Ciclismo

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Habemus Tour  :mrgreen:
Habemus Tour  :mrgreen:


Aru Vs Sky

Vai ser um duelo inglório para Aru e com um final previsível.

Aru tem pernas, mas não tem equipa. E ainda por cima com a desistência hoje de Jakob Fulgsang que já ontem tinha perdido muito tempo. Ao final da 1ª Subida do dia, já Aru estava sozinho e Froome com 4 gregários ali disponíveis. Parece-me uma questão de tempo até Froome reconquistar a Amarela.
Esforço, Dedicação e Devoção servem de pouco se não houver Competência e Rigor.

Acrescente-se definitivamente estes 2 pilares ao ADN do Sporting, para atingirmos a Gloria.
 Uma das grandes mais valias de Chris Froome, para além da excelente capacidade de sobrevivência que tem, é a guarda que ele leva consigo, está normalmente bem protegido e com colegas prontos a responder. São eles o que o levam ao cimo da montanha e depois o ciclista inglês faz o resto. Bem, mas é assim que o ciclismo é feito, desporto colectivo com um líder.

 Fabio Aru lembra-me imenso o Alberto Contador do passado. Também por isso que gosto do italiano. Há-de ganhar este Tour, nem que seja sozinho.  :mrgreen: (É muito difícil, mas ao menos dá emoção e sobretudo luta)
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
parece que temos etapa

Edit: vi agora que era a repeticao da etapa de À 2 dias  ;D


nao descarto o Bardet ou o Uran para ganhar o Tour mas se tivesse de apostar dinheiro metia as fichas todas no Froome
« Última modificação: Julho 15, 2017, 11:25 am por Green Lantern »
Eu disse que não ia demorar muito tempo até o Froome voltar a ter a amarela. Espero que já não a volte a perder e siga com ela até Paris! Ainda assim, não esperava que o italiano fosse perder a camisola numa etapa como esta. A diferença entre ter equipa e não ter também dá nisto, mas, de qualquer das formas, o Aru deveria ter conseguido posicionar-se bastante melhor naqueles momentos decisivos e acaba por ser um pouco, hoje, uma mistura entre culpa dele e culpa de não ter uma boa equipa para o ajudar nestas alturas importantes.

A par disso, grande vitória do Matthews (esperada, tendo em conta o tipo de etapa que era e a forma que o Matthews leva) frente a um Van Avermaet que já tinha ganho aqui no passado frente a Sagan mas que desta vez não foi tão rápido quanto o ciclista da Sunweb (excelente ano, até agora, para esta equipa). Isto mete o ciclista australiano ainda na luta pela camisola verde. Veremos se o Kittel aguenta até ao fim - ainda tem uma boa vantagem, mesmo assim.
 O Fabio Aru pode queixar-se de faltar uma melhor equipa para o apoiar. Agora, o ciclista italiano também cometeu o erro de deixar ficar-se para trás, a Sky assumiu os quilómetros finais cedo e dava para o Fabio Aru ter procurado logo o Froome e aproveitava o trabalho da Sky. Deixou-se ficar para trás e claro, depois faltou quem lhe pudesse voltar a levar para a frente. É pena. Assim, Froome assumiu a camisola amarela e vai ser muito difícil a tirar-lhe.

 Atenção ao Rigoberto Uran e ao francês Romain Bardet. Pode existir algumas surpresas, sobretudo com o colombiano, que está a um excelente nível e tem estado bem na roda dos da frente, sem fraquejar. Quase ninguém dá por ele, mas está ali, luta imenso e bem dentro da disputa pelo top3.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
 Ninguém que ganhar tempo ao Chris Froome e assim passar para a liderança. Mais um "azar" mecânico para o líder da Sky, já teve que fazer duas recuperações e uma delas, a segunda, foi bem difícil. E ninguém aproveitou para atacar e criar uma boa distância. Ou estão todos cansados ou então há aqui outra estratégia difícil de descortinar.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Parece que estão todos conformados com o primeiro lugar do Froome e que a luta será só pelo 2o e 3o lugar, enfim. É pena que assim seja
23.894
 Boa vitória do Bauke Mollema.

 Quanto aos perseguidores do Chris Froome, cambada de pussys>:D
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
O ciclismo neste momento está muito defensivo. Há mais medo em atacar e rebentar do que em ficar para trás. Além disso com distâncias tão curtas estão todos a jogar pelo seguro. E as forças também devem faltar.

E como o Froome parece estar menos bem devem ter a esperança que tenha um dia mau em que perca alguns minutos. O problema é que ele ainda tem o CR onde em princípio ganhará pelo menos 1 min.

 
O Bardet ainda tentou alguma coisa mas foi um ataque muito curto e numa altura em que o Froome já estava no grupo, quando podiam e deveriam ter atacado quando o Froome ficou para trás. Mas também se não há pernas, não há ataques e isto nem é ciclismo ofensivo ou defensivo.
Agora é esperar pela etapa 17 e 18.
Mas também se não há pernas, não há ataques e isto nem é ciclismo ofensivo ou defensivo.

 Na véspera de um dia de descanso, podiam ter forçado um bocado e eventualmente ganhar uma vantagem. Aquele momento pedia algo mais, depois podiam gerir a vantagem porque a etapa ficava mais acessível a gerir vantagens. O Fabio Aru caso tivesse atacado, teria a companhia de alguém e isso facilitaria o trabalho em ganhar vantagem a Froome. Desperdiçaram e ainda tivemos o Froome a tentar um sprint final, a mostrar que está bem vivo.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Parece que estão todos conformados com o primeiro lugar do Froome e que a luta será só pelo 2o e 3o lugar, enfim. É pena que assim seja

É também o que eu penso.
Quando Froome ficou para trás Aru e Bardet tinham de assumir a condução da corrida mesmo que pagassem esse esforço.

SL
Mas também se não há pernas, não há ataques e isto nem é ciclismo ofensivo ou defensivo.

 Na véspera de um dia de descanso, podiam ter forçado um bocado e eventualmente ganhar uma vantagem. Aquele momento pedia algo mais, depois podiam gerir a vantagem porque a etapa ficava mais acessível a gerir vantagens. O Fabio Aru caso tivesse atacado, teria a companhia de alguém e isso facilitaria o trabalho em ganhar vantagem a Froome. Desperdiçaram e ainda tivemos o Froome a tentar um sprint final, a mostrar que está bem vivo.

O Fabio Aru na etapa de ontem perde 24 segundos para o Froome, Uran e o Daniel Martin não parece que esteja nas melhores condições, até pode ter sido uma péssima colocação ontem que o levou a perder aqueles segundos mas a cara de esforço final também não me pareceu a melhor. O Aru se conseguisse naquele momento tenho quase a certeza que atacava.

Quem tinha que fazer alguma coisa era o Bardet, a equipa teve duas vezes bem nesta etapa.
Primeiro ao criar o corte em que o Froome fica para trás e depois ao terem bastantes elementos na frente quando o Froome furou, aqui faltou o remate final do Bardet, que só o tentou quando o Froome já estava no grupo.
Quem tinha que fazer alguma coisa era o Bardet, a equipa teve duas vezes bem nesta etapa.

 É verdade, a AG2R fez tudo bem e no fim acabou por nem valer a pena, já que o Bardet apenas fez um ataque. A sensação que quem vê a prova é que os ciclistas respeitam-se demasiado e deixam-se dominar por isso. O Chris Froome já teve dois problemas mecânicos, já passou por dificuldades, no entanto continua a ser camisola amarela. E tem existido oportunidades, algo que no passado nunca existiu.

 Veremos a terceira e última semana. Parece que se esquecem que há um contra-relógio citadino e Chris Froome safa-se muito bem nesse estilo. Ou então estão confortáveis com os lugares que ocupam.
“We have to be compact, close together tactically, and if you are close then you have options to play with. You don't always have to try the most risky ball if you are compact. You have to run, to fight, until the moment, and then ... bang, you take it.”

Jurgen Klopp
Alguém sabe porque é que este ano não há nenhuma das subidas míticas do tour? ( corrijam-me se estiver em erro)
23.894
Alguém sabe porque é que este ano não há nenhuma das subidas míticas do tour? ( corrijam-me se estiver em erro)

Vão aparecer nas etapas 17 e 18, com o Télegraphe, Galibier e Izoard.
Alguém sabe porque é que este ano não há nenhuma das subidas míticas do tour? ( corrijam-me se estiver em erro)

Vão aparecer nas etapas 17 e 18, com o Télegraphe, Galibier e Izoard.
Mas alguém sabe a razão de não irem ao alpe d huez à vários anos?
Mas alguém sabe a razão de não irem ao alpe d huez à vários anos?

Provavelmente, por nenhuma razão em especial. O território francês tem muitas montanhas e não se costumam repetir chegadas em alto de ano para ano.

No caso das subidas mais míticas, há sempre um hiato de 2 ou 3 anos. A última chegada ao Alpe d'Huez foi em 2015, portanto lá para 2018 ou 2019 deve haver outra.