Bryan Ruiz

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

O reforço que faltava. Agora sim acredito no título

Ia assim em Paços de Ferreira: Bas Dost, Alan Ruiz, Bryan Ruiz, Gélson, Bruno César, William, Piccini, Coates, André Pinto, Jonathan e Rui :venia:
A minha cartilha é o Sporting
Enfim, vou-me abster de comentar o que quer que seja acerca desta reintegração.
Croquetes? Não, obrigado.
Não sabemos o que se passou para ser afastado, não sabemos exatamente o que esta realmente por detras desta reeintegração.
"Pazes" feitas, necessidade do jogador para a posição, em janeiro podia assinar a custo zero e nao termos proveito desportivo do mesmo para nao falar financeiro.
Pelos vistos um acordo tripartido que esperemos que beneficie acima de tudo a equipa.
Vao ser "despachados" 2 ou 3 daquela zona que não conseguiram mostrar o minimo.

Esperemos que esta epoca marque o golo do titulo na penultima jornada contra o slb em Alvalade e fica tudo saldado entre todos.
#SPORTINGsempre
#OSportingÉoNossoGrandeAmor
#SeguimosJuntos
Em Alvalade todos de verde!

O Slimani foi encostado...na pré época, logo logo voltou a competir, e era um dos melhores da equipa.

O Bryan nem pré época fez com a equipa, vem de uma época de fraco rendimento, ficou afastado da equipa até meados de Novembro.

A comparação é nenhuma, agora decide-se reintegrar o jogador, a ser verdade...depois de perder a pré época e 1\4 ou mais da época e até de treinos com a equipa.  :inde:

Mas siga...

Ou é manobra por alguma questão contratual, ou é treta dos media ou é um absurdo.

Mesmo que seja por 1 questão meramente desportiva.

SE se entende que há no plantel quem não correspondeu às expectativas, há uma onda de lesões E estando o clube a pagar o salário a um jogador que não se conseguiu colocar no verão e tem talento, o que há aqui de tão absurdo?

Que raio. Que seria por exemplo dos azuis, que após dispensarem Aboubakar, Sérgio Oliveira, Marega e outros, não os tivessem reintegrado, porque tomaram uma decisão em sentido contrário antes.


 :eh:

Marega, Aboubakar e Sérgio Oliveira, entre outros, fizeram pré época, jogaram, fizeram parte dos planos da equipa para a época, não estiveram sem actividade competitiva, a treinar à parte até Novembro e o treinador lembou-se de os ir buscar quando houve uma lesão.

Não há comparação possivel, o treinador do f.c.porto apostou neles desde o primeiro momento para a época.

A época tem um planeamento, as lesões e alternativas fazem parte desse planeamento, se o Bryan era para contar integrava parte da pré época, ou pelo menos treinava com o o plantel...no minimo. Agora vamos resgatar um jogador sem pré época, sem ritmo competitivo, sem treino...como solução em Novembro? Brincadeira.

A não ser que seja uma questão contratual qualquer, reintegrar o Ruiz agora é uma brincadeira...
O treinador azul teve que lidar com a incapacidade de o clube ir ao mercado e ficar com o que havia dentro dos quadros e vários deles não contavam para o clube anteriormente. Houvesse essa capacidade, nem todos voltariam.  Ou se calhar, nenhum, com excepção do Ricardo.

O Sporting paga a Bryan que não é e nunca foi um cepo e lida neste momento com uma onda de lesões e desaproveitamento das alternativas para a posição.

Como ainda não vi nada que mostre que tenha havido um problema disciplinar grave, podemos estar simplesmente perante um caso de aproveitamento de um recurso a quem se paga sem qq  benefício, num momento de necessidade, num contexto diferente do verão. Iuri não conta, Mattheus não se afirmou, César não rende.

Algo nunca visto no futebol.

 

Mas eu percebo perfeitamente o argumento. E também aceito que tenha sido colocado de parte porque não era opção para a equipa principal nem, logicamente, para a B. Ser afastado não tem necessariamente que ser por acção disciplinar, pode ser opção.

O que não entendo é o que já disse: o jogador termina contrato no Verão, voltou em Agosto da Costa Rica e tem treinado sozinho até há bem pouco tempo... Até fazer a sua pré-época e readquirir a forma, conta para alguma coisa? Quando passará a contar?

Não me choca nada que tenhamos colocado o jogador à parte, desde que se cumpram todas as obrigações. Não me choca que, não o conseguindo colocar, tenham reintegrado o jogador, numa óptica de aproveitamento de recursos internos que tem andado bem afastada de Alvalade. Mas, que raio, os últimos mercados fecharam algures a meio de Setembro. Demoramos 2 meses a reintegrar o jogador? Com que objectivo? Qual a finalidade?

Vamos lá a ver.

Por mim, em vez da reintegração de Bryan, começava a dar utilização decente ao Iuri e desviava Podence para a ala esquerda.

Chegando janeiro, iria contratar 0 jogadores e faria regressar 1 ou 2 emprestados.

Esta é uma opinião pessoal.

Factos? Iuri não conta para o treinador. Mal ou bem, não conta. Mattheus raramente é utilizado portanto a coisa é parecida. César continua a ser um tapa buracos, só. Agora rebentando após 45 minutos de jogo. Entretanto o plantel sofre uma onda de lesões que dizima meia equipa titular.

Os pressupostos não mudaram relativamente a 2 meses atrás?

Mudaram.

Se mudaram, criaram um contexto diferente e perante um contexto diferente, decisões diferentes. Algo perfeitamente natural.

Mais ainda quando se paga a um jogador sem este contribuir para o clube.

Não contava em Agosto, tentou-se colocar n vezes, não se conseguiu e agora, face ao não rendimento das alternativas para a posição e às lesões,  decidiu-se dar utilidade ao atleta.

Que até tem qualidade.

E, já agora, concordando eu com a dispensa mas concordando se para lá de Acuna, fossem alguns jovens dos quadros a posicionarem-se como opções reais e não um César, prefiro ter Bryan ao brasileiro ou Mattheus no banco.

Agora é sempre "bom" ver a facilidade com que se escrevem umas coisas e se extrapola perante uma decisão que entendo perfeitamente compreensível face ao contexto.


Mais uma vez, compreendo a ideia. Mas, por essa ordem de ideias, quando tivemos Mathieu lesionado e Tobias também de fora, não deveríamos igualmente ter reintegrado o Douglas?  :inde:

E digo isto sem qualquer provocação ou ironia, se é para reaproveitar recursos internos após haver lesões e por haver jogadores com os quais o treinador não conta... Porque não reaproveitar igualmente Douglas?
"O Sporting é nosso outra vez!"
(...)
Mais uma vez, compreendo a ideia. Mas, por essa ordem de ideias, quando tivemos Mathieu lesionado e Tobias também de fora, não deveríamos igualmente ter reintegrado o Douglas?  :inde:

E digo isto sem qualquer provocação ou ironia, se é para reaproveitar recursos internos após haver lesões e por haver jogadores com os quais o treinador não conta... Porque não reaproveitar igualmente Douglas?

E, no limite, porque não?

Diferenças?

- Pinto é uma alternativa aceitável. E joga numa posição onde não é necessário fazer a diferença que no tugão reside essencialmente em jogadores de responsabilidades ofensivas e é também uma posição em que poucas vezes se mexe quando se precisa virar um jogo.

- Douglas raramente contou.

- Ruiz foi titular quase absoluto durante 2 anos, sendo que a primeira época foi de qualidade.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:

O Podence é extremo de formação.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:

E isso quer dizer o quê? Que Podence é "avançado interior"? Que não é extremo? Que não é extremo esquerdo?
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:

O Podence é extremo de formação.

O Acuña é lateral esquerdo, o Adrien trinco, o Mathieu lateral esquerdo, adiante.



@Lion73  O Ronaldo é um avançado interior por exemplo, corta da ala para dentro e remata. O Campbell também o era, o Matheus também gosta de jogar assim, o Iuri também. O Podence, na minha opinião, não tem caracteristicas para isso. Já o Gelson é um extremo direito.

É a minha opinião, gosto imenso de ver o Podence a SA, faz lembrar o Giovinco ou o Messi, claro que adequado à nossa dimensão.
O reforço que faltava. Agora sim acredito no título

Ia assim em Paços de Ferreira: Bas Dost, Alan Ruiz, Bryan Ruiz, Gélson, Bruno César, William, Piccini, Coates, André Pinto, Jonathan e Rui :venia:

Goza, goza, mas o JJ era bem capaz de por esse onze :lol:. Tirando apenas o Bruno César e pondo o Battaglia.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:

O Podence é extremo de formação.

O Acuña é lateral esquerdo, o Adrien trinco, o Mathieu lateral esquerdo, adiante.



@Lion73  O Ronaldo é um avançado interior por exemplo, corta da ala para dentro e remata. O Campbell também o era, o Matheus também gosta de jogar assim, o Iuri também. O Podence, na minha opinião, não tem caracteristicas para isso. Já o Gelson é um extremo direito.

É a minha opinião, gosto imenso de ver o Podence a SA, faz lembrar o Giovinco ou o Messi, claro que adequado à nossa dimensão.

Por isso mesmo. Podence não, nas alas e na forma como o Sporting joga, porquê?

Se foi aí quase sempre que jogou?

E se o Sporting nem joga com "avançados" aí?

Falta-lhe poder de fogo, para SA. E se há 1 contexto em que as alas estão deficitárias... podia perfeitamente ser desviado da posição que está a ocupar.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

Oh Lion, e sabes a diferença de avançado interior e de extremo?  :lol:

O Podence é extremo de formação.

O Acuña é lateral esquerdo, o Adrien trinco, o Mathieu lateral esquerdo, adiante.


O Acuña não fez a sua formação como lateral, e o Adrien também não era trinco.

A questão aqui é que a posição não é estranha a Podence, cresceu afinal com ela.
« Última modificação: Novembro 14, 2017, 17:26 pm por Alexandre10 »
(...)
Mais uma vez, compreendo a ideia. Mas, por essa ordem de ideias, quando tivemos Mathieu lesionado e Tobias também de fora, não deveríamos igualmente ter reintegrado o Douglas?  :inde:

E digo isto sem qualquer provocação ou ironia, se é para reaproveitar recursos internos após haver lesões e por haver jogadores com os quais o treinador não conta... Porque não reaproveitar igualmente Douglas?

E, no limite, porque não?

Diferenças?

- Pinto é uma alternativa aceitável. E joga numa posição onde não é necessário fazer a diferença que no tugão reside essencialmente em jogadores de responsabilidades ofensivas e é também uma posição em que poucas vezes se mexe quando se precisa virar um jogo.

- Douglas raramente contou.

- Ruiz foi titular quase absoluto durante 2 anos, sendo que a primeira época foi de qualidade.


Douglas raramente contou, isso é um facto. Mas foi um pedido do treinador que andou a insistir nele durante um ano ou mais até o conseguir trazer. Agora anda a treinar à parte e até já começámos um jogo oficial para a Taça com Petrovic como central porque não tínhamos mais ninguém. Por isso, sim, se é para reintegrar jogadores que andam à parte e aproveitar minimamente os mesmos... Douglas também deveria estar com a equipa principal neste momento.
"O Sporting é nosso outra vez!"
Por isso mesmo. Podence não, nas alas e na forma como o Sporting joga, porquê?

Se foi aí quase sempre que jogou?

E se o Sporting nem joga com "avançados" aí?

Falta-lhe poder de fogo, para SA. E se há 1 contexto em que as alas estão deficitárias... podia perfeitamente ser desviado da posição que está a ocupar.

Não tem, é verdade.

Mas os passes mágicos que ele lá faz? A maneira como ele baralha as defesas adversárias? A posição dele é mesmo vagabundo, nem é bem SA, nem MO.

Há que fazer o balanço de tudo.

Foi ele que acabou com a crise do Dost, este marca muitos mais golos com ele em campo.

Para mim ele deve jogar a SA ou extremo direito. Num contexto de necessidade pode ir para extremo esquerdo, mas houve ai um jogo em que ele foi para a esquerda (tendo começado a SA) e notou-se bem a diferença no futebol da equipa, para pior, isto é. Penso que foi contra o braga.
« Última modificação: Novembro 14, 2017, 17:30 pm por GreenCode14 »
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

E que jogou a extremo esquerdo várias vezes na formação.

E que na B jogou a extremo, e que no Moreirense jogou a extremo.

É de facto parvo defender que um extremo deve jogar a extremo. E eu até defendi o seu desenvolvimento para segundo avançado, mas tem que se desenvolver, muito trabalho especifico pela frente e depois tem limitações de base que, queiramos ou não, são dificeis de ultrapassar quando se pensa em fazer do jogador um avançado.

Quanto ao Ruiz, mais uma vez, compreendo que se tenham ultrapassado as questões que o dividiam da Direcção...mas existiram, um jogador não é afastado do grupo durante tanto tempo sem motivos graves (consideração de quem o afastou claro), a lógica do seu aproveitamento pós lesão do Acuna faz pouco sentido quando falamos de um jogador que tem uma pré época para fazer e ainda por cima vem de uma má época no Sporting. O tempo que o Ruiz demorará para se tornar util, caso se chegue a tornar, já o Acuna terá a sua lesão recuperada, a não ser que falemos de uma lesão de 2 meses (espero bem que não). Depois temos ainda a questão contratual, em Janeiro é livre de assinar por outro clube, daqui a mês e meio, e não merece de todo a renovação. E por ultimo a questão do planeamento da época, não se contava com Ruiz logo as alternativas já cá deviam estar desde o primeiro momento.

Mas está feito, seja qual for a lógica inerente à decisão, que renda. Agora não se pode esperar que as pessoas não estranhem estas coisas.
Depois temos ainda a questão contratual, em Janeiro é livre de assinar por outro clube, daqui a mês e meio, e não merece de todo a renovação.

Com certeza isso deve ter ficado definido na reunião. Devem ter havido acordos entre ambas as partes, se ele começar a render, o Sporting deve-se ter precavido.
Depois temos ainda a questão contratual, em Janeiro é livre de assinar por outro clube, daqui a mês e meio, e não merece de todo a renovação.

Com certeza isso deve ter ficado definido na reunião. Devem ter havido acordos entre ambas as partes, se ele começar a render, o Sporting deve-se ter precavido.

Precavido como? Só há uma forma de se precaver, renovando o contrato.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

E que jogou a extremo esquerdo várias vezes na formação.

E que na B jogou a extremo, e que no Moreirense jogou a extremo.

É de facto parvo defender que um extremo deve jogar a extremo. E eu até defendi o seu desenvolvimento para segundo avançado, mas tem que se desenvolver, muito trabalho especifico pela frente e depois tem limitações de base que, queiramos ou não, são dificeis de ultrapassar quando se pensa em fazer do jogador um avançado.

Quanto ao Ruiz, mais uma vez, compreendo que se tenham ultrapassado as questões que o dividiam da Direcção...mas existiram, um jogador não é afastado do grupo durante tanto tempo sem motivos graves (consideração de quem o afastou claro), a lógica do seu aproveitamento pós lesão do Acuna faz pouco sentido quando falamos de um jogador que tem uma pré época para fazer e ainda por cima vem de uma má época no Sporting. O tempo que o Ruiz demorará para se tornar util, caso se chegue a tornar, já o Acuna terá a sua lesão recuperada, a não ser que falemos de uma lesão de 2 meses (espero bem que não). Depois temos ainda a questão contratual, em Janeiro é livre de assinar por outro clube, daqui a mês e meio, e não merece de todo a renovação. E por ultimo a questão do planeamento da época, não se contava com Ruiz logo as alternativas já cá deviam estar desde o primeiro momento.

Mas está feito, seja qual for a lógica inerente à decisão, que renda. Agora não se pode esperar que as pessoas não estranhem estas coisas.
Até ver, analisarei este caso e o encosto do jogador como mera opção desportiva até porque não tenho conhecimento de processos disciplinares.

Não é a lesão de Acuna. Só. É a falta de rendimento de todas as alternativas para a posição, sejam quais forem os motivos.

No verão, decidiu-se avançar com x, y e z.

Em e até novembro, só x rendeu.

Recorre-se a w.
Mas que ideia parva a de Podence ser extremo esquerdo(..)

Parvissima. Vejam só um extremo de raíz , jogar a extremo.

E que jogou a extremo esquerdo várias vezes na formação.

E que na B jogou a extremo, e que no Moreirense jogou a extremo.

É de facto parvo defender que um extremo deve jogar a extremo. E eu até defendi o seu desenvolvimento para segundo avançado, mas tem que se desenvolver, muito trabalho especifico pela frente e depois tem limitações de base que, queiramos ou não, são dificeis de ultrapassar quando se pensa em fazer do jogador um avançado.

Quanto ao Ruiz, mais uma vez, compreendo que se tenham ultrapassado as questões que o dividiam da Direcção...mas existiram, um jogador não é afastado do grupo durante tanto tempo sem motivos graves (consideração de quem o afastou claro), a lógica do seu aproveitamento pós lesão do Acuna faz pouco sentido quando falamos de um jogador que tem uma pré época para fazer e ainda por cima vem de uma má época no Sporting. O tempo que o Ruiz demorará para se tornar util, caso se chegue a tornar, já o Acuna terá a sua lesão recuperada, a não ser que falemos de uma lesão de 2 meses (espero bem que não). Depois temos ainda a questão contratual, em Janeiro é livre de assinar por outro clube, daqui a mês e meio, e não merece de todo a renovação. E por ultimo a questão do planeamento da época, não se contava com Ruiz logo as alternativas já cá deviam estar desde o primeiro momento.

Mas está feito, seja qual for a lógica inerente à decisão, que renda. Agora não se pode esperar que as pessoas não estranhem estas coisas.
Até ver, analisarei este caso e o encosto do jogador como mera opção desportiva até porque não tenho conhecimento de processos disciplinares.

Não é a lesão de Acuna. Só. É a falta de rendimento de todas as alternativas para a posição, sejam quais forem os motivos.

No verão, decidiu-se avançar com x, y e z.

Em e até novembro, só x rendeu.

Recorre-se a w.

Portanto o planeamento foi de tal forma bem feito e assertivo que em Novembro já se questionam as opções feitas, ao ponto de se recorrer a um jogador que está parado e fora da competição e treino.

Quanto ao ter sido uma opção desportiva, estás no teu direito de pensar isso, não me parece nada lógico mas lá está..