Liga dos Campeões 2016/2017

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Eu acho que eles só faziam bem se regressassem ao 4x3x3. Jogavam imenso na época passada, ao nível do melhor Dortmund do Klopp. Burki; Piszczek, Sokratis, Bartra e Raphael; Weigl, Kagawa e Gotze/Castro; Reus, Dembélé e Auba. Não tem nada que saber.
"If God had meant football to be played in the air, he would have put grass in the sky" - Brian Clough

“Quando treinava o Saragoça, um jogador veio ter comigo no início da época e disse-me, todo contente: ‘Mister, estou melhor do que nunca fisicamente.’ Olhei para ele e respondi-lhe: ‘Isso é a pior notícia que me podias dar. Agora vais estar em mais sítios errados mais vezes, c*****.’” - Juan Manuel Lillo
Acho que a Juve passa fácil, mas o Dortmund vai ter dificuldades com os lamps (espero que não!), se a defesa dos lamps tiver num dia sim, podem ter muitas complicações com as transições dos lamps.

Bayern vs Arsenal, tipico  :lol: :lol:

Curioso para ver o que faz o Nápoles e o Mónaco!
Os lampiões em fevereiro estão arrasados fisicamente.
Os lampiões em fevereiro estão arrasados fisicamente.
Pena o jogo não ser já. Daqui até lá muita coisa pode acontecer.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Enterram? Como assim? Falas do nosso treinador? Ou achas que o que se diz por aqui tem algum impacto na equipa? Eu quando estou a ver jogos do meu filho só puxo por ele e pela equipa e combato qualquer adversidade com todas as minhas forças. Depois quando chegamos a casa é que é altura de discutir os nossos problemas.
Aqui no fórum é como se fosse a nossa casa...é aqui que devemos colocar o dedo nas feridas e onde podemos dizer tudo aquilo que nos apoquenta. Só que esta "família" prefere meter a cabeça na areia e dizer que os problemas estão sempre do outro lado.
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Enterram? Como assim? Falas do nosso treinador? Ou achas que o que se diz por aqui tem algum impacto na equipa? Eu quando estou a ver jogos do meu filho só puxo por ele e pela equipa e combato qualquer adversidade com todas as minhas forças. Depois quando chegamos a casa é que é altura de discutir os nossos problemas.
Aqui no fórum é como se fosse a nossa casa...é aqui que devemos colocar o dedo nas feridas e onde podemos dizer tudo aquilo que nos apoquenta. Só que esta "família" prefere meter a cabeça na areia e dizer que os problemas estão sempre do outro lado.

Essa generalização é tão válida como a que vocês apontaram relativamente aos adversários.

É por o que se escreve aqui que os rivais ganham ou deixam de ganhar na Europa?

Há um ano que por aqui leio a mesma lenga lenga, qual fado, da impossibilidade de sucesso, de futurologias derroristas, das convicções absolutas dos sucessos de terceiros.

13° jornada, 5 pontos de atraso 1 par de dias depois do Sporting ter disputado a liderança e está tudo irremediavelmente perdido. 

E arrogam-se estes de esprito critico e capacidade de apontar o que está mal, como se quem se recusa a entrar nesta espiral derrotista, não o tivesse feito também e se calhar primeiro, antes sequer dos maus resultados.
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Enterram? Como assim? Falas do nosso treinador? Ou achas que o que se diz por aqui tem algum impacto na equipa? Eu quando estou a ver jogos do meu filho só puxo por ele e pela equipa e combato qualquer adversidade com todas as minhas forças. Depois quando chegamos a casa é que é altura de discutir os nossos problemas.
Aqui no fórum é como se fosse a nossa casa...é aqui que devemos colocar o dedo nas feridas e onde podemos dizer tudo aquilo que nos apoquenta. Só que esta "família" prefere meter a cabeça na areia e dizer que os problemas estão sempre do outro lado.

Essa generalização é tão válida como a que vocês apontaram relativamente aos adversários.

É por o que se escreve aqui que os rivais ganham ou deixam de ganhar na Europa?

Há um ano que por aqui leio a mesma lenga lenga, qual fado, da impossibilidade de sucesso, de futurologias derroristas, das convicções absolutas dos sucessos de terceiros.

13° jornada, 5 pontos de atraso 1 par de dias depois do Sporting ter disputado a liderança e está tudo irremediavelmente perdido. 

E arrogam-se estes de esprito critico e capacidade de apontar o que está mal, como se quem se recusa a entrar nesta espiral derrotista, não o tivesse feito também e se calhar primeiro, antes sequer dos maus resultados.

O que está irremediavelmente perdida é a nossa participação na Europa este ano...quanto ao resto veremos mas para mim não é preciso estar matematicamente afastado para perceber para onde caminhamos...e em relação ao campeonato digo-te que este jogo não mudou em nada o que já pensava: não somos suficientemente constantes para chegarmos ao fim vencedores. Espero estar completamente enganado mas mesmo tendo ganho na luz continuaria com a mesma convicção. Chama-lhe o que quiseres mas é apenas uma opinião...a minha. E ter uma opinião diferente da tua não me leva a essa separação que acabaste de fazer entre "vocês" e "nós". Para mim neste fórum só há "nós" mesmo com opiniões diferentes pois o que nos une deveria ser muito maior que opiniões diversas.
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Enterram? Como assim? Falas do nosso treinador? Ou achas que o que se diz por aqui tem algum impacto na equipa? Eu quando estou a ver jogos do meu filho só puxo por ele e pela equipa e combato qualquer adversidade com todas as minhas forças. Depois quando chegamos a casa é que é altura de discutir os nossos problemas.
Aqui no fórum é como se fosse a nossa casa...é aqui que devemos colocar o dedo nas feridas e onde podemos dizer tudo aquilo que nos apoquenta. Só que esta "família" prefere meter a cabeça na areia e dizer que os problemas estão sempre do outro lado.

Essa generalização é tão válida como a que vocês apontaram relativamente aos adversários.

É por o que se escreve aqui que os rivais ganham ou deixam de ganhar na Europa?

Há um ano que por aqui leio a mesma lenga lenga, qual fado, da impossibilidade de sucesso, de futurologias derroristas, das convicções absolutas dos sucessos de terceiros.

13° jornada, 5 pontos de atraso 1 par de dias depois do Sporting ter disputado a liderança e está tudo irremediavelmente perdido. 

E arrogam-se estes de esprito critico e capacidade de apontar o que está mal, como se quem se recusa a entrar nesta espiral derrotista, não o tivesse feito também e se calhar primeiro, antes sequer dos maus resultados.

O que está irremediavelmente perdida é a nossa participação na Europa este ano...quanto ao resto veremos mas para mim não é preciso estar matematicamente afastado para perceber para onde caminhamos...e em relação ao campeonato digo-te que este jogo não mudou em nada o que já pensava: não somos suficientemente constantes para chegarmos ao fim vencedores. Espero estar completamente enganado mas mesmo tendo ganho na luz continuaria com a mesma convicção. Chama-lhe o que quiseres mas é apenas uma opinião...a minha. E ter uma opinião diferente da tua não me leva a essa separação que acabaste de fazer entre "vocês" e "nós". Para mim neste fórum só há "nós" mesmo com opiniões diferentes pois o que nos une deveria ser muito maior que opiniões diversas.

Essa separação acontece a partir do momento em que o que nos une motiva futurologias derrotistas em contextos precoces, em contraponto com a comichão pela futurologia de terceiros, relativamente a derrotas dos rivais...   :inde:

E não falo só desta época. No ano passado foi a mesma coisa. Com o título à distância de um palmo, durante meses.
Lá estão vocês sempre a enterrar os adversários e depois acabam a engolir em seco. O Dortmund não era um bicho papão para nós e os lampiões, em dia sim, podem ganhar os jogos. A Juventus é sempre uma incógnita na Europa.

Engolir em seco?
Nessa altura depois arranjam-se umas quantas desculpas para minimizar as vitórias dos adversários mesmo contra aqueles que nos venceram facilmente.
Já é assim por aqui há muito tempo.

Preocupam-me bem mais aqueles que enterram a própria equipa, com competições importantes para discutir e ganhar. Mas isto sou eu...  :inde:
Enterram? Como assim? Falas do nosso treinador? Ou achas que o que se diz por aqui tem algum impacto na equipa? Eu quando estou a ver jogos do meu filho só puxo por ele e pela equipa e combato qualquer adversidade com todas as minhas forças. Depois quando chegamos a casa é que é altura de discutir os nossos problemas.
Aqui no fórum é como se fosse a nossa casa...é aqui que devemos colocar o dedo nas feridas e onde podemos dizer tudo aquilo que nos apoquenta. Só que esta "família" prefere meter a cabeça na areia e dizer que os problemas estão sempre do outro lado.

Essa generalização é tão válida como a que vocês apontaram relativamente aos adversários.

É por o que se escreve aqui que os rivais ganham ou deixam de ganhar na Europa?

Há um ano que por aqui leio a mesma lenga lenga, qual fado, da impossibilidade de sucesso, de futurologias derroristas, das convicções absolutas dos sucessos de terceiros.

13° jornada, 5 pontos de atraso 1 par de dias depois do Sporting ter disputado a liderança e está tudo irremediavelmente perdido. 

E arrogam-se estes de esprito critico e capacidade de apontar o que está mal, como se quem se recusa a entrar nesta espiral derrotista, não o tivesse feito também e se calhar primeiro, antes sequer dos maus resultados.

O que está irremediavelmente perdida é a nossa participação na Europa este ano...quanto ao resto veremos mas para mim não é preciso estar matematicamente afastado para perceber para onde caminhamos...e em relação ao campeonato digo-te que este jogo não mudou em nada o que já pensava: não somos suficientemente constantes para chegarmos ao fim vencedores. Espero estar completamente enganado mas mesmo tendo ganho na luz continuaria com a mesma convicção. Chama-lhe o que quiseres mas é apenas uma opinião...a minha. E ter uma opinião diferente da tua não me leva a essa separação que acabaste de fazer entre "vocês" e "nós". Para mim neste fórum só há "nós" mesmo com opiniões diferentes pois o que nos une deveria ser muito maior que opiniões diversas.

Essa separação acontece a partir do momento em que o que nos une motiva futurologias derrotistas em contextos precoces, em contraponto com a comichão pela futurologia de terceiros, relativamente a derrotas dos rivais...   :inde:

E não falo só desta época. No ano passado foi a mesma coisa. Com o título à distância de um palmo, durante meses.

Se estivéssemos a falar apenas da arte da adivinhação, concordaria contigo. Agora os sinais existem, depende de cada um interpreta-los ou ignora-los. Mais uma vez: não vejo aí razão para o separatismo.
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
E alguém afirmou o contrário? Há não muito tempo o Braga também andou mais perto de ser campeão do que na luta pela Europa. Isso não invalida o bom trabalho que se está a realizar, mas não iliba os erros que têm sido cometidos. Ninguém está isente de errar, claro. Não estou a por em causa o caminho percorrido pela actual direcção. Longe disso. Não estou a dar por perdida uma época que ainda não chegou a meio. Mas acho que a nível Europeu tinhamos obrigação de conseguir mais qualquer coisinha. A nível interno também perdemos pontos estupidamente que nos poderiam deixar noutro patamar, muito pelas contínuas tentativas de promover jogadores não se sabe muito bem porquê, bem como de teimosias tácticas que não nos levam a lado nenhum. Confiança no trabalho é importante e o treinador tem. Mas uma pequena dose de humildade faz falta para perceber os erros e corrigir. O discurso do Jesus lembra-me um músico com quem trabalhei até à pouco tempo. Com qualidade, voz razoável/boa, um projecto interessante, mas que impunha sempre as suas ideias como as correctas e que nunca conseguiu ouvir os restantes elementos a chamar a atenção dos erros que se iam cometendo. Acabou o projecto na ideia de que 3 estavam errados e ele estava certo e continua a fazer as coisas da mesma forma. E culpa os restantes 3 pelo que não correu bem. Jesus parece muitas vezes igual. Eu sou o maior, os outros não são treinadores, eu crio as grandes equipas, o grande futebol, somos avassaladores, controlamos, dominamos e há jogos que ganhamos 1-0 com o "credo na boca" e alguns golos sofridos são simplesmente de uma infantilidade atroz.
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
E alguém afirmou o contrário? Há não muito tempo o Braga também andou mais perto de ser campeão do que na luta pela Europa. Isso não invalida o bom trabalho que se está a realizar, mas não iliba os erros que têm sido cometidos. Ninguém está isente de errar, claro. Não estou a por em causa o caminho percorrido pela actual direcção. Longe disso. Não estou a dar por perdida uma época que ainda não chegou a meio. Mas acho que a nível Europeu tinhamos obrigação de conseguir mais qualquer coisinha. A nível interno também perdemos pontos estupidamente que nos poderiam deixar noutro patamar, muito pelas contínuas tentativas de promover jogadores não se sabe muito bem porquê, bem como de teimosias tácticas que não nos levam a lado nenhum. Confiança no trabalho é importante e o treinador tem. Mas uma pequena dose de humildade faz falta para perceber os erros e corrigir. O discurso do Jesus lembra-me um músico com quem trabalhei até à pouco tempo. Com qualidade, voz razoável/boa, um projecto interessante, mas que impunha sempre as suas ideias como as correctas e que nunca conseguiu ouvir os restantes elementos a chamar a atenção dos erros que se iam cometendo. Acabou o projecto na ideia de que 3 estavam errados e ele estava certo e continua a fazer as coisas da mesma forma. E culpa os restantes 3 pelo que não correu bem. Jesus parece muitas vezes igual. Eu sou o maior, os outros não são treinadores, eu crio as grandes equipas, o grande futebol, somos avassaladores, controlamos, dominamos e há jogos que ganhamos 1-0 com o "credo na boca" e alguns golos sofridos são simplesmente de uma infantilidade atroz.

O Braga lutou pelo titulo uma época, num ano atipico de superação. Ponto. O seu patamar normal e já é muito bom para eles, são os 20 e 30 pontos de distância para os grandes, que foi aquilo que tiveste no Sporting, na maior parte das épocas desde 2007.

E não é esse o patamar onde te encontras agora. É simples como isto. Com este treinador, que tacticamente é superior a todos os outros do campeonato e no Domingo voltou a prová-lo, portanto não percebo nem concordo com a questão das teimosias tácticas que tens referido, onde JJ foi e é mestre que o seu problema é outro, voltaste a lutar pelo titulo e tiveste a melhor equipa em Portugal, no ano passado.

Quanto ao que se fizer até ao fim do ano, cá estaremos para ver.
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
E alguém afirmou o contrário? Há não muito tempo o Braga também andou mais perto de ser campeão do que na luta pela Europa. Isso não invalida o bom trabalho que se está a realizar, mas não iliba os erros que têm sido cometidos. Ninguém está isente de errar, claro. Não estou a por em causa o caminho percorrido pela actual direcção. Longe disso. Não estou a dar por perdida uma época que ainda não chegou a meio. Mas acho que a nível Europeu tinhamos obrigação de conseguir mais qualquer coisinha. A nível interno também perdemos pontos estupidamente que nos poderiam deixar noutro patamar, muito pelas contínuas tentativas de promover jogadores não se sabe muito bem porquê, bem como de teimosias tácticas que não nos levam a lado nenhum. Confiança no trabalho é importante e o treinador tem. Mas uma pequena dose de humildade faz falta para perceber os erros e corrigir. O discurso do Jesus lembra-me um músico com quem trabalhei até à pouco tempo. Com qualidade, voz razoável/boa, um projecto interessante, mas que impunha sempre as suas ideias como as correctas e que nunca conseguiu ouvir os restantes elementos a chamar a atenção dos erros que se iam cometendo. Acabou o projecto na ideia de que 3 estavam errados e ele estava certo e continua a fazer as coisas da mesma forma. E culpa os restantes 3 pelo que não correu bem. Jesus parece muitas vezes igual. Eu sou o maior, os outros não são treinadores, eu crio as grandes equipas, o grande futebol, somos avassaladores, controlamos, dominamos e há jogos que ganhamos 1-0 com o "credo na boca" e alguns golos sofridos são simplesmente de uma infantilidade atroz.

O Braga lutou pelo titulo uma época, num ano atipico de superação. Ponto. O seu patamar normal e já é muito bom para eles, são os 20 e 30 pontos de distância para os grandes, que foi aquilo que tiveste no Sporting, na maior parte das épocas desde 2007.

E não é esse o patamar onde te encontras agora. É simples como isto. Com este treinador, que tacticamente é superior a todos os outros do campeonato e no Domingo voltou a prová-lo, portanto não percebo nem concordo com a questão das teimosias tácticas que tens referido, onde JJ foi e é mestre que o seu problema é outro, voltaste a lutar pelo titulo e tiveste a melhor equipa em Portugal, no ano passado.

Quanto ao que se fizer até ao fim do ano, cá estaremos para ver.
Estejas tu certo e eu errado. Na época passada, alinhei por esse diapasão. Esta época, não posso esconder alguma frustração/desilusão por algumas das exibições da equipa, pela escolha errada de alguns dos reforços e por alguns resultados e exibições que deixaram um pouco a desejar. E isto não advém da derrota de domingo passado, garanto.
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
E alguém afirmou o contrário? Há não muito tempo o Braga também andou mais perto de ser campeão do que na luta pela Europa. Isso não invalida o bom trabalho que se está a realizar, mas não iliba os erros que têm sido cometidos. Ninguém está isente de errar, claro. Não estou a por em causa o caminho percorrido pela actual direcção. Longe disso. Não estou a dar por perdida uma época que ainda não chegou a meio. Mas acho que a nível Europeu tinhamos obrigação de conseguir mais qualquer coisinha. A nível interno também perdemos pontos estupidamente que nos poderiam deixar noutro patamar, muito pelas contínuas tentativas de promover jogadores não se sabe muito bem porquê, bem como de teimosias tácticas que não nos levam a lado nenhum. Confiança no trabalho é importante e o treinador tem. Mas uma pequena dose de humildade faz falta para perceber os erros e corrigir. O discurso do Jesus lembra-me um músico com quem trabalhei até à pouco tempo. Com qualidade, voz razoável/boa, um projecto interessante, mas que impunha sempre as suas ideias como as correctas e que nunca conseguiu ouvir os restantes elementos a chamar a atenção dos erros que se iam cometendo. Acabou o projecto na ideia de que 3 estavam errados e ele estava certo e continua a fazer as coisas da mesma forma. E culpa os restantes 3 pelo que não correu bem. Jesus parece muitas vezes igual. Eu sou o maior, os outros não são treinadores, eu crio as grandes equipas, o grande futebol, somos avassaladores, controlamos, dominamos e há jogos que ganhamos 1-0 com o "credo na boca" e alguns golos sofridos são simplesmente de uma infantilidade atroz.

O Braga lutou pelo titulo uma época, num ano atipico de superação. Ponto. O seu patamar normal e já é muito bom para eles, são os 20 e 30 pontos de distância para os grandes, que foi aquilo que tiveste no Sporting, na maior parte das épocas desde 2007.

E não é esse o patamar onde te encontras agora. É simples como isto. Com este treinador, que tacticamente é superior a todos os outros do campeonato e no Domingo voltou a prová-lo, portanto não percebo nem concordo com a questão das teimosias tácticas que tens referido, onde JJ foi e é mestre que o seu problema é outro, voltaste a lutar pelo titulo e tiveste a melhor equipa em Portugal, no ano passado.

Quanto ao que se fizer até ao fim do ano, cá estaremos para ver.
Estejas tu certo e eu errado. Na época passada, alinhei por esse diapasão. Esta época, não posso esconder alguma frustração/desilusão por algumas das exibições da equipa, pela escolha errada de alguns dos reforços e por alguns resultados e exibições que deixaram um pouco a desejar. E isto não advém da derrota de domingo passado, garanto.

O que eu digo é que cá estaremos para ver, relativamente ao que se vai fazer até ao final do ano. A equipa de facto não está bem, por inumeras razões.

O que digo também é que quem manda, há 3 anos que vai criando condições para recolocar o Sporting na luta pelo titulo, fechando o fosso para os rivais, que era enorme.

E que o treinador é o mesmo que colocou a equipa a jogar o melhor futebol da Liga durante um ano inteiro e não era propriamente um desconhecido.

Há muito campeonato para disputar. E a equipa já esteve bem pior do que está agora.
Os sinais e o histórico... são já demasiados anos no "quase"... Estamos sempre na luta, estamos sempre melhores, temos sempre grandes jogadores, bons treinadores.... e chega ao fim... é quase como estares no bem bom e acabares antes de... acabares.
No caso referido, no entanto, o que apontei não foi exactamente a questão do Sporting estar na luta, abdicar ou não. Há percalços, claro, mas ainda temos muito campeonato pela frente. O que acho que continua a ser uma mentalidade errada é não saber reconhecer as valências dos adversários (jogos de bastidores à parte). Elevam-se os nosso à categoria de craques para tão rapidamente se atirarem pedras. Desvalorizam-se bons jogadores dos adversários... só porque sim. Qualquer jogador saído da formação deles é "flop". Os nossos são todos craques... até passarem 3 jogos. Os adversários vão desenvolvendo jogadores com qualidade (longe de serem o supra-sumo que é vendido na CS, é certo) mas dispõem de qualidades que é importante saber também reconhecer, para perceber as dificuldades que temos de enfrentar. Se desejo que caiam com estrondo, se possível cilindrados? Claro que sim. Todos os dias. Seja contra que equipa for. Agora isso não me põe uma pala nos olhos para afirmar constantemente que ganham com roubos e ajudas e mais não sei o quê. Têm-nas, com certeza. Mas além disso há qualidade.
Reconhecer as capacidades dos adversários é meio caminho andado para saber realizar a estratégia. E esse é um erro dos adeptos, (alguns, claro que não estou a generalizar) e vejo-o em Jesus que quase parece não analisar as equipas adversárias sob uma qualquer ideia de que o trabalho que desenvolve é tão bom que os outros é que têm que se preocupar connosco. Agora, tenho visto é o inverso. Os adversários a perceberem as lacunas da equipa. A saberem explorar as laterais, sobretudo a esquerda. A subir o lateral direito, porque o nosso ala esquerdo joga sempre para o meio. A não permitir que o avançado crie linhas de passe. A marcar com maior atenção Gelson porque a equipa só é vertical pela ala direita. A colocar 3 médios contra 2, porque temos 2 médios de grande categoria que têm de jogar praticamente sempre sozinhos e levar a equipa às costas.
Bom, estou a sair do tema.
Concluindo, não vejo que as tarefas de lampiões e fruteiros sejam fáceis, mas não são impossíveis. E enquanto desejamos aqui que sejam cilindrados, vemos as competições europeias em casa.
Porra, Filipe. Já andamos nisto há muitos anos, para nos lembrarmos qye regra geral, temos lutado por coisa nenhuma e que não há muito tempo estávamos mais perto do Braga que dos rivais.
E alguém afirmou o contrário? Há não muito tempo o Braga também andou mais perto de ser campeão do que na luta pela Europa. Isso não invalida o bom trabalho que se está a realizar, mas não iliba os erros que têm sido cometidos. Ninguém está isente de errar, claro. Não estou a por em causa o caminho percorrido pela actual direcção. Longe disso. Não estou a dar por perdida uma época que ainda não chegou a meio. Mas acho que a nível Europeu tinhamos obrigação de conseguir mais qualquer coisinha. A nível interno também perdemos pontos estupidamente que nos poderiam deixar noutro patamar, muito pelas contínuas tentativas de promover jogadores não se sabe muito bem porquê, bem como de teimosias tácticas que não nos levam a lado nenhum. Confiança no trabalho é importante e o treinador tem. Mas uma pequena dose de humildade faz falta para perceber os erros e corrigir. O discurso do Jesus lembra-me um músico com quem trabalhei até à pouco tempo. Com qualidade, voz razoável/boa, um projecto interessante, mas que impunha sempre as suas ideias como as correctas e que nunca conseguiu ouvir os restantes elementos a chamar a atenção dos erros que se iam cometendo. Acabou o projecto na ideia de que 3 estavam errados e ele estava certo e continua a fazer as coisas da mesma forma. E culpa os restantes 3 pelo que não correu bem. Jesus parece muitas vezes igual. Eu sou o maior, os outros não são treinadores, eu crio as grandes equipas, o grande futebol, somos avassaladores, controlamos, dominamos e há jogos que ganhamos 1-0 com o "credo na boca" e alguns golos sofridos são simplesmente de uma infantilidade atroz.

O Braga lutou pelo titulo uma época, num ano atipico de superação. Ponto. O seu patamar normal e já é muito bom para eles, são os 20 e 30 pontos de distância para os grandes, que foi aquilo que tiveste no Sporting, na maior parte das épocas desde 2007.

E não é esse o patamar onde te encontras agora. É simples como isto. Com este treinador, que tacticamente é superior a todos os outros do campeonato e no Domingo voltou a prová-lo, portanto não percebo nem concordo com a questão das teimosias tácticas que tens referido, onde JJ foi e é mestre que o seu problema é outro, voltaste a lutar pelo titulo e tiveste a melhor equipa em Portugal, no ano passado.

Quanto ao que se fizer até ao fim do ano, cá estaremos para ver.
Estejas tu certo e eu errado. Na época passada, alinhei por esse diapasão. Esta época, não posso esconder alguma frustração/desilusão por algumas das exibições da equipa, pela escolha errada de alguns dos reforços e por alguns resultados e exibições que deixaram um pouco a desejar. E isto não advém da derrota de domingo passado, garanto.

O que eu digo é que cá estaremos para ver, relativamente ao que se vai fazer até ao final do ano. A equipa de facto não está bem, por inumeras razões.

O que digo também é que quem manda, há 3 anos que vai criando condições para recolocar o Sporting na luta pelo titulo, fechando o fosso para os rivais, que era enorme.

E que o treinador é o mesmo que colocou a equipa a jogar o melhor futebol da Liga durante um ano inteiro e não era propriamente um desconhecido.

Há muito campeonato para disputar. E a equipa já esteve bem pior do que está agora.
Certo que a equipa perdeu 2 jogadores difíceis de substituir. Mas acho que a quebra foi demasiado acentuada, com jogadores que demonstraram alguma qualidade a caírem a pique e outros a não manterem a sua consistência. Schelotto ou Bryan Ruiz são 2 dos casos mais flagrantes.
Bom, Lion73, sabes que partilho da tua forma de ver, estar e sentir o Sporting. Aqui, estamos ligeiramente em desacordo, mas esperemos pelo passar dos jogos e com a esperança de que eu esteja  errado e que o tempo te venha a dar razão.
E acho que convém parar com o Off-Topic. Voltemos à Champions ;)
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».