Jornal do Sporting

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Citar
HAT-TRICK DE BAS DOST EM DESTAQUE NO JORNAL SPORTING
Por Jornal Sporting
25 Out, 2017
JORNAL SPORTING
'Rica crise' é a manchete da primeira página da edição n.º 3647 depois do 5-1 frente ao Desp. Chaves

Bas Dost regressou aos golos - e logo com um hat-trick - frente ao Desp. Aves (pág. 3), registo que lhe valeu a primeira página do Jornal Sporting desta semana. 'Rica Crise' é a manchete escolhida, fazendo-se acompanhar pela onda de solidariedade que gerou mais de 20 toneladas de bens recolhidos para os bombeiros e para as vítimas dos incêndios que assolaram o País (pág. 5). Conheça (ou volte a verificar), ainda, todas as iniciativas realizadas na partida da nona jornada da Liga NOS - desde a associação ao 'Mês Rosa', com a entrada em campo de 22 mulheres que venceram a batalha do cancro da mama, à visita da Escola Academia Sporting de Singapura (pág. 4).

No que às modalidades diz respeito, voleibol, atletismo e andebol surgem em evidência - por motivos diferentes. Enquanto o ano zero dos orientados de Hugo Silva continua a revelar-se um sucesso (vitória na dupla jornada do passado fim-de-semana contra o Sp. Caldas e Castêlo da Maia, pág. 21), o andebol foi à Luz quebrar a invencibilidade do eterno rival (pág. 13), subindo à liderança do campeonato. Por último, de sublinhar as sete contratações operadas na secção de atletismo e as três renovações de contrato (pági. 16), prova da forte aposta na hegemonia do Clube nesta área.
 
Como o 'menino de ouro' formado em Alcochete voltou a 'fazer das suas', ao vencer o Prémio de Melhor Jogador do Mundo pela quinta vez, mereceu uma dedicatória especial na capa. Todos estes temas e muito mais para ler no semanário leonino.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-10-25/hat-trick-de-bas-dost-em-destaque-no-jornal-sporting
Citar

A CULPA NÃO É DO CARTEIRO
Por Jornal Sporting
26 Out, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3647

A última jornada da I Liga trouxe, uma vez mais, um conjunto de episódios que merecem a nossa atenção, pois as coincidências e os erros persistem… sempre a favor do mesmo beneficiário. Sejam agressões de extrema violência que passam incólumes, golos em fora-de-jogo, penáltis contra não assinalados ou, pelo contrário, marcados quando inexistentes. Estão, por certo, os caros leitores a identificar, sem mácula, de que equipa se trata mesmo que nós, por “problemas de comunicação”, não tenhamos referido qual.

Parece que assistimos, semana após semana, a uma homilia em que os padres ordenados cumprem religiosamente a cartilha, persistindo na salvaguarda do manto sagrado. Esta é acompanhada por uma máquina de propaganda ao estilo do ministro da informação Iraquiano, Muhammad Saeed al-Sahhaf, que, já na recta final da guerra do Golfo quando os americanos estavam às portas de Bagdad, fazia passar nas suas intervenções a imagem de um Saddam vitorioso.

Nesta linha, e perante as evidências em que o VAR contribuiu para um maior escrutínio, vêm agora os mesmos de sempre tentar descredibilizar a tecnologia utilizada pelo vídeo-árbitro, lançando uma vez mais as tradicionais cortinas de fumo para desviar as atenções, e para que exista um retrocesso neste domínio. A propósito, recordo aqui a letra da música “O Carteiro”, do conjunto António Mafra:

“Manhã cedo segue a marcha
sempre na mesma cadência
e lá vai de caixa em caixa
metendo a correspondência
para uns são alegrias
para outros tristezas são
o carteiro não tem culpa
é a sua profissão.”


Tal como o Carteiro, a tecnologia do VAR não tem culpa e cada vez mais se percebe o quanto ela é útil para a minimização de erros, para uma maior justiça e verdade desportiva.

Trata-se de facto de uma grande e importante inovação enquanto suporte do exigente e difícil trabalho das equipas de arbitragem. Parece por isso claro que o problema não está, nem pode estar, na tecnologia pois esta não tem vida própria. Trata-se, como bem se sabe, apenas de um instrumento de apoio, uma ferramenta disponibilizada para auxiliar o trabalho dos árbitros e sempre, mas sempre, dependente de quem a manuseia, de quem a observa…ou ignora!

Quanto a este último aspecto, parece que foi o que aconteceu no último jogo em Alvalade, fruto de uma teimosia cega em que, mais uma vez, se demonstrou que o problema não está na tecnologia utilizada pelo VAR mas sim de quem dela faz uso ou, no caso, não!

A greve é um direito inalienável de qualquer trabalhador, dentro do quadro legal num país democrático. Mas este é também um instrumento de luta que exige responsabilidade e um mínimo de bom senso. A eventual greve anunciada pela APAF, se é legítima do ponto de vista do direito, é no entanto destituída de tudo o resto.

Parabéns a todos os Cinquentenários que no passado sábado receberam o seu emblema de ouro e a réplica do respectivo cartão de Sócio no mesmo metal precioso. Foram mais de uma centena, desde o Sócio mais anónimo até ao que já foi medalhado com ouro nos Jogos Olímpicos, Carlos Lopes. Também o nosso Sócio número 1, João Salvador Marques fez questão de marcar presença, com as suas 97 primaveras, para colocar o emblema de ouro, pela quinta vez, a mais um dos seus filhos. Também Vítor Salgado, dirigente da secção de bilhar, colocou ao seu filho Rui Pedro o respectivo emblema, pelo que aqui evoco a letra dos Supporting: “Passar este amor esta paixão, de geração em geração, é a obrigação de todo e qualquer Leão".

A cerimónia presidida por Bruno de Carvalho, acompanhado por toda a sua Direcção, em que um dos membros da equipa recebeu também o emblema, Jorge Sanches, bem como por atletas de diferentes modalidades, foi intensa e cheia de emoção e significado. Um exército que, alinhado e a rumar todo para o mesmo lado, torna o Sporting Clube de Portugal mais forte e invencível.

Nota final para a iniciativa da Fundação Sporting em Alvalade, no Pavilhão João Rocha e nos Núcleos, que fez crescer a onda verde de solidariedade por todo o país recolhendo bens para as vítimas dos incêndios. Destaque também para o Mês Rosa e todas as acções de sensibilização para a prevenção do cancro da mama.

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-10-26/a-culpa-nao-e-do-carteiro
Citar

CONFRONTO COM A JUVENTUS EM DESTAQUE
Por Jornal Sporting
02 Nov, 2017
JORNAL SPORTING
“Como os maiores da Europa” é a manchete da primeira página da edição n.º 3647 depois da quarta jornada da Liga dos Campeões

O resultado e o grande desempenho da equipa leonina frente aos italianos valeu a capa dedicada a esta partida, na edição desta semana do Jornal Sporting, fazendo-se acompanhar ainda do rescaldo da vitória frente ao Rio Ave (1-0), onde Bas Dost garantiu três pontos na deslocação a Vila do Conde (pág. 5).

Pode ler também a entrevista a Rui Moreira de Carvalho, Presidente do Conselho Fiscal do Clube leonino onde fala das antigas glórias verdes e brancas, Hilário e Mário Albuquerque (pág.11) e ainda, pela segunda semana consecutiva, ficar esclarecido quanto às novas aquisições da secção de atletismos (pág.16), que fecham assim o plantel para 2018.

Ricardo Fernandes está claramente em destaque, com merecida chamada na capa, com a revalidação do título de campeão nacional de boxe – em apenas um minuto e meio –, e pode saber tudo quando chegar à página 15 do Jornal.

De sublinhar ainda as páginas centrais com duas reportagens complementares, da visita da equipa de juniores ao Instituto Português de Oncologia (IPO), bem como de alguns elementos do plantel feminino à Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Estes e outros temas a ter em atenção nesta edição do Jornal Sporting, nas bancas esta quinta-feira.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-11-02/confronto-com-a-juventus-em-destaque
Citar
NÃO HÁ VOUCHERS NEM EMAILS GRÁTIS
Por Jornal Sporting
02 Nov, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3648

Os vouchers não são capricho nem tão pouco uma “obsessão infantil” e muito menos uma “questão pequena” como afirma e quer fazer crer o Director do jornal A Bola, em artigo de opinião do passado fim-de-semana. As opiniões são livres e cada um tem a que quer, valendo o que valem mas confesso ter dificuldades em perceber esta, sobretudo em alguém que goste de desporto, transparência, verdade desportiva e jornalismo, pois considero-a incompatível.

Independentemente das opiniões, os vouchers são um facto concreto! O nosso eterno rival oferecia um pacote “dourado” às equipas de arbitragem, delegados da Liga e observadores, que além de uma réplica de uma camisola, continha também, vouchers para um repasto para quatro pessoas. Esta generosa oferta vai muito além daquilo que possa ser considerado mera cortesia. Já nem evoco o valor em causa poder ser superior ao contemplado nos regulamentos para este tipo de “cortesias”, mas tão só o próprio objecto e o seu intuito. Como afirma o professor João César das Neves “Não há almoços grátis”, pelo que a questão não se deve colocar, como muitos tentaram, para desviar a atenção do essencial ao afirmarem que os árbitros não se deixam corromper por almoços. Eu penso precisamente o mesmo, mas a questão não é esta mas sim o que pretendiam os autores beneméritos destas dádivas? Que esperavam receber em troca?

Este caso dos vouchers, que contrariamente ao que se tenta passar, ainda está a ser objecto de investigação por parte da justiça, não da desportiva pois essa não teve a coragem nem cumpriu de forma cega o que era sua obrigação e o que de si se esperava para apurar este caso até às últimas consequências.

Esta trama tem tanto ou mais significado quanto mais vamos conhecendo outros casos com os mesmos protagonistas. A revista Sábado revela o teor do mandato de busca que envolveu altas patentes do Benfica, incluindo o seu presidente ou Pedro Guerra, como antigos dirigentes da arbitragem, como é o caso de Ferreira Nunes. Diz o documento que as buscas se justificam pelo facto da Juíza do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa considerar que existem “novos factos probatórios”.

Segundo a Sábado, a Juíza afirma que "os factos sob investigação respeitam à suspeita da actuação de responsáveis do SLB-SAD, que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procuraram exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito".

Depois disto tudo, uma dúvida se me coloca: quando Vítor Serpa afirmou que o caso dos “vouchers” eram uma “questão pequena”, não terá sido um erro meu de interpretação ao ler a sua crónica? Provavelmente sim, o que o Director de A Bola estaria por certo a querer dizer é que o “caso vouchers” era uma “questão pequena” quando comparado com o “caso dos emails”. Se assim foi e embora considere ambos graves, não me custa a admitir que tenha inteira razão, pois o conteúdo dos 20 Gigas de emails pode revelar-nos algo substancialmente mais grave!

Entretanto, o Ministério Público deduziu acusação relativa a factos que remontam a Abril passado, véspera do último dérbi em Alvalade, frente ao nosso eterno rival e que levaram ao assassinato do nosso adepto Marco Ficini. O principal acusado, de homicídio qualificado, é um membro de uma claque do nosso rival.

Agora é uma questão de justiça e que esta faça o seu trabalho, como lhe compete. A desportiva, essa, é que continua a assobiar para o lado, não só nos casos dos vouchers e emails, como também no caso das claques ilegais, aquelas que não existem mas que toda a gente sabe quem são. Até quando?

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-11-02/nao-ha-vouchers-nem-emails-gratis
Citar
BRUNO DE CARVALHO NO WEB SUMMIT EM DESTAQUE NO JORNAL SPORTING
Por Jornal Sporting
09 Nov, 2017
JORNAL SPORTING
Além da presença do Presidente dos leões na feira tecnológica, também a equipa de goalball, o judo e os jovens leões do hóquei em patins merecem chamada de capa

A edição n.º 3649 do Jornal Sporting tem como manchete a participação do Presidente Bruno de Carvalho na Web Summit, a maior feira tecnológica do Mundo, onde o líder do Clube leonino abordou vários aspectos do futebol português e internacional como a relação da modalidade com os agentes desportivos, as TPO e os modelos de sustentabilidade dos clubes no futuro, que deve passar pela aposta nas academias - que é, como se sabe, uma imagem de marca fortíssima do Sporting CP.

Além do espaço dado à participação de Bruno de Carvalho na Web Summit, não faltaram reportagens sobre feitos além-fronteiras: as páginas centrais, por exemplo, são dedicadas à equipa de goalball, que se estreou com cinco vitórias em outros tantos jogos na Super Liga Europeia, disputada em Rostock. Também a equipa de sub-15 de hóquei em patins esteve em grande plano, sagrando-se campeã europeia frente ao Barcelona.

Em Portugal, houve três leões a conquistar títulos nacionais no judo, facto que naturalmente não passou ao lado desta edição do semanário, bem como toda a actualidade verde e branca, desde os jogos da equipa A e B de futebol, a toda a formação do mesmo - e parte dela terminou a 1.ª fase do Campeonato Nacional - e, claro, das modalidades.

Todos estes trabalhos podem ser encontrados nas bancas a partir desta quinta-feira.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-11-09/bruno-de-carvalho-no-web-summit-em-destaque-no-jornal
Citar

MAIS DO MESMO
Por Jornal Sporting
09 Nov, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3649

O Director de Comunicação do nosso Clube, Nuno Saraiva, colocou na sua página do Facebook, após o jogo de Domingo, um post em que factualmente enaltece a forma física do presidente do Braga e dos seus jogadores. O primeiro, António Salvador, pela rapidez com que, uma vez mais, chegou à Sala de Imprensa para se atirar ao árbitro da partida. Os segundos, os jogadores arsenalistas que revelam nos jogos contra o Sporting uma garra ímpar e uma forma física que não evidenciam contra os nossos rivais da luz e do dragão.

De igual forma, a velocidade supersónica com que António Salvador chega ao Auditório Artur Agostinho contrasta com a ausência marcante que revela, face a incidências bem mais graves, nas salas de imprensa dos nossos rivais.

Dito isto e por apenas ter expressado uma mera opinião num tom distendido e sustentada em factos, esta, veio provocar uma reacção intempestiva, inusitada e desproporcionada por parte dos responsáveis do Sp. Braga. Em comunicado afirmam que fizeram queixa de Nuno Saraiva ao Conselho de Disciplina, com uma participação disciplinar sobre o conteúdo do post, para além da instauração de um processo-crime.

O Conselho de Disciplina recebeu a participação e terá agora que perder tempo a analisar o caso para, no final, estamos certos, não dar provimento às pretensões dos dirigentes do Sp. Braga pois esta participação não tem pés… nem cabeça! O mesmo já não se poderá dizer das declarações do presidente do Sp. Braga e do ataque cerrado ao árbitro do encontro, pois estas sim é que merecem a atenção e acção firme por parte do Conselho de Disciplina.

Como alguém disse, “não há coincidências”. Mas este caso e não deixa de ser curioso, tem do ponto de vista mediático e de praxis uma similitude muito próxima com o caso do presidente do Arouca. Este, só após uma semana do incidente do túnel de Alvalade e antecedido do árduo trabalho dos cartilheiros do nosso eterno rival, é que veio lembrar-se de algo que nunca existiu. Desta feita, os cartilheiros fizeram também o seu trabalho prévio…

O presidente do Conselho de Arbitragem concedeu na quarta-feira passada uma entrevista a um jornal desportivo onde afirma que o Conselho de Arbitragem assume os erros. Ainda bem que assim é, mas importa perceber e conhecer como é que isso se materializa. Fontelas Gomes afirma ainda que os árbitros não são influenciáveis, não serão por isso pressionáveis. Assim sendo, e crendo nas palavras do líder da arbitragem, ficamos sem entender o nexo de qualquer eventual greve tendo por base este pretexto.

O nosso Clube esteve na primeira linha pela introdução do VAR, que considera um instrumento fundamental como complemento para o exigente e difícil trabalho dos árbitros. Isto não significa que não defendamos que quem o utiliza, seja por incompetência ou por outra razão grave, não sofra as devidas consequências dos seus actos, como o caso recentemente passado na Alemanha, em que o responsável pelas nomeações do VAR foi afastado.

Somos a favor da transparência e da verdade desportiva e por elas lutamos diariamente. Nesta linha, a divulgação, não a cirúrgica ou “pedagógica” mas sim da totalidade dos áudios do VAR, parece-nos positivo a bem da transparência. De igual forma mas também para evitar a distorção e impedir conflitos de interesses (no mínimo) deveria ser vetado, após a introdução do VAR, que os Clubes transmitissem em directo os jogos nos seus próprios canais.

Esta foi uma semana pródiga em “cartilheirisse” com os nossos rivais a Norte e a Sul a querem passar a ideia que fomos beneficiados pela arbitragem. As imagens do jogo de Alvalade revelam que no nosso caso as situações de eventual benefício são em número inferior às de prejuízo, enquanto nos jogos dos nossos rivais as imagens não deixam dúvidas dos lances em que foram beneficiados, mas que os ignoraram ou ocultam com o maior desplante, como já nos habituaram.

Mais ataques vêm aí ao nosso Clube e Presidente, nada que não estejamos já, infelizmente, habituados e que tem a credibilidade de sempre, NENHUMA! Tanto os acusadores como os factos que acusam.

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-11-09/mais-do-mesmo
Citar

A FORMA DE BDC
Por Jornal Sporting
16 Nov, 2017
JORNAL SPORTING
Editorial do Director do Jornal Sporting na edição n.º 3650

Com tantas histórias de bruxos no futebol também nós corremos o risco de um dia sermos destinatários da frase popular “até parece que é bruxo”!

De facto, quando na semana passada, neste mesmo espaço, alertámos que mais ataques com histórias e historietas, tricas e ‘cartilhices’ contra os nossos Clube e Presidente iam voltar a aparecer e em força, eis que, sem ser necessário esperar muito, começaram a surgir de vários lados, com associações e alianças no mínimo curiosas.

O Halloween já foi, mas parece que alguns não se aperceberam, numa semana em que o cheiro a naftalina abundou com o aparecimento de personagens que, confesso, já nem me lembrava que existiam e que, tenho de reconhecer, também não tinha saudades.

A primeira conclusão que poderemos extrair é que o Sporting Clube de Portugal e o seu Presidente continuam a incomodar muita gente. Ao verem o chão a fugir-lhes e os seus interesses instalados a desmoronarem-se, entram no vale tudo. Esta situação acaba por evidenciar concertação de posições inusitadas entre figuras, figurantes e figurinhas no ataque desenfreado ao nosso Clube e a Bruno de Carvalho.

Pelo que temos lido, chegámos à conclusão de que o mal de tudo que há no mundo é do Sporting e do seu Presidente: o aquecimento global, as alterações climáticas, a tensão na Coreia do Norte, os incêndios, a seca…

Com apenas 45 anos e quatro anos e meio na Presidência do nosso Clube, conseguiu este Ser, neste período, provocar o caos no Mundo. O desporto e o futebol estão como estão por sua única culpa! Tudo isto porque tem uma forma de passar as suas mensagens que não é consentânea com o lugar que ocupa e que envergonha o ser humano, dizem.

O futebol antes de BdC era um mar de rosas. Não havia polémica com as arbitragens, não havia casos de corrupção, hipocrisia, tráfico de influências, falta de fair-play, claques ilegais, assassinatos de adeptos… nada disto existia! As denúncias de BdC e a sua luta pela transparência e verdade desportiva têm que ser banidas.

A “forma” é o argumento dos fracos, dos coniventes, dos situacionistas, para lhe atacar o caracter e a personalidade, aqueles que nada têm a acrescentar de positivo e se sentem ameaçados pelos seus rabos-de-palha. Verificarmos que, na sua maioria, apenas destilam ódio nada apontando ou aportando à sua substância.

Outros há que, a sua distinta e esmerada educação, não lhes permite conviver (vítimas das cartilhas) com a forma de BdC, pois vivemos num mundo de aparências. O que interessa a substância ou a obra feita? Bons são aqueles que, com palavrinhas mansas, conseguiram arruinar a credibilidade do futebol português, foram processados em casos de corrupção e outros crimes… ou que conseguiram levar à ruína o nosso Clube, pois, como diz o povo, “com papas e bolos se enganam os tolos”.

Por tudo isto, não é novidade para ninguém que o “movimento dos indignados” contra o nosso Clube e contra o Presidente Bruno de Carvalho tenha na primeira linha os nossos rivais, seus dirigentes, 'avençados' e ‘cartilheiros’. A estes juntam-se outros que, não pertencendo a clubes rivais, pelo seu o ódio cego, privilégios perdidos ou por terem sido chamados à razão, actuam como tal.

Enquanto tudo isto se passa e o grande problema do mundo é a “forma” utilizada por BdC, não existem e-mails, sms, vouchers, investigações por suspeitas de corrupção, pressões e coação sobre a arbitragem, fugas de documentos da FPF, claques ilegais…

Felizmente que no Sporting Clube de Portugal quem determina os seus destinos são aqueles que são o maior património imaterial da humanidade: os nossos Sócios. São estes que votam e elegem quem querem à frente da maior potência desportiva nacional e não os nossos rivais ou inimigos. Em Março último a resposta dos Sócios foi inequívoca.

Os ataques serão cada mais e com maior magnitude. Está na hora de os Sportinguistas saírem da sua zona de conforto, não se deixarem ludibriar pelo terrorismo mediático de que seremos cada vez mais alvo, e demonstrar a nossa força, união e coesão, na defesa dos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal.

Boa leitura!

http://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/jornal-sporting/2017-11-16/a-forma-de-bdc
É impressão minha ou faltam páginas na versão do jornal digital (devido ao especial Futsal) desta semana? Alguém confirma?
Eodem loco pone latronem et piratam, quo regem animum latronis et piratae habentem
É impressão minha ou faltam páginas na versão do jornal digital (devido ao especial Futsal) desta semana? Alguém confirma?

Também me parece.
É impressão minha ou faltam páginas na versão do jornal digital (devido ao especial Futsal) desta semana? Alguém confirma?

Também me parece.

faltam exactamente 4 páginas - tantas quantas tem o especial futsal

já lhes mandei um mail a alertar
Mais que Presidente do Sporting Clube de Portugal, Bruno de Carvalho é o meu Presidente!