Ex-jogadores do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Naldo assina pelo Espanhol por 2M - ***, não era de ir busca-lo novamente?Ridicula essa venda. Encaixava como uma luva ao lado do Coates.
 Já ouvi ideias piores. Ele de facto surpreendeu pela positiva quando passou por Portugal.
Opiniões...
Eu cá dispenso-o.

Sent from my Redmi 3 using Tapatalk

Depois do Coates foi o melhor central que passou por cá na era JJ, fácil.

A sua venda sempre foi parva, apenas.
⬆️⬆️⬆️

Enviado do meu iPad usando o Tapatalk
Não sei se estamos a falar do mesmo jogador. O Naldo de que me lembro era um que estava todo podre, lesionava-se por tudo e por nada, além de ser lento.
Quer-me parecer que estás a confundir com o Ewerton..
Pensei o mesmo.
Não confundir o roto e o nu. Nenhum deles se aproveitava.
A memória é uma coisa prodigiosa. Quando Naldo jogou cá era constantemente arrasado aqui no fórum, Agora que está longe é bestial...
A única desculpa que lhes dou (a todos) é  que eram obrigados a jogar do lado esquerdo, embora preferissem o direito, porque Paulo Oliveira era o «dono» do lado direito (um pouco como Coates hoje).
O que quero é essa malta (desse tempo) toda bem longe daqui!


Estás todo confundido. Nem sei se estás a falar do mesmo jogador... :-\

O Naldo sempre foi muito elogiado tirando um ou outro boneco habitual.

Era um excelente central e a sua venda, ainda que com algum lucro financeiro, esteve longe de ser consensual.
«Já vi o suficiente deste JJ e já lhe tirei as medidas. Com ele, o Sporting não vai a lado nenhum»

@SCP Always in forumscp 22-08-17
Alguem arranja a entrevista do Quiroga ao record? Obrigado!
Alguem arranja a entrevista do Quiroga ao record? Obrigado!
Li-a. Um dos meus irmãos comprava esse pasquim todos os dias.
Posso tentar recuperar o jornal em papel, na região de Lisboa.
Mas olha que não dizia nada de especial.
«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
O Labyad anda em altas. Agora foi o Zenit.
“A lot of football success is in the mind. You must believe you are the best and then make sure that you are.” - Bill Shankly
Alguem arranja a entrevista do Quiroga ao record? Obrigado!
Li-a. Um dos meus irmãos comprava esse pasquim todos os dias.
Posso tentar recuperar o jornal em papel, na região de Lisboa.
Mas olha que não dizia nada de especial.

Já tenho o jornal.

Sent from my Redmi 3 using Tapatalk

«Opiniões divergentes não significam ataques pessoais»
Labyad entrou no campeonato a marcar a dar seguimento à veia goleadora já demonstrada no playoff do final de época.

Acredito que esta época da o salto.
Parece ser diferente de um Aissati ou Amrabat desta vida, que também prometeram muito e depois se esfumaram.


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk
Esgaio marcou um golaço hoje.


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk
Labyad entrou no campeonato a marcar a dar seguimento à veia goleadora já demonstrada no playoff do final de época.

Acredito que esta época da o salto.
Parece ser diferente de um Aissati ou Amrabat desta vida, que também prometeram muito e depois se esfumaram.


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk
O Amrabat é titular no Watford. Nem está assim tão mal.
"Esforço, Dedicação, Devoção e Glória"
Rúben Semedo suplente


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

PO muito bem na vitória do Eibar sobre o Malaga

SL
Djalo reforça o Setúbal.
Grande Slimani, duas batatas lá para dentro! Ou vens para cá ou és titular aí, decide-te  :mrgreen: !
Djalo reforça o Setúbal.
Ainda sabe jogar à bola? Dar uns toques? Quer dizer, correr? A Luciana vai ter uma recaída? Oube lá. Tou um pouco counfusa...
«O importante é ganhar. Quer se goste mais de umas coisas e menos de outras, quer se tenha uma opinião mais para a esquerda ou mais para a direita, o que realmente importa é que cada um de nós ponha sempre os interesses do Sporting Clube de Portugal acima de qualquer gosto particular, de qualquer ataque dos nossos adversários, e tão alto que nada nem ninguém nos impeça de sermos cada vez mais fortes, ganhadores e campeões».
Aquilani, no Las Palmas. Nada mau.
Our culture is not for sale..! Sporting Sempre
O ruben semedo parece que ja anda a enterrar la no submarino amarelo... neste caso a afundar ahah
Citar
ESPANHOL PASSOU PELO SPORTING
Diego Capel deixa o Anderlecht e é um jogador livre

Diego Capel deixou o Anderlecht e é um jogador livre. Foi o próprio jogador quem fez o anúncio, na sua conta do Twitter.

Aos 29 anos, o jogador que passou pelo Sporting, deixa o clube belga apenas uma temporada após a sua chegada, tendo conquistado o campeonato belga.

«Sinto-me orgulhoso por este título figurar no meu palmarés. Mas nada se compara ao orgulho e felicidade por me ter sentido querido pelos adeptos, que são o que este clube tem de mais incrível», pode ler-se no comunicado do jogador.

Na Bélgica fez 24 partidas e apontou dois golos. Depois de Sevilha, Sporting, Génova e Anderlecht, veremos qual o futuro do extremo internacional espanhol.


Zerozero
Citar
ANTIGO GUARDIÃO DO SPORTING EM ENTREVISTA
Boeck: Os elogios a Jesus e a «grandeza do Sporting» comprovada com... a Chape

Já abandonou Portugal há mais de um ano e meio, mas Marcelo Boeck está longe de ser um nome desconhecido para o adepto português e, principalmente, para o adepto sportinguista.

O guardião brasileiro, que também jogou pelo Marítimo, passou cinco temporadas e meia em Alvalade, sendo recordado por todos como um profissional exemplar e um sportinguista nato - quem não se lembra de ver o guardião, no banco, a cumprir o papel de motivador das tropas...

O zerozero conversou com o atual guardião do Fortaleza, que aproveitou a deixa para recordar a passagem e a saída de Alvalade, com muitos elogios pelo meio...

A formação de uma «cultura» leonina
Para qualquer jogador brasileiro, a possibilidade de alcançar o futebol europeu é um sonho. Marcelo não foge à regra, apesar da chegada ao Sporting não ter atingido a singularidade que o guardião reclama. «Eu tinha o grande sonho de jogar num grande clube da Europa. Eu queria permanecer e fazer bonito. Até por ser o primeiro guarda-redes brasileiro da história do Sporting...» Na verdade, o zerozero foi verificar e Marcelo foi o 3º brasileiro a defender a baliza verde e branca - Jaguaré e Aníbal Saraiva já tinham jogado.

Ainda assim, apesar do erro de pormenor, Marcelo sentiu bem o impacto de uma chegada a um clube com dimensão europeia e as primeiras impressões mantêm-se vivas desde então.

«Lembro-me do primeiro jogo, contra o Famalicão. O meu primeiro jogo de pré-época, diante da Juventus. Lembro-me do Rui Patrício, do Paulinho... Lembro de Alvalade lotado, aquilo em que todo o jogador sonha ver. A revolução com a chegada de Bruno de Carvalho. Eu devo muito ao Sporting, por me ter formado com essa cultura.»

Rui Patrício, o «fora de série», e Jesus, o «melhor treinador»
Depois de uma época a brilhar no Marítimo, Marcelo Boeck foi contratado pelo Sporting para fazer concorrência a Rui Patrício. O internacional português já era o dono da baliza sportinguista, tendo continuado a ser mesmo depois da chegada de Boeck a Alvalade. Mesmo assim, a concorrência não impediu uma total admiração, a todos os níveis.

«Eu sabia que tinha um guarda-redes campeão europeu, referência do Sporting. Tivemos sempre um relacionamento de muito respeito, de muita amizade. O Rui Patrício é o que é pela pessoa, pelo caráter, pelos princípios que ele tem. Ele merece tudo de bom. Não joguei tanto, mas compensou pelas experiências vividas. Pessoa de família, de educação. Foi uma relação muito boa. Para mim, ele é um fora de série..»
Em Alvalade, Marcelo Boeck trabalhou com uma série de treinadores, muito devido à instabilidade que durante algum tempo se apoderou do clube. Ainda assim, para o guardião, há um que se destaca entre os demais. «Jorge Jesus foi, para mim, apesar de ter trabalhado com ele apenas oito meses, o melhor treinador que já tive. O aspeto tático, técnico dele, os mind games dele...Não é somente um treinador. Ele às vezes passa uma imagem que não é humano, que é arrogante. Não é nada disso! Em Arouca, no dia em que eu fui embora, nós tivemos uma conversa franca. Eu expliquei porque é que queria sair. Demos um abraço muito forte, até com lágrimas nos olhos. Tenho a certeza que o Sporting vai fazer história.»

A saída de Alvalade e uma ajuda...grandiosa
Deixarmos um lugar onde passamos bons tempos nunca é fácil. Marcelo Boeck passou por um mau bocado quando teve de fazer uma escolha (difícil), ainda que as coisas tenham sido pensadas com tempo e...com razão.

«Eram seis anos de Sporting e nove de Europa, os meus filhos começaram a crescer e começaram a ficar longe da família. Eu também queria terminar a carreira no Brasil. Tinha dois anos e meio de contrato com o Sporting, mas se eu esperasse o final do contrato, regressaria ao Brasil com 34 anos... Não teria um mercado muito bom. Foi uma decisão pensada em família, não na emoção», refere Marcelo Boeck, não sem antes elogiar o comportamento dos responsáveis leoninos na condução do processo. «Queria voltar a jogar. Foram conversas leais. Tudo o que presidente prometeu, cumpriu. Hoje, devo muito ao Jesus, devo muito a Bruno de Carvalho.»
Ainda assim, o atleta brasileiro admite algumas dificuldades para gerir o processo de saída. «O único arrependimento foi no final da minha passagem pelo Sporting. Já tinha tido algumas propostas, não saí, e quando chegou a proposta da Chapecoense eu queria ir muito. A cabeça do jogador mexe um pouco. O final poderia ser mais tranquilo.»

A tragédia que assolou a Chapecoense, em novembro passado, marcará sempre a carreira e a vida de Marcelo Boeck. Para lá da tragédia, ficam as demonstrações de carinho. A do Sporting, para o guardião, perdurará na memória. «Quando aconteceu essa tragédia, o Sporting foi o primeiro clube europeu a chegar. Nós estávamos lá e o primeiro clube a chegar foi o Sporting, através do Virgílio Lopes. Fala-se muito da ajuda do Barcelona, mas o primeiro clube a aparecer foi o Sporting. Não esperava nada menos desse grande clube, dessas grandes pessoas. Só comprovou aquilo que o Sporting é...»

Antes do final, uma pequena mensagem: «Sei do carinho que a torcida tem por mim, do respeito por ter sido o capitão. Vou torcer sempre.»

Zerozero
É impossível não se gostar do Boeck!!