seja mentiroso, direi que estás enganado.

Também te digo se um plano destes, relativamente fácil de concretizar, acabou com SAM a ter 20% dos votos então ainda bem que estas mentes brilhantes não chegaram ao poder, imagina o que era ter "planeadores" desta estirpe à frente dos destinos do clube, com os que estão lá já é o que é, imagina como seria com SAM e Barclays ao barulho! ;D
Hoje como sempre, tenho o FórumSCP na mente e o Sporting Clube de Portugal no coração!
Que perspectivas de mudança existem actualmente?
A julgar pelas últimas eleições, em que a alternativa não ofereceu consenso, iremos ter novamente mais do mesmo se não aparecer uma alternativa válida.
Se os Sportinguistas ficarem de braços cruzados, é mais do mesmo que iremos ter, para desgraça do Sporting.
Por isso, sou da opinião que atitudes mais interventivas devem ser tomadas (não, não é achincalhar o Filipe nas AGs) ::). Talvez assim, mostrando que existe uma base de apoio que lhe dê hipótese de correr com a camarilha nas urnas, apareça um(a) candidato(a) alternativo(a) que feche este ciclo maléfico da vida do Clube e o devolva aos Sportinguistas.
Edited: Copy/Paste errado; era isto:
Eu penso que isso nem sequer é preciso. Toda a gente sabe que há descontentamento, e muito.
Nisso estou em total desacordo com quem acha que é preciso agitar.
Quem quer que seja adepto, quanto mais sócio (que é quem vota) está descontente com o actual estado das coisas. Os próprios dirigentes estão descontentes. Ninguém pode estar contente.
Aliás, basta a equipa ter mais um ou outro desaire, para qualquer candidato que consiga fazer passar a imagem de ter apoios financeiros ter sucesso.
Para ganhar as próprias eleições é apenas preciso aparecer alguém que reúna um mínimo de condições. O clube está em ponto de rebuçado para uma mudança.
Só se os resultados do futebol mudarem muito, e depressa, é que não será assim.
E até ao intervalo de Inverno nada indica que venham a suceder mudanças a nível desportivo :-(
É que por um lado todos preferíamos que houvesse mudanças a nível desportivo!

« Última modificação: Novembro 04, 2008, 12:21 pm por one_o_six »
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Que perspectivas de mudança existem actualmente?
A julgar pelas últimas eleições, em que a alternativa não ofereceu consenso, iremos ter novamente mais do mesmo se não aparecer uma alternativa válida.
Se os Sportinguistas ficarem de braços cruzados, é mais do mesmo que iremos ter, para desgraça do Sporting.
Por isso, sou da opinião que atitudes mais interventivas devem ser tomadas (não, não é achincalhar o Filipe nas AGs) ::). Talvez assim, mostrando que existe uma base de apoio que lhe dê hipótese de correr com a camarilha nas urnas, apareça um(a) candidato(a) alternativo(a) que feche este ciclo maléfico da vida do Clube e o devolva aos Sportinguistas.
Quanto ao Barclays poder ser uma alternativa ao BES, essa imagem não passou pura e simplesmente.
Além disso, a candidatura de AM tentou, e bem, dar a entender que se conseguiria algo mais a nível do BCP, mas isso também não resultou.
Será algo que qualquer alternativa terá que gerir com muito cuidado.
Continuo na minha, ou cheira minimamente a dinheiro, ou ninguém vota num candidato. 


Dinheiro é sinónimo de estabilidade em clubes praticamente falidos, por isso na hora de votar o programa eleitoral é das coisas menos apreciadas pois o que interessa ao comum dos sócios votantes é saber se, quem tomar conta do cargo, terá "bagagem" para segurar o clube se tal for necessário, tudo o resto é importante mas passa para 2º plano! :arrow:
« Última modificação: Novembro 04, 2008, 15:15 pm por Rui Sampaio »
Hoje como sempre, tenho o FórumSCP na mente e o Sporting Clube de Portugal no coração!
Que perspectivas de mudança existem actualmente?
A julgar pelas últimas eleições, em que a alternativa não ofereceu consenso, iremos ter novamente mais do mesmo se não aparecer uma alternativa válida.
Se os Sportinguistas ficarem de braços cruzados, é mais do mesmo que iremos ter, para desgraça do Sporting.
Por isso, sou da opinião que atitudes mais interventivas devem ser tomadas (não, não é achincalhar o Filipe nas AGs) ::). Talvez assim, mostrando que existe uma base de apoio que lhe dê hipótese de correr com a camarilha nas urnas, apareça um(a) candidato(a) alternativo(a) que feche este ciclo maléfico da vida do Clube e o devolva aos Sportinguistas.
Quanto ao Barclays poder ser uma alternativa ao BES, essa imagem não passou pura e simplesmente.
Além disso, a candidatura de AM tentou, e bem, dar a entender que se conseguiria algo mais a nível do BCP, mas isso também não resultou.
Será algo que qualquer alternativa terá que gerir com muito cuidado.
Continuo na minha, ou cheira minimamente a dinheiro, ou ninguém vota num candidato. 


Dinheiro é sinónimo de estabilidade em clubes praticamente falidos e por isso na hora de votar o programa aleitoral é das coisas menos apreciadas pois o que interessa ao comum dos sócios votantes é saber se, quem tomar conta do cargo, terá "bagagem" para segurar o clube se tal for necessário, tudo o resto é importante mas passa para 2º plano! :arrow:

Isso e mais: quem, de fora do circulo 'projecto Roquette' quiser tornar-se presidente do Sporting vai ter que apresentar as suas ideias- alternativas às que tem a actual direcçâo e que deiam algumas garantias de mudança pra melhor- e explicar muito bem como as vai financiar. Sem isso e sem cobertura da imprensa nâo terá hipotese.
Not everything that can be counted counts, and not everything that counts can be counted.
Albert Einstein (1879-1955)

Confront your enemies, avoid them if you can
A gentlemen will walk but never run. Sting(1951- )
SAM era o testa de ferro de alguém com alta influência na Banca. Esse alguém era o Dr. Dias da Cunha. E a instituição financeira que ia estar por trás desta "aliança", como suporte financeiro para a lista SAM era o Barclays Bank.
Contudo, algo correu mal nos planos: SAM perdeu as eleições.

Se isso é verdade, então o TPC foi mal feito. SAM nunca mostrou ter um apoio de Sportinguistas com influência nas mais diferentes áreas, apenas alguns símbolos do futebol, e isso não foi manifestamente suficiente...

... até porque FSF 'colou' a si a imagem de upgrade de Dias da Cunha, ou seja, manter mais ou menos a mesma linha em termos de pose e de garantias com os bancos, mas com promessas de execucão diferentes (já se sabe que o pessoal não quer saber das promessas e liga sempre mais à pose).

Se aquilo era uma aliança vou ali e já venho! ;D

Não digo impossível porque seria pretensiosismo da minha parte no entanto acho verdeiramente complicado ter havido e vir a haver um aliança entre SAM e DC! :idea:
Como não acredito que esse sócio notável (cujo nome oculto) seja mentiroso, direi que estás enganado.

Também te digo se um plano destes, relativamente fácil de concretizar, acabou com SAM a ter 20% dos votos então ainda bem que estas mentes brilhantes não chegaram ao poder, imagina o que era ter "planeadores" desta estirpe à frente dos destinos do clube, com os que estão lá já é o que é, imagina como seria com SAM e Barclays ao barulho! ;D

Pois, isso é outro assunto... também nunca vi SAM como uma alternativa credível devo confessar. E nunca mais o será no futuro.
Segundo a mesma fonte, o mais caricato é que SAM nas categorias 25, 22 e 19 votos venceu ou ficou equilibrado com FSF, o que não aconteceu nas categorias inferiores, onde levou um "tareão" nas urnas.
Que perspectivas de mudança existem actualmente?
A julgar pelas últimas eleições, em que a alternativa não ofereceu consenso, iremos ter novamente mais do mesmo se não aparecer uma alternativa válida.
Se os Sportinguistas ficarem de braços cruzados, é mais do mesmo que iremos ter, para desgraça do Sporting.
Por isso, sou da opinião que atitudes mais interventivas devem ser tomadas (não, não é achincalhar o Filipe nas AGs) ::). Talvez assim, mostrando que existe uma base de apoio que lhe dê hipótese de correr com a camarilha nas urnas, apareça um(a) candidato(a) alternativo(a) que feche este ciclo maléfico da vida do Clube e o devolva aos Sportinguistas.
Quanto ao Barclays poder ser uma alternativa ao BES, essa imagem não passou pura e simplesmente.
Além disso, a candidatura de AM tentou, e bem, dar a entender que se conseguiria algo mais a nível do BCP, mas isso também não resultou.
Será algo que qualquer alternativa terá que gerir com muito cuidado.
Continuo na minha, ou cheira minimamente a dinheiro, ou ninguém vota num candidato. 


Dinheiro é sinónimo de estabilidade em clubes praticamente falidos e por isso na hora de votar o programa aleitoral é das coisas menos apreciadas pois o que interessa ao comum dos sócios votantes é saber se, quem tomar conta do cargo, terá "bagagem" para segurar o clube se tal for necessário, tudo o resto é importante mas passa para 2º plano! :arrow:

Isso e mais: quem, de fora do circulo 'projecto Roquette' quiser tornar-se presidente do Sporting vai ter que apresentar as suas ideias- alternativas às que tem a actual direcçâo e que deiam algumas garantias de mudança pra melhor- e explicar muito bem como as vai financiar. Sem isso e sem cobertura da imprensa nâo terá hipotese.

Sem dúvida!

Mas para isso é preciso acabar com a dança dos números apresentados que vão variando consoante o momento... E para que isso aconteça nada melhor que uma auditoria!
A auditoria já devia ter começado......então faz algum sentido irmos realizar um Congresso onde é suposto debater o futuro do nosso clube sob várias vertentes, sem esse instrumento fundamental que é sabermos exactamente o nosso estado económico-financeiro???

Tenho para mim que para a Direcção nao aceder a fazer a auditoria é pq têm medo dos resultados, sinceramente nao tenho outra leitura.......e como eu gostava de ter era sinal que tinha mais confiança nesta equipa dirigente.



SL
SAM era o testa de ferro de alguém com alta influência na Banca. Esse alguém era o Dr. Dias da Cunha. E a instituição financeira que ia estar por trás desta "aliança", como suporte financeiro para a lista SAM era o Barclays Bank.
Contudo, algo correu mal nos planos: SAM perdeu as eleições.

Se isso é verdade, então o TPC foi mal feito. SAM nunca mostrou ter um apoio de Sportinguistas com influência nas mais diferentes áreas, apenas alguns símbolos do futebol, e isso não foi manifestamente suficiente...

... até porque FSF 'colou' a si a imagem de upgrade de Dias da Cunha, ou seja, manter mais ou menos a mesma linha em termos de pose e de garantias com os bancos, mas com promessas de execucão diferentes (já se sabe que o pessoal não quer saber das promessas e liga sempre mais à pose).

Se aquilo era uma aliança vou ali e já venho! ;D

Não digo impossível porque seria pretensiosismo da minha parte no entanto acho verdeiramente complicado ter havido e vir a haver um aliança entre SAM e DC! :idea:
Como não acredito que esse sócio notável (cujo nome oculto) seja mentiroso, direi que estás enganado.

Também te digo se um plano destes, relativamente fácil de concretizar, acabou com SAM a ter 20% dos votos então ainda bem que estas mentes brilhantes não chegaram ao poder, imagina o que era ter "planeadores" desta estirpe à frente dos destinos do clube, com os que estão lá já é o que é, imagina como seria com SAM e Barclays ao barulho! ;D

Pois, isso é outro assunto... também nunca vi SAM como uma alternativa credível devo confessar. E nunca mais o será no futuro.
Segundo a mesma fonte, o mais caricato é que SAM nas categorias 25, 22 e 19 votos venceu ou ficou equilibrado com FSF, o que não aconteceu nas categorias inferiores, onde levou um "tareão" nas urnas.

Se isso é verdade então não só é possível como é espectável que nas próximas eleições, se aparecer uma alternativa bem alicerçada, com um rosto sério e que crie empatia com os sócios, com ideias sustentadas e sobretudo com discurso simples e direccionado para os votantes, será possível derrotar FSF ou quem por ele concorra! :arrow:

Além disso essa distribuição de votação deita por terra o discurso dos velhos contra os novos, eu sei que as Assembleias são diferentes de eleições, no entanto por aí se prova que as Assembleias do clube são como são por duas razões, os novos vão lá em pouca quantidade e não há alternativa organizada, bastava isto para tornar as ditas bem mais construtivas! :idea:
Hoje como sempre, tenho o FórumSCP na mente e o Sporting Clube de Portugal no coração!
Que perspectivas de mudança existem actualmente?
A julgar pelas últimas eleições, em que a alternativa não ofereceu consenso, iremos ter novamente mais do mesmo se não aparecer uma alternativa válida.
Se os Sportinguistas ficarem de braços cruzados, é mais do mesmo que iremos ter, para desgraça do Sporting.
Por isso, sou da opinião que atitudes mais interventivas devem ser tomadas (não, não é achincalhar o Filipe nas AGs) ::). Talvez assim, mostrando que existe uma base de apoio que lhe dê hipótese de correr com a camarilha nas urnas, apareça um(a) candidato(a) alternativo(a) que feche este ciclo maléfico da vida do Clube e o devolva aos Sportinguistas.
Quanto ao Barclays poder ser uma alternativa ao BES, essa imagem não passou pura e simplesmente.
Além disso, a candidatura de AM tentou, e bem, dar a entender que se conseguiria algo mais a nível do BCP, mas isso também não resultou.
Será algo que qualquer alternativa terá que gerir com muito cuidado.
Continuo na minha, ou cheira minimamente a dinheiro, ou ninguém vota num candidato. 


Dinheiro é sinónimo de estabilidade em clubes praticamente falidos e por isso na hora de votar o programa aleitoral é das coisas menos apreciadas pois o que interessa ao comum dos sócios votantes é saber se, quem tomar conta do cargo, terá "bagagem" para segurar o clube se tal for necessário, tudo o resto é importante mas passa para 2º plano! :arrow:

Isso e mais: quem, de fora do circulo 'projecto Roquette' quiser tornar-se presidente do Sporting vai ter que apresentar as suas ideias- alternativas às que tem a actual direcçâo e que deiam algumas garantias de mudança pra melhor- e explicar muito bem como as vai financiar. Sem isso e sem cobertura da imprensa nâo terá hipotese.

Sem dúvida!

Mas para isso é preciso acabar com a dança dos números apresentados que vão variando consoante o momento... E para que isso aconteça nada melhor que uma auditoria!

E eu sou o primeiro a dizer AUDITORIA! :arrow:
Hoje como sempre, tenho o FórumSCP na mente e o Sporting Clube de Portugal no coração!
Bem, suponho que já há um tópico sobre a auditoria em si, não sei se já há algum sobre eleição de delegados ao Congresso (sequência desta AG) e sobre as eleições propriamente ditas.
Não que faça mal alargar este tópico («da discussão nasce a luz»), é apenas uma questão de organização.

Sobre a eleição de delegados ao Congresso, atenção que os prazos são sobre o apertado, há a questão das assinaturas, o dividir o número de votos por delegados, acho que quem quiser organizar alguma coisa se deve mexer.
(Eu estou disposto a ceder os meus 10 votos aos LdV.)

Sobre as eleições de Maio/Junho, é pena não se vislumbrar ainda nenhuma figura alternativa. Sei que os apoiantes de Abrantes Mendes querem tanto ver-se livres da actual direcção que o vão empurrar de novo para a frente, mas pode ser que se virem para outra pessoa.

«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Bem, suponho que já há um tópico sobre a auditoria em si, não sei se já há algum sobre eleição de delegados ao Congresso (sequência desta AG) e sobre as eleições propriamente ditas.
Não que faça mal alargar este tópico («da discussão nasce a luz»), é apenas uma questão de organização.

Sobre a eleição de delegados ao Congresso, atenção que os prazos são sobre o apertado, há a questão das assinaturas, o dividir o número de votos por delegados, acho que quem quiser organizar alguma coisa se deve mexer.
(Eu estou disposto a ceder os meus 10 votos aos LdV.)

Sobre as eleições de Maio/Junho, é pena não se vislumbrar ainda nenhuma figura alternativa. Sei que os apoiantes de Abrantes Mendes querem tanto ver-se livres da actual direcção que o vão empurrar de novo para a frente, mas pode ser que se virem para outra pessoa.
[/b]


É normal que não exista nenhuma alternativa! Só alguém louco ou inconsciente é que se atreve a apresentar um projecto alternativo quando o real estado do clube é desconhecido... Enquanto não houver auditoria, não faz qualquer sentido que alguém apresente um novo projecto!
É um método que já se provou que resulta. Os exemplos passados de Roquette/Materazzi e Dias da Cunha/Peseiro confirmam-te o que escrevi, ambos incontestados pela esmagadora maioria dos votos e tal como agora agarravam-se ao treinador como se disso a sua vida dependesse mas bastou umas quantas semanas de pressão e lá sairam.
No entanto que fique claro que apesar de não suportar o PB, não é minha intenção forçar a sua saida ficando os principais responsaveis no poleiro. É toda a estrutura que tem de cair.

Então não se vê que resulta? Cada vez mais os sócios com mais votos são mais fundamentalistas em relacão à linha desta Direccão e não foi por tirarem de lá o Roquette ou Dias da Cunha que isso se reverteu, pelo contrário... quanto mais 'golpes de estado' existirem, mais fundamentalistas e extremados vão ser os votos desse pessoal.

Eu compreendo o que queres dizer mas será que Roquette e Dias da Cunha saíram mesmo por pressão exterior e por causa dos rapazolas que pintavam paredes e faziam esperas nas garagens? Recordo que Dias da Cunha, por exemplo, no fim de um jogo em que Peseiro foi assobiado e se mostraram lenços brancos, usou uma frase que ficou muito célebre: "O Sporting não se governa de fora para dentro". Então ele diz isso e pouco tempo depois demite-se do cargo em solidariedade com o treinador devido à contestação de que este era alvo? Na altura muito se falou sobre de quem eram as verdadeiras responsabilidades nesse "golpe". Eu não sei nada por isso não vou alimentar especulações, mas há aqui no fórum quem saiba. Quem quiser que meta a boca no trombone.
Quod scripsi, scripsi.:
Tudo pelo Sporting, nada contra o Sporting.
Banca, Academia, Paulo Bento.
Evolução na continuidade.
Orgulhosamente sós a bater palmas ao mau futebol. Para Alvalade, rapidamente e em força.
É um método que já se provou que resulta. Os exemplos passados de Roquette/Materazzi e Dias da Cunha/Peseiro confirmam-te o que escrevi, ambos incontestados pela esmagadora maioria dos votos e tal como agora agarravam-se ao treinador como se disso a sua vida dependesse mas bastou umas quantas semanas de pressão e lá sairam.
No entanto que fique claro que apesar de não suportar o PB, não é minha intenção forçar a sua saida ficando os principais responsaveis no poleiro. É toda a estrutura que tem de cair.

Então não se vê que resulta? Cada vez mais os sócios com mais votos são mais fundamentalistas em relacão à linha desta Direccão e não foi por tirarem de lá o Roquette ou Dias da Cunha que isso se reverteu, pelo contrário... quanto mais 'golpes de estado' existirem, mais fundamentalistas e extremados vão ser os votos desse pessoal.

Eu compreendo o que queres dizer mas será que Roquette e Dias da Cunha saíram mesmo por pressão exterior e por causa dos rapazolas que pintavam paredes e faziam esperas nas garagens? Recordo que Dias da Cunha, por exemplo, no fim de um jogo em que Peseiro foi assobiado e se mostraram lenços brancos, usou uma frase que ficou muito célebre: "O Sporting não se governa de fora para dentro". Então ele diz isso e pouco tempo depois demite-se do cargo em solidariedade com o treinador devido à contestação de que este era alvo? Na altura muito se falou sobre de quem eram as verdadeiras responsabilidades nesse "golpe". Eu não sei nada por isso não vou alimentar especulações, mas há aqui no fórum quem saiba. Quem quiser que meta a boca no trombone.

E eu sei que tu sabes quem sabe... :twisted: :lol:
Assinatura renovada! Demorou, mas foi!
Citar

REGULAMENTO DO CONGRESSO: O ESTRANHO CASO DAS PROPOSTAS DESAPARECIDAS

Como foi oportunamente divulgado, o Movimento Leão de Verdade, através de cinco dos seus membros, apresentou na Assembleia Geral do passado dia 30 de Outubro uma extensa proposta de alteração ao regulamento do Congresso Leonino submetido para aprovação pelo Conselho Directivo.

Tais propostas visavam tornar o Congresso mais aberto e menos endógeno, mais democrático e menos elitista, mais produtivo e menos instrumentalizável. Pretendia-se reduzir drasticamente o número de inerências, aligeirar as formalidades de inscrição, tornar mais funcional a direcção dos trabalhos, abrir aos sócios as portas do evento e assegurar a divulgação de todas as recomendações apresentadas.

Como é sabido, embora as propostas tivessem sido bem acolhidas por um número significativo dos sócios presentes, aquelas que foram submetidas a votação não lograram atingir o número de votos necessários à sua aprovação. No entanto, outras houve que não chegaram a ser votadas, porque o Presidente do Conselho Directivo se comprometeu, perante os proponentes e, claro está, perante a Assembleia, a incluí-las no regulamento definitivo.

Foi este o caso das seguintes propostas:

- Aditamento de um novo número ao art. 8º da proposta de regulamento, com a seguinte redacção:

«Poderão ainda assistir ao Congresso Leonino todos os sócios efectivos no pleno gozo dos seus direitos associativos que para esse efeito se inscrevam; para tanto, os sócios interessados deverão enviar a sua inscrição para o Edifício Visconde de Alvalade, piso 7, em Lisboa, ao cuidado da Comissão Organizadora, até 30 dias antes da data designada para o início do Congresso; as inscrições serão gratuitas e admitidas por ordem de recepção, em número limitado à capacidade do local em que decorra o Congresso.»; e

- Aditamento de um novo número ao art. 12º da proposta de regulamento, com a seguinte redacção:

«Findo o Congresso Leonino, a Comissão Organizadora compilará e tornará públicas as actas das sessões de debate havidas nas Secções e em Plenário, conjuntamente com a lista identificativa de todos os Delegados e o texto integral de todas as recomendações ou outras propostas apresentadas pelos Delegados, qualquer que tenha sido a votação que sobre elas haja incidido, e com indicação do resultado dessa votação.»

Relativamente à primeira proposta, após explicar, com argumentos que os proponentes consideraram razoáveis, a inviabilidade de os sócios assistirem aos trabalhos das secções, o Presidente do Conselho Directivo propôs, em alternativa, que a possibilidade de assistência dos sócios ao Congresso, nos termos da proposta de alteração, fosse limitada à sessão plenária. Perante tal solução, considerada satisfatória, os proponentes retiraram de votação a sua proposta de alteração.

Já quanto à segunda proposta, após se insurgir contra os custos da publicação de todas as recomendações apresentadas ao Congresso, e depois de esclarecido pelos proponentes quanto à natureza da publicação pretendida - a qual se bastaria com a disponibilização online de toda a documentação referida na proposta de alteração -, o Presidente do Conselho Directivo acabou por aceder a essa publicação, o que levou a que, também neste caso, os proponentes retirassem de votação a sua proposta de alteração.

Após a publicação do regulamento definitivo, constata-se que o art. 8º não contém referência alguma à possibilidade de os sócios assistirem a qualquer das sessões do Congresso, e que ao art. 12º foi aditado de um incipiente nº 6, segundo o qual «O Conselho Directivo promoverá a publicação das recomendações aprovadas na Sessão Plenária final do Congresso», o qual, como se compreende, não corresponde nem à letra nem ao espírito do que fora proposto pelo Leão de Verdade e aceite pelo Presidente do Conselho Directivo.

Recusamo-nos a acreditar que esta situação resulte de um expediente deliberado do Conselho Directivo. Não podemos sequer conceber que o órgão de gestão do Sporting Clube de Portugal possa premeditadamente ludibriar os sócios do Clube, levando-os a abdicar de um direito que lhes assiste - o de apresentar propostas em Assembleia Geral - a pretexto de aceitação dessas propostas, apenas para em seguida fazer tábua rasa das mesmas. Seria uma inqualificável “burla associativa”, que, repetimos, não acreditamos que tenha acontecido.

Resta-nos assim admitir que se tratou de um lapso, grave e  lamentável, e esperar que os órgãos responsáveis encontrem a melhor forma de o corrigir, o que foi já reclamado pelo Movimento Leão de Verdade, através de carta enviada ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral (com conhecimento ao Presidente do Conselho Directivo), na qual se solicita a resolução do problema, com adopção dos mecanismos formais considerados adequados. Até lá, sugerimos que todos os sócios que pretendam assistir à sessão plenária do Congresso se inscrevam para o efeito junto da secretaria do Clube, mencionando, se necessário, o compromisso assumido em Assembleia Geral pelo Presidente do Conselho Directivo.


http://www.leaodeverdade.org
Mas durante a AG foi dito e repetido que as intervenções na mesma estavam a ser gravadas. Tem que haver provas do que se passou.
Eu estive lá e ouvi tudo isso, foi como aqui descrito.
Sugiro que se contacte o presidente da Mesa da AG.

«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Tem de haver as actas da AG.
Mais uma fraude que querem cometer e mais uma falta de respeito para com os sócios.
Penso que isto é suficiente para o Congresso nao andar para a frente, de uma vez por todas os sócios têm de ser respeitados.


 :cartao:


SL